Usando minha Canon MB 5310

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 2 Flares ×

Eu sempre procuro passar boas dicas sobre equipamentos aqui no blog. Mas nem sempre temos a oportunidade de experimentar essas dicas. Dessa vez eu comprei uma Canon MB 5310 e constatei por mim mesmo as vantagens dessa impressora. Vamos a essas considerações?

Porque comprei a Canon MB 5310

Antes de mais nada, por quê a compra de uma impressora jato de tinta, de preço relativamente baixo e que só imprime A4?

Quem me acompanha aqui no blog já deve ter notado que foco minhas recomendações em poucas impressoras, a citar, As laser usadas Ricoh aficio e konica minolta, a HP pro X de todos os tipos, a HP 7612 A3, a Canon MB 5310 e as impressoras epson com bulk.

canon MB5310 com bulk-ink instalado

Para cada uma dessas impressoras eu destaco um produto que elas atendem melhor. A Ricoh aficio e Konica Minolta, usadas, devido ao custo relativamente acessível para laser coloridas A3 e baixo custo de impressão com qualidade quase similar a offset. As HP pro X para impressões A4 em alta velocidade para panfletos baratos e apostilas. A HP 7612 A3, como opção de copiadora A3 para pequenas gráficas e bureaus que não requerem altas tiragens. Impressoras Epson com bulk, voltadas para sublimação. E a Canon MB 5310 com bulk instalado, como opção barata à HP pro X, com velocidade intermediária.

Até aqui eram indicações feitas a partir de pesquisas na web e em vídeos e comentários de nossos leitores.

Com a quebra de minha epson 355 me vi forçado a compra de novo equipamento para atender o meu dia-a-dia e por isso decidi seguir meus próprios conselhos e adquiri a Canon MB 5310 que vem sendo fortemente aconselhada pela Mundo Collor, que é uma empresa séria que apresenta muitos vídeos para a Canon e para a HP pro X.

E com isso fiz a compra da Canon MB 5310 na Kalunga por menos de R$ 600 (hoje já subiu para uns R$ 750), um bulk comprado no mercado livre no Espirito Santo na Fares Print (genérico importado) e a tinta pigmentada oferecida pelo Mundo Collor e comprada numa revenda deles no Rio Grande do Sul (DGImport – eles envasam a tinta em quantidades menores). Todos esses representantes já vinham sendo aconselhados no campo de comentários. O Bulk só não foi adquirido na Mundo Collor devido a não terem em estoque por estarem em transição a um de fabricação própria, que é o que eu aconselho aos leitores.

Considerações iniciais sobre a máquina

A instalação da máquina foi feita diretamente com o bulk e tinta comprados, sem usar a tinta original… com isso não foi necessário fazer a limpeza na cabeça para troca de tinta e outros problemas. Usei a tinta pigmentada por um dos meus objetivos é ter impressões resistentes a água.

A instalação do bulk foi feita após ver uns 4 vídeos no youtube. Cada um cometia um pequeno erro no procedimento, mas através dos vários vídeos pude fazer o melhor procedimento em cada caso e em apenas 15 minutos estava com o bulk instalado (para minha surpresa). Não furei a impressora para passar as mangueiras e posso retornar ela ao original sem problema algum. Os chips foram retirados do cartucho original em segundos e fixados nos cartuchos do bulk com jeitinho e uso de um ferro de soldar para aquecer os pinos de plástico. A mangueira seguiu o prumo correto e foi fixada aos cartuchos após passar a mesma, evitando malabarismos. Não retirei nenhuma peça da impressora. Retirei o ar do cartucho com uma seringa com paciência e fixei eles no local correto um a um mexendo a cabeça no local correto como se estivesse colocando os cartuchos originais… ou seja não alterei nada na impressora.

Depois de alguns ajustes e limpeza na cabeça a mesma estava funcionando sem problema e apenas alguns dias depois tive que levantar um pouco a posição do bulk para facilitar a passagem da tinta (esta ficando com umas bolhinhas no tubo da tinta preta). Hoje funciona tudo perfeitamente.

Fiz testes com diversos papeis. No papel comum ela apresentou impressão bem superior a que estava acostumado na epson 355. Testei com papel fotográfico, que estão falando por aí que não funciona com tinta pigmentada, mas para minha surpresa obtive no glossy brilho impressões bem superiores a que estou acostumado em offset passando com louvor no teste.

A maior surpresa foi no uso do papel HP 75 g e 90 g. A qualidade de impressão nele ficou similar a um papel fotográfico fosco, muito superior a apresentada no papel chamex.

canon MB5310 teste de impressão

Continuo testando papeis procurando papeis comuns que apresentem a mesma característica do papel HP, mas ainda não cheguei a bons resultados (estamos falando de qualidades muito boas a ótimas, tá ok?).

A velocidade dela é muito boa. A partir do meu micro velho e sem memória obtive impressões que chegavam a 5 paginas por minuto aproximadamente. A surpresa foi no uso da função copiadora. Usando uma página em papel fotográfico glossy brilho como original (impressa nela mesmo) obtive cópias que saiam a cerca de 8 paginas por minuto com qualidade superior a impressa nela mesma via cabo. Isso permitiu fazer panfletos baratos e de modo relativamente rápido.

Fiz também impressão de talão de pedido, numerado, a partir do corel, colorido, mas com cores suaves, em papel autocopiativo. O registro foi perfeito em quase todas as folhas. De 1000 folhas impressas, apenas 30 folhas saíram de registro devido a grudarem folhas seguintes (essas folhas são bem finas e difíceis de trabalhar). Apesar do papel ser complicado ela se saiu muito bem… usei folhas no formato oficio 9 (215x315mm) e tive que configurar como personalizado nela. O principal: O cliente adorou!

Para que usar essa máquina?

No texto acima já dei 2 possíveis usos a ela.

Para quem não tem os R$ 3 mil ou mais para comprar uma HP pro X e ainda tem volume pequeno de venda, uma impressora dessa permite começar a atender um nicho de serviços que anda meio órfão.

Com o bulk conseguimos custos de impressão A4 menores do que uns R$ 0,03 por folha permitindo oferecer o milheiro de panfleto A4 por cerca de R$ 40 tendo um bom lucro. A qualidade rivaliza de perto numa impressão offset em papel sulfite. Eu comparei com meu produto em offset em sulfite 63 g e achei a qualidade da Canon superior. A carga de tinta é maior e mais penetrativa, desaconselhando um pouco para impressões frente e verso. Mas para panfletos 4×0 de batida, rápidos, para clientes sem tempo de esperar, é o ideal.

Você conhece alguns desses clientes?

canon MB5310 - comparação com offset, glossy e sulfite HP

Os talões de pedidos numerados também são bem feitos nela. Imagine fazer em offset monocromática. Você prepara a maquina e imprime… em geral leva uns 30 minutos para uma tiragem pequena… depois vem o ajuste numa numeradora tipográfica que leva mais uns 60 minutos e depois a finalização. É um serviço sujo que exige preparo de maquina e limpeza… que opera offset sabe do que estou falando. Com a Canon você produz já numerado a uma taxa de 5 paginas por minuto… nos 90 minutos da offset cabem 450 impressões A4, o que dá 3 talões A4 50×3 cores ou 12 talões A6 50×3 cores… nada mal para uma impressorinha que custa menos de R$ 1 mil…imagine várias dessas operando ao mesmo tempo? Com quase o mesmo esforço!

Tenho que destacar também a impressão de apostilas. Vou aproveitar para destacar as qualidades do scaner dela para essa função. A Canon MB 5310 tem dois scanners. Um de vidro como visto em quase todas as maquinas e um que puxa as folhas uma a uma. A vantagem é que esse scaner superior que puxa as folhas scaneia automaticamente numa mesma puxada a frente e o verso da folha jogando direto para impressão. Se você tem um original impresso frente e verso com as folhas soltas, basta colocar no scaner superior, programar a copia e scaner para frente e verso e a quantidade de copias. O scaner trabalha a uma taxa maior que as 8 paginas impressas, calculei umas 12 paginas por minuto. Tudo que é scaneado vai para a memória e a impressora vai imprimindo, já com as paginas na posição correta até o término de todas as apostilas, ou seja, de um original podemos fazer mais de 50 cópias (não chequei o numero máximo de copias permitidas que o visor permite)… isso é uma grande ajuda para quem trabalha com apostilas, pois a impressora trabalha sozinha. Se comparar o custo de cópia, valor do equipamento com as copiadoras mais robustas e lembrando que se tratam de copias coloridas, teremos essa impressora com ótimo custo X benefício se comparada as copiados laser comuns… o custo dela colorido rivaliza com o custo da copiadoras monocromáticas e a velocidade não deixa a desejar. Posso até afirmar que uma bateria com diversas maquinas Canon é melhor investimento do que uma top de linha laser. A limitação é o tamanho da impressão A4… mas eu compraria sem pensar uma maquina dessas A3 quando disponibilizarem no mercado.

Por ultimo não podemos deixar de falar no uso dela como impressora para cartões de visita e produtos similares. Basta usar um papel fotográfico grosso glossy e terá um produto vendável para os apressadinhos. A offset terá vantagens evidentes, em especial quanto ao papel, mas para quem aparece na sexta a tarde chorando para ter o produto para o dia seguinte, ficará muito satisfeito com o resultado dessa maquina.

Cabe aqui um aviso que os vendedores de papel fotográfico tem alertado para problemas com tintas pigmentadas. Isso não ocorreu comigo aqui, mas deve ter uma relação com o tipo de tinta X velocidade X tipo de papel, que apresenta essa pecualidade… imagino estar mais relacionada as HP pro X que atingem grandes velocidades e usam tinta pigmentada de fábrica. Cabe fazer testes com varias marcas de tintas e papel para obter uma boa resposta ou usar a tinta corante, que apesar de sair com agua não apresentam esse problema… o papel se encarrega de fixar a tinta (papeis a prova dagua como são vendidos e eu já testei).

canon MB5310 - scaner superior frente e verso numa passada

Considerações sobre jato de tinta em geral

Eu já venho apontado a tempos a vantagem competitiva das impressoras jato de tinta em relação a offset. Já falei das Memjets, das HP pro X e é uma tendência cada vez maior as jato de tinta substituírem as offsets em vários campos.

Já percebemos algumas grandes mudanças. No campo das etiquetas já temos diversas maquinas Memjet substituindo a impressão offset e flexo gráfica. Essa tendência vem crescendo. Nos grandes formatos só se falam de impressoras jato de tinta, tanto com os plotters quanto com as Memjet de grande formato.

Ela já vem atacando pouco a pouco o mercado dos jornais, com impressoras de grande porte.

Agora a velocidade das HP pro X vem incomodando a offset. Já vem tomando o espaço das offset monocromáticas a algum tempo. Veja no mercado livre as ofertas de talões e se testar vai ver que boa parte deles já são feitos em jato de tinta.

Posso comparar essas tecnologias em diversos pontos:

  1. Velocidade

A velocidade da Jato de tinta já atinge o patamar de 70 paginas por minuto (diferentes entre uma e outra impressão). A offset atinge 140 paginas, mas devem ser exatamente iguais. Esse salto na velocidade da Jato de tinta já afetou muito as offsets monocromáticas A4 que tem velocidades de 7000 por hora (110 por minuto) e são bem mais difíceis de operar e mais caras.

Com o desenvolvimento da tecnologia no ritmo atual, em breve a offset terá muitas preocupações no futuro. Cabe salientar que a offset e similares fazem impressões do mesmo original e a jato de tinta podem diferenciar as páginas… o que faz uma grande diferença.

 

  1. Tamanho

As jato de tinta apresentam maquinas rápidas no tamanho A4 e em tamanhos maiores de 1 metro. Misteriosamente não chegaram no mercado maquinas no tamanho A3. Por que?

Aqui vai a teoria da conspiração. A HP colocou a impressora HP pro X a valores menores de R$ 1 mil e aparentemente se viu forçada a levantar os valores para a faixa dos R$ 4 mil. Não seria uma forma de proteger outros equipamentos maiores e mais caros, como a tecnologia laser e as impressoras HP índigo ou mesmo as offsets do mercado?

Vemos isso acontecendo na indústria elétrica, automotiva, petróleo e muitas outras. Por que não na área gráfica?

A verdade é que a tecnologia de impressão rápida A3 ou maior já existe e poderia ser aplicada hoje mesmo, mas vem sendo segurada pela indústria. Seria o fim da impressão offset .

Eles podem segurar algum tempo, mas não demora muito para alguém lançar ela.

A impressão maior que 1 metro já está no mercado, mas com um preço de equipamento ainda bem caro, como forma de proteger o mercado.

A Riso já tem equipamentos A3 no mercado, mas usa uma tinta proprietária que encarece o processo e por isso não incomodou de fato as grandes industrias.

Mas o tempo vai resolver esse impasse e em breve podemos fazer em nossos pequenos escritórios produtos como pastas e catálogos grandes.

 

  1. Papel

Você já percebeu a queda do valor do papel fotográfico no mercado? Eu lembro de uma folha A4 custando mais de R$1 por folha… hoje encontramos o mesmo papel por cerca de R$ 0,20 ou menos.

O processo de fabricação de uma folha couchê é bem parecido com o de uma folha glossy. Ambos são uma folha comum que recebem uma camada em 1 ou nas duas superfícies de uma material especial. No caso do couchê é uma “cola” que impermeabiliza a superfície. No caso do glossy é uma pasta absorvente que é aplicada.

O custo de produção é muito parecido. E por que o couchê é mais barato do que o glossy? Apenas devido a quantidade produzida!

A medida que cada vez mais pessoas vão comprando o glossy, vai abaixando o custo dele que não demorará muito a atingir o patamar do valor do couchê.

Parece que a HP já vem fazendo isso nos papeis dela e já atingiu valores próximos ao papel sulfite.

Vamos aguardar para ver o que acontece nesse campo… em breve aquela preocupação se a impressora tal e tal imprime no papel couchê vire coisa do passado, pois a qualidade de impressão jato de tinta no glossy equivale a impressão offset no couchê com verniz UV aplicado… já viu que é mais barato na jato de tinta do que na offset? Só precisamos resolver aquele probleminha da folha dar uma leve curvada e a jato de tinta passa a ter vantagem no processo.

 

  1. Tinta

Outro entrave é a tinta da jato de tinta em relação a tinta offset. Em parte a tinta pigmentada resolve essa diferença.

O mercado ainda é focado na tinta corante, que apresenta a peculiaridade de sair fácil do papel e desbotar com o tempo. Mais uma vez vem aqui a teoria da conspiração, que procura defender os interesses das grandes corporações em detrimento da maioria da população.

Mas cada vez mais maquinas vem utilizando a tinta pigmentada e cada vez mais começa a haver uma aproximação da impressão jato de tinta da impressão offset.

Vamos aguardar para ver.

Conclusão

A conclusão que chego é que estou no caminho certo. Ao montar minha pequena gráfica estou terceirizando a produção nos grandes distribuidores para obter o melhor possível da impressão offset, sem investir diretamente em equipamentos.

Em paralelo estou investindo na tecnologia mais promissora da atualidade, de olho em fazer mercado para uma impressora HP pro X no futuro. Quem sabe já no tamanho A3?

Espero que sigam meus conselhos. O padrão de mercado hoje é impressão em couchê, mas isso pode mudar para outro tipo de impressão dependendo da oferta que é feita.

Para quem é novo no mercado, invistam nessa tecnologia.

Para quem está sofrendo com suas offsets monocolor, olhem de perto os grandes ganhos que podem ter com a tecnologia jato de tinta, em especial quanto a quantidade de funcionários que vem a ter e a produtividade.

Espero que tenham gostado de mais essa postagem.

Até breve!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 2 Flares ×

44 comentários

  1. Gean Batista

    Olá Paulo, primeiramente parabéns pelo post, acompanho o blog já tem uns 11 meses, já li e reli várias de suas publicações e os comentários( perguntas e respostas) me ajudam demais.
    Desde minha adolescência sempre gostei de trabalhar com artes, mexer no photoshop, corel draw, etc… Cheguei a ter um site desenvolvido por mim para minha cidade no interior do estado de MT, site de noticias, eventos, classificados, guia da cidade e outros… ficou no ar durante 5 anos, parei porque vim embora para Cuiabá trabalhar como assessor de imprensa de um deputado estadual.
    Perdemos a eleição em 2014, fiquei desempregado em fevereiro de 2015 e no desespero acabei investindo em uma empresa de lavagem a seco de veículos, não deu certo, fechamos as portas em Setembro de 2015, porém no dia 05 de Outubro de 2015 depois de uma noite mal dormida, mas cheia de idéias, abri minha empresa de personalizações, em casa mesmo, somos a Infinity Personalizações – Brindes, Gráfica e Serigrafia e estamos muito bem obrigado. Tercerizo toda minha produção gráfica, tenho apenas uma Epson 365 com tinta pigmentada para personalização de pulseiras tyvek, convites, scraps, etc. Nosso forte é a personalização de camisetas, copos, taças, baldes de gelo e canecas, tudo de acrílico e personalizados em silk.
    Descrevo minha história, pois tenho certeza que outras pessoas devem estar na mesma situação que eu estava hà 10 meses atrás, cheio de dúvidas, incertezas, inseguro, sem saber se meu negócio iria ou não pra frente, eu tive como inspiração vários comentários daqui do blog, dizendo para arriscarmos, irmos em frente, e esses comentários e suas publicações que me deram coragem e hoje eu posso dizer que sou um vencedor, graças a Deus e graças a você e seu blog.
    Muito Obrigado!!!
    Não podia escrever este comentário sem deixar uma pergunta à ti, estou prestes a dar um grande passo, como disse, hoje trabalho em casa, não tenho nem escritório, atendo na minha sala; Surgiu uma oportunidade de montar minha empresa em um box de um shopping popular daqui de Cuiabá, esse shopping popular é muito bem organizado, tem um grande publico e não tem nada do tipo instalado lá, queria saber da sua opinião.
    Minha ideia é continuar terceirizando grandes tiragens e eu mesmo fazer pequenas tiragens, tirar xerox, impressão de boletos e outros, além de oferecer serviço de personalização de camisetas, canecas, almofadas, capinhas, etc na sublimação e fazer de lá meu balcão de retirada de produtos personalizados em silk.
    Meu investimento seria nas prensas térmicas, impressora à laser(me indica alguma?), guilhotina e plastificadora.
    A impressora Epson iria mudar a tinta para sublimática e a laser para fazer os outros serviços.
    O que acha?

    • Thiago C

      Sempre acompanho o que sai por aqui mas nunca comentei nada (desculpa Paulo!), mas depois do que li tenho que agradecer a você Gean, pois estou na mesma situação sua em 05/10/2015: desempregado, casado, pai e capaz de fazer trabalhos que agradam e inspiram elogios.

      O que falta? Não sei, mas o que sobra são incertezas, insegurança, dúvidas e mais dúvidas em gastar o pouco dinheiro que tenho (emprestado) para alavancar o meu trabalho. Também terceirizo as grandes tiragens, mas vejo mercado em minha cidade (interior do RJ) para pequenas impressões e recorte eletrônico (placas de PVC com vinil, vitrines, adesivos, etc… Mas o que tenho não banca estes dois serviços e aí não consigo tomar decisão. Sua história chegou na hora certa, ou chuto para o gol ou outro vem e chuta.

      • Paulo Valle
        Author

        Thiago,
        Começa pequeno como eu testando o mercado.
        Meu caso é parecido com o seu… só tenho mais experiencia na produção do que você… mas também venho de uma perda de emprego, e de grandes dívidas (tá tudo aí pelo blog).
        Também tenho uma soma de dinheiro de ajuda de familiares para eu tentar crescer… mas só dá para complementar a renda mensal que preciso.
        Quebrou minha epson velha… aproveitei e fiz um pequeno investimento numa canon MB 5310 e uma guilhotina usada.
        Já apareceu um serviço de talões, umas pequenas impressões e só agora o meu anuncio de panfletos começa a dar resultado… as coisa não acontecem correndo… elas chegam aos poucos.
        Pelo andar da carruagem a tendencia é de pagar esse meu investimento aos poucos… ele crescendo eu devo ir para uma HP pro X ou abrir um leque em sublimação… aos poucos… por ultimo penso em abrir uma sala ou loja… preciso fazer um pe de meia antes para segurar essa estrutura.
        Faça o mesmo… de passos pequenos.
        Te garanto que aquele megaempresario não sabia onde iria chegar… ele deu passos pequenos, um de cada vez e chegou onde chegou.
        Prepara o terreno e começa a fazer isso… controla os gastos e mantem eles a rédeas curtas… sem a tentação de aumentar abruptamente os gastos… seria muito bom crescer conseguindo ganhar cada vez mais… mas na verdade o gastar menos ajuda muito mais no crescimento.
        E quanto a questão do outro chutar… quem levanta a cabeça e olha todas as possibilidades chega no melhor resultado.
        Um grande abraço,

        • Thiago C

          Obrigado Paulo pelas orientações e por ter compartilhado sua experiência. Certamente colocarei em prática muita coisa que li aqui e em breve espero compartilhar a minha jornada. Abraço!

          • Gean Batista

            Thiago, vá em frente meu amigo e coloque Deus a frente de tudo!
            Pra quem estava no fundo do poço igual eu estava há 10 meses atrás, a única opção era subir.
            Comece pequeno, em sua casa mesmo, se for comprar algo parcele em quantas vezes puder (foi isso que fiz), tercerize tudo o que puder por enquanto e comece a oferecer seus serviços para amigos e familiares, crie uma pagina no facebook e instagram isso ajudará e muito na divulgação de seus serviços.
            Não se arrependa daqui um ano, de algo que você poderia ter começado hoje.
            Abraço e sucesso!

            • Paulo Valle
              Author

              Isso que você falou da divulgação de boca a boca e nas redes sociais é muito importante mesmo.
              E esse passo inicial também é muito importante… mesmo que seja feito bem pequenino e seguro.
              Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Gean,
      Esse seu passo tem que ser analisado sob varios aspectos.
      O mais importante e que não vi nas suas preocupações é a questão de dinheiro para o fluxo de serviço… ou seja, você vai abrir o stand, vai ter alguns custos com legalização, montagem da área de atendimento (fixos e uma vez só) e alguns que te acompanharão ao longo dos demais meses, como aluguel, telefone, luz, etc. Não vai ter uma mágica que você abra o negócio e ele imediatamente pague seus custos… isso leva um tempo… então você precisa ao menos ter em reservas $$$ o suficiente para pagar esses custos por uns 6 meses (ou mais), além da grana da montagem e da grana para te sustentar.
      Uma das coisas que vai sentir é que vai sempre aparecer uma ou outra pessoa para perguntar algo para você e nem sempre será venda… e com isso a sua produtividade vai cair inicialmente… pode ser até que ganhe menos do que está ganhando hoje (com menos interrupções).
      A médio prazo, a tendencia é manter os contatos antigos, fazer novos contatos e pegar uma demanda por impulso que passa na frente da lojinha fazendo pedidos… e isso é bom.
      O problema é o durante… até chegar a esse ponto… por isso a necessidade das reservas financeiras.
      Assim o meu conselho é Vá em frente, mas tenha as reservas antes. Caso esteja muito apertado, começa a se equipar pensando numa futura nova oportunidade e cria o ambiente para fazer essa transição segura.
      Você pode até não seguir o meu conselho, abrir na cara e coragem, e se dar bem… acontece algumas vezes… mas a maior possibilidade é da pessoa dar um passo maior do que o pode e se encrencar (por isso um grande numero de pequenas empresas quebram).
      Não vou nem citar nesse momento os equipamentos a comprar… se você garantir que eu te falei e ir comprando novos equipamentos mês a mês com parte dos ganhos poderá crescer rapidamente… mas precisa garantir os primeiros meses com dinheiro para fluxo.
      Estou aqui para conversarmos mais.
      Um grande abraço.

      • Gean Batista

        Então mestre sobre a legalização e afins eu já tenho uma MEI aberta e a tendência por enquanto é continuar com a mesma, o meu custo fixo com a loja será de R$1.300, aluguel, energia, taxa de condomínio, etc… farei o investimento de uns R$2.000 com a estrutura(balcão, expositores, fachada, etc), como o shopping foi recém inaugurado a estrutura da loja está nova!
        Tem os equipamentos, como disse irei adquirir uma prensa plana, uma prensa para canecas e uma outra impressora, andei dando uma pesquisada e acredito que irei trabalhar com sublimação e não com transfer como estava pensando.
        (Se alguém puder me indicar alguma prensa plana e cilíndrica agradeço)
        A impressora irei trabalhar com a HP Pro x que você tem indicado aqui no blog, pois irá conseguir atender a demanda com a qualidade e velocidade que preciso, além da vantagem de imprimir em várias gramaturas de papel pelo o que tenho pesquisado.
        Pretendo inaugurar no dia 19 agora, mais pra frente conto mais sobre minha experiência pra vocês!
        Que Deus nos abençoe!

        • Paulo Valle
          Author

          Gean,
          Boa sorte na sua empreitada. Me pareceu estar fazendo as coisas de forma segura.
          Quanto aos equipamentos de sublimação, dá uma entrada no portal sublimatico (www.portalsublimatico.com.br) e pagina do youtube deles… eles falam muita coisa sobre sublimação e podem fazer boas indicações de equipamentos… ele tem também um curso presencial que me parece muito bom… aqui no blog tem também alguns cursos que oferecemos pro pessoal com custo relativamente baixo (não presenciais).
          No mais estarei aqui para ajudá-lo com o que for possível.
          Abraços,

  2. Marcel

    Olá Paulo, tudo bem? Tenho duas dúvidas quanto a essas impressoras pequenas que utