Desvendando os recursos do CorelDRAW | Parte 2 | Preparando a área de trabalho

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 0 Flares ×

Olá grandes leitores do Cardquali! Como passaram a semana? Acho que com muito trabalho, estudo e bastante stress hein? Mas eu estou aqui pra que você possa deixar de lado um pouco da correria do dia a dia e desfrutar das dicas daquele programa que eu sei que você adora!

Seja você um usuário profissional ou apenas um apreciador de um hobby diferente, desvendar os mistérios do CorelDRAW pode lhe fazer economizar muito tempo na hora de desenvolver seus trabalhos, além de proporcionar vários minutos extras, sem complicação e com uma facilidade incrível, configurar o programa corretamente com certeza vai lhe fazer esquecer o stress causado por procedimentos repetitivos, e que muitas vezes podem ser desenvolvidos de maneira mais prática.

Organizar a área de trabalho de seu software tem a mesma funcionalidade de organizar sua área de trabalho física! Seja no seu escritório, mesa de trabalho ou até mesmo em casa, é muito mais fácil e prático encontrar sua caneta, lápis ou seja lá o que for se estiver tudo no seu devido lugar, e a vantagem que os softwares tem sobre isso é que se uma ferramenta não tem um lugar, você pode criar um para ela.

Imagina quantas vezes você precisa retirar a seleção de um objeto no CorelDRAW apenas para alterar o deslocamento de teclado. Ou quantas vezes você precisa clicar no menu Editar> Selecionar tudo> Texto apenas para selecionar todo o texto de seu arquivo (eu uso muito isso gente, ces nem imaginam). Então para dar continuidade em nossa série de postagens para desvendar o que temos de melhor em recursos do CorelDRAW hoje vamos abordar um dos temas primordiais antes de iniciarmos os trabalho dentro do programa, “Como preparar sua área de trabalho para um fluxo muito mais produtivo e prático”.

Você já leu nossa primeira postagem? Desvendando os recursos do CorelDRAW – Configurações iniciais? Se não, clique ai e comece a desvendar conosco os recursos do nosso programa de edição vetorial favorito.

Agora pra acabar com o papo furado, vamos ao que interessa!

Em primeiro lugar, no post anterior eu iniciai com o CorelDRAW na versão X5, e partir deste artigo vamos abordar as configurações e novidades da versão X6. Mas não se preocupem, eu só estou unindo o útil ao agradável, as mesmas configurações e opções podem ser localizadas na versão X5, a única diferença será nas novidades, que só veremos na nova versão. Então seja em qualquer das edições, vamos configurar nossos programas e trabalhar aproveitando todos os recursos ao máximo.

Após configurarmos o CorelDRAW para iniciar mais rapidamente, é muito importante identificarmos corretamente as ferramentas que temos disponíveis, se você for um usuário iniciante, provavelmente irá encontrar aqui um artigo mais complicado, mas não se preocupe, posteriormente abordaremos todas as ferramentas do programa de uma maneira bem didática, o post de hoje então se dedica a quem já trabalha com o CorelDRAW e precisa dar uma reorganizada nos seu métodos de trabalho.

Após configurarmos o CorelDRAW para iniciar mais rapidamente, é muito importante identificarmos corretamente as ferramentas que temos disponíveis, se você for um usuário iniciante, provavelmente irá encontrar aqui um artigo mais complicado, mas não se preocupe, posteriormente abordaremos todas as ferramentas do programa de uma maneira bem didática, o post de hoje então se dedica a quem já trabalha com o CorelDRAW e precisa dar uma reorganizada nos seu métodos de trabalho.

Quando o programa inicia um novo documento temos a área de trabalho padrão, com a barra de ferramentas na lateral esquerda, a caixa de cores na lateral direita, a barra de propriedade da ferramenta na parte superior (abaixo dos menus) e laaah no finalzinho, na parte de baixo, a barra de status.

Como a ferramenta selecionada padrão é a “Seleção”, temos opções primordiais para se iniciar o trabalho. Então temos a possibilidade de, na barra de propriedades da ferramenta, configurar as propriedades do papel:

Como a ferramenta selecionada padrão é a “Seleção”, temos opções primordiais para se iniciar o trabalho. Então temos a possibilidade de, na barra de propriedades da ferramenta, configurar as propriedades do papel:

Selecionar as unidades de medida:

Selecionar as unidades de medida:

O nível de deslocamento para o teclado, que é a distancia que um objeto vai se deslocar quando você pressionar a setinhas direcionais, e também temos a caixa de deslocamento para duplicatas de objetos.

O nível de deslocamento para o teclado, que é a distancia que um objeto vai se deslocar quando você pressionar a setinhas direcionais, e também temos a caixa de deslocamento para duplicatas de objetos.

Então vamos começar!

Primeiramente, em um fluxo de trabalho, é muito comum precisar alterar as unidades de medida a qualquer momento, bem como definir um nível de deslocamento diferente para um objeto em determinada situação.

Vejamos uma situação de exemplo:

Você iniciou um trabalho, definiu suas unidades de medida para MILÍMETROS e um deslocamento para 2mm, criou um plano de fundo, adicionou textos, imagens e muitos outros objetos. Cada objeto está posicionado como você precisa, porem, você identifica que há a necessidade deslocar um conjunto de objetos 5mm para baixo.

Você iniciou um trabalho, definiu suas unidades de medida para MILÍMETROS e um deslocamento para 2mm, criou um plano de fundo, adicionou textos, imagens e muitos outros objetos. Cada objeto está posicionado como você precisa, porem, você identifica que há a necessidade deslocar um conjunto de objetos 5mm para baixo.

Na imagem acima você pode ver a situação ilustrada, onde selecionamos os logotipos deste panfleto e vamos deslocá-las para baixo 5mm.

Porem, após selecionar os objetos com um pouco de trabalho, pois eles não estão agrupados, você se lembra que o deslocamento está definido em apenas 2mm. O que você tem que fazer?

Resposta: Retirar a seleção, clicando no lado de fora da página, modificar o deslocamento, e perder tempo selecionando os objetos novamente!

Isso acontece com você? Se a resposta for sim, então nos vamos resolver este e outros problemas configurando nossa área de trabalho corretamente.

Além do exemplo acima, existem outras situações que podem nos fazer perder tempo, na edição de nós de um objeto com a ferramenta forma, o mesmo exemplo se repete, já que teremos que mudar de ferramenta para alterar o deslocamento.

Não seria muito mais fácil se tivéssemos a caixa de deslocamento sempre disponível? Não importando os objetos selecionados, a ferramenta selecionada etc.? Então vamos a configuração que vai nos poupar tempo e stress.

Como eu havia dito no começo deste post, os softwares nos permitem configurar a área de trabalho de uma maneira muito mais versátil, deixando-a do jeito que quisermos, inclusive permitindo salvar diferentes áreas de trabalho para cada tipo de serviço que precisarmos. No CorelDRAW não é diferente, então façamos o seguinte.

Observação importante!

Para evitar problemas com suas configurações padrão de área de trabalho, salve-a antes de executar o que descrevo abaixo. Você pode fazer isto acessando o menu Ferramentas> Opções, na opção lateral “Área de trabalho” clique no botão “Novo” e proceda como se fosse salvar um documento, defina o nome “Padrão” e pronto. Pode prosseguir! Caso algo não fique como deseja pode apenas restaurar sua área de trabalho novamente abrindo-a pelos mesmos comandos.(Veja a imagem abaixo)

Para evitar problemas com suas configurações padrão de área de trabalho, salve-a antes de executar o que descrevo abaixo. Você pode fazer isto acessando o menu Ferramentas> Opções, na opção lateral “Área de trabalho” clique no botão “Novo” e proceda como se fosse salvar um documento, defina o nome “Padrão” e pronto. Pode prosseguir! Caso algo não fique como deseja pode apenas restaurar sua área de trabalho novamente abrindo-a pelos mesmos comandos.(Veja a imagem abaixo)

Depois de nos precavermos, seguimos…

Abra seu programa (é importante ter uma nova página em branco para vermos todas as ferramentas ativas) e acesse o menu Ferramentas> Personalização.

Abra seu programa (é importante ter uma nova página em branco para vermos todas as ferramentas ativas) e acesse o menu Ferramentas> Personalização.

Então você vera a mesma janela que configuramos no artigo passado, porem, diretamente na parte que precisamos, personalização.

Então você vera a mesma janela que configuramos no artigo passado, porem, diretamente na parte que precisamos, personalização.

Nas opções à esquerda, selecione a primeira opção, Barras de comandos.

Nas opções à esquerda, selecione a primeira opção, Barras de comandos.

Aqui você pode selecionar algumas opções referentes a aparência dos menus, adicionar alguns menus padrão marcando as pequenas caixas de seleção. Não vamos mudar nada nesta tela.

Volte ao menu lateral e clique na segunda opção “Comandos”.

Volte ao menu lateral e clique na segunda opção “Comandos”.

É aqui que encontramos a mina de ouro das personalizações mais uteis do programa. Nesta janela podemos adicionar ou retirar opções de nossa área de trabalho sem nenhuma complicação, definir posições para novas ferramentas e atribuir teclas de atalho para qualquer ferramenta ou comando do programa. Vamos adiante, e vou lhe guiar pelas configurações, e mostrar as que eu uso em meu fluxo de trabalho.

Em primeiro lugar você deve visualizar uma extensa lista de comandos na parte central da janela.

Em primeiro lugar você deve visualizar uma extensa lista de comandos na parte central da janela.

Você pode selecionar que comandos deseja exibir clicando no menu suspenso.

Você pode selecionar que comandos deseja exibir clicando no menu suspenso.

E também pode localizar um comando rapidamente clicando no pequeno binóculo ao lado do menu suspenso.

Uma maneira muito mais fácil de localizar um comando nesta lista, caso este já pertença a área de trabalho, é dar um clique sobre ele. Vamos usar a caixinha de deslocamento como exemplo, já que ela já faz parte da área de trabalho, mas precisamos dela disponível quando mudarmos de ferramenta.

Então com o mouse, clique sobre a caixa de deslocamento, na área de trabalho, e observe que ela é automaticamente localizada na lista de comandos.

Então com o mouse, clique sobre a caixa de deslocamento, na área de trabalho, e observe que ela é automaticamente localizada na lista de comandos.

Depois de localizarmos a ferramenta na lista de comandos, o que precisamos fazer é clicar sobre este item da lista e arrastá-lo para fora da janela, “jogando-o” dentro da área de trabalho do CorelDRAW.

Depois de localizarmos a ferramenta na lista de comandos, o que precisamos fazer é clicar sobre este item da lista e arrastá-lo para fora da janela, “jogando-o” dentro da área de trabalho do CorelDRAW.

Depois de localizarmos a ferramenta na lista de comandos, o que precisamos fazer é clicar sobre este item da lista e arrastá-lo para fora da janela, “jogando-o” dentro da área de trabalho do CorelDRAW.

Pronto, temos uma nova ferramenta flutuando em nossa área de trabalho, agora posicione esta nova caixa sobre as barras superiores ou inferiores do programa, eu prefiro acima, pra não me confundir e encontrá-la mais rapidamente.

Pronto, temos uma nova ferramenta flutuando em nossa área de trabalho, agora posicione esta nova caixa sobre as barras superiores ou inferiores do programa, eu prefiro acima, pra não me confundir e encontrá-la mais rapidamente.

Isto fará com o controle de deslocamento fique sempre disponível, mesmo quando você tiver um objeto selecionado ou trocar de ferramenta.

Você também pode adicionar o controle de unidades de medida, executando os mesmo passos mostrados acima.

Você também pode adicionar o controle de unidades de medida, executando os mesmo passos mostrados acima.

Desta forma, você não precisará retirar a seleção dos objetos apenas para mudar o deslocamento, basta digitar o valor na caixa e usar o deslocamento normalmente.

Economizamos bastante tempo não?

Além de podermos adicionar novas ferramentas, podemos mexer em toda a caixa de ferramentas do CorelDRAW, trocar os botões de posição, excluir as ferramentas que não precisamos e assim por diante, basta manter a janela de opções aberta enquanto você usa o mouse para bisbilhotar e reconstruir sua área de trabalho. Clicando e arrastando você pode deslocar as ferramentas, e ao puxar uma destas para fora da caixa de ferramentas elas são eliminadas.

Além de podermos adicionar novas ferramentas, podemos mexer em toda a caixa de ferramentas do CorelDRAW, trocar os botões de posição, excluir as ferramentas que não precisamos e assim por diante, basta manter a janela de opções aberta enquanto você usa o mouse para bisbilhotar e reconstruir sua área de trabalho. Clicando e arrastando você pode deslocar as ferramentas, e ao puxar uma destas para fora da caixa de ferramentas elas são eliminadas.

Vamos usar ainda a janela de comandos para personalizar outras opções.

Você já pode ter notado que a grande maioria das ferramentas tem um atalho de teclado atribuído. Converter em curvas pode ser acionado com o [CTRL+Q], a ferramenta zoom pode ser acionada pressionando a letra [Z] e assim por diante. Porem uma das ferramentas que eu mais uso não vem configurada com uma tecla de atalho, que é a ferramenta Bézier, que pra quem não sabe é a ferramenta usada para desenhar segmentos curvos ou retos com maior facilidade e precisão.

Para atribuirmos uma tecla de atalho para qualquer ferramenta é muito simples. Primeiro temos que selecionar a ferramenta na lista de comandos.

Para atribuirmos uma tecla de atalho para qualquer ferramenta é muito simples. Primeiro temos que selecionar a ferramenta na lista de comandos.

Para atribuirmos uma tecla de atalho para qualquer ferramenta é muito simples. Primeiro temos que selecionar a ferramenta na lista de comandos.

E em seguida selecionamos a guia “Teclas de atalhos” logo ao lado.

E em seguida selecionamos a guia “Teclas de atalhos” logo ao lado.

Como você pode perceber a ferramenta selecionada não apresenta nenhuma tecla atribuída, para adicionar uma nova tecla, basta clicar na caixa “Nova tecla de atalho” e pressionar a tecla ou a combinação desejada.

Como você pode perceber a ferramenta selecionada não apresenta nenhuma tecla atribuída, para adicionar uma nova tecla, basta clicar na caixa “Nova tecla de atalho” e pressionar a tecla ou a combinação desejada.

Eu uso a letra [Q] pois fica muito próxima dos meus dedos (e olha que são grandes), então basta pressioná-la para ativar a ferramenta. Depois disso basta clicar em atribuir para confirmar a adição da tecla de atalho.

Eu uso a letra [Q] pois fica muito próxima dos meus dedos (e olha que são grandes), então basta pressioná-la para ativar a ferramenta. Depois disso basta clicar em atribuir para confirmar a adição da tecla de atalho.

O mesmo recursos pode ser usado para comandos acionados através de menus, observem.

O mesmo recursos pode ser usado para comandos acionados através de menus, observem.

Vamos atribuir um atalho de teclado para a o recursos localizado em Editar> Localizar e substituir> Localizar texto. Devemos localizar o comando, seja clicando sobre ele como mostra a imagem acima ou pesquisando diretamente na janela de comandos.

Vamos atribuir um atalho de teclado para a o recursos localizado em Editar> Localizar e substituir> Localizar texto. Devemos localizar o comando, seja clicando sobre ele como mostra a imagem acima ou pesquisando diretamente na janela de comandos.

E em seguida atribuir a combinação de teclas desejada.

E em seguida atribuir a combinação de teclas desejada.

E em seguida atribuir a combinação de teclas desejada.

Eu uso o [CTRL+SHIFT+F] para localizar textos porque o [CTRL+F] já vem definido para localizar objetos, mas eu poderia inverter isso se eu quisesse.

Assim basta pressionar o atalho que eu mesmo defini para abrir a caixa de pesquisa de texto mais facilmente e economizar tempo. (Legal hein gente?)

Depois que você terminar de brincar com as opções desta magnífica janela, pode partir para as próximas dicas!

Não fique preocupado se sua área de trabalho parecer bagunçada. Depois de alterar sua área de trabalho você pode salvá-la, abri-la e até mesmo excluí-la, você também pode retornar as configurações iniciar deixando-a novinha em folha. Para isso, na janela de opções, selecione o item “Área de trabalho” no menu lateral e salve, carregue ou exclua suas áreas de trabalho. Caso precisa mudar muitas vezes de área de trabalho, pode marcar a pequena caixa abaixo para selecioná-las toda vez que iniciar o programa.

Não fique preocupado se sua área de trabalho parecer bagunçada. Depois de alterar sua área de trabalho você pode salvá-la, abri-la e até mesmo excluí-la, você também pode retornar as configurações iniciar deixando-a novinha em folha. Para isso, na janela de opções, selecione o item “Área de trabalho” no menu lateral e salve, carregue ou exclua suas áreas de trabalho. Caso precisa mudar muitas vezes de área de trabalho, pode marcar a pequena caixa abaixo para selecioná-las toda vez que iniciar o programa.

Pode encerrar a janela clicando no OK ou no “X”.

Uma configuração que também gosto de abordar é a da caixa de cores. Você sabe que pode de mover a caixa de cores para onde quiser, a adicionar mais caixas caso seja necessário (Veremos isto mais adiante), mas uma coisa bem legal é que você pode configurar a caixa de cores padrão para mostrar um numero maior de cores de uma só vez. Então para finalizarmos a postagem de hoje, e deixar nossa área de trabalho pronta, vamos lembrar como a caixa de cores é disposta.

Uma configuração que também gosto de abordar é a da caixa de cores. Você sabe que pode de mover a caixa de cores para onde quiser, a adicionar mais caixas caso seja necessário (Veremos isto mais adiante), mas uma coisa bem legal é que você pode configurar a caixa de cores padrão para mostrar um numero maior de cores de uma só vez. Então para finalizarmos a postagem de hoje, e deixar nossa área de trabalho pronta, vamos lembrar como a caixa de cores é disposta.

Consegue ver a pequena caixa de cores do lado direito do programa? Então, ela é de apenas uma fileira, e mostra um pequeno numero de cores se comparado a como podemos expandi-la.

Na parte superior da paleta de cores temos uma pequena seta.

Na parte superior da paleta de cores temos uma pequena seta.

Clique nesta seta e verá um menu com várias opções. Para expandirmos nossa paleta aponte para a opção “Fileiras” e selecione 3 linhas.

Clique nesta seta e verá um menu com várias opções. Para expandirmos nossa paleta aponte para a opção “Fileiras” e selecione 3 linhas.

Pronto, agora você tem todas as cores da paleta visíveis.

Pronto, agora você tem todas as cores da paleta visíveis.

Eu prefiro assim, porque me faz poupar mais alguns segundos para selecionar uma cor padrão.

Ufa, terminamos! Por hoje é só gente, não percam as próximas postagens desta série que ficará cada mais interessante, estamos apenas começando! Abaixo voce pode ver um vídeo com as configurações que estudamos hoje. Dêem uma forcinha clicando em “Gostei” e Assinando meu canal.

Aproveite para seguir o Cardquali no twitter, facebook ou google+, assim você fica por dentro das novidades, e acompanha os melhores links do blog. Você também pode assinar nosso feed de notícias e receber todas as atualizações de maneira exclusiva.

Ia esquecendo, visitem o Clubedodesign.com e companhem muito tutoriais de vários programas do mundo do design.

Você pode gostar também de:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 0 Flares ×

13 comentários

  1. Pingback: Desvendando os recursos do CorelDRAW | Parte 1 | Configurações iníciais

  2. Pingback: Desvendando os recursos do CorelDRAW | Parte 3 | Navegação mais rápida e precisa

  3. Nilson

    Olá, sempre trabalhei com o corel, desde o primeiro… e gosto de ter a barra de status no topo da página.

    Não encontrei nenhuma forma de mudar a posição que está na parte inferior e colocar no topo..

    tem alguma forma?

  4. charles

    Grande Liute, mais uma vez meus parabéns por mais esse tutorial. Estou com um problema parceiro, na área superior onde tenho a opção de inserir medidas em algum objeto no corel simplesmente não obedecem meus comandos e não consigo alterar as medidas do objeto. A caixa até aceita que eu edite, porém na hora de aplicar ele volta as medidas que estão. Como faço para resolver isso, você pode me ajudar?

  5. Nilson Franco

    Parabéns pela matéria bem detalhada e Parabéns pelo blog.
    Como você eu também trabalho com o Corel desde as primeiras versões dos anos 90 e lá vai cafunga!
    Vimos muita coisa mudar, muita coisa melhorar, recursos que foram sendo implementados e melhorados a cada nova versão mas…
    Esse pessoal da Corel atualiza, mexe remexe e entretanto, nunca mexeram num ponto decente para a maioria de nós usuários antigos, com as vistas cansadas de tanto ficar horas a fio com aquela tela em background branco da área de trabalho!
    Já viste a interface do pacote CC da Adobe, mais especificamente o Photoshop e Illustrator? Que interface bonita em background escuro! Aquilo que é interface gráfica de trabalho!
    O corel permite mexer algumas coisas como contraste da barra de menus, fundo solido da página mas… e a área de trabalho ao redor da página? Continua sempre branca…

    • OI,
      Pessoalmente eu prefiro o brancão do que o escuro.
      Não cheguei a fuçar a fundo, mas no corel X7 pelo menos pode-se mudar a aparencia dos menus para parecer o adobe Ilustrator… vê se agrada essa mudança… fica na tela de boas vindas dele… ultima opção.
      Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *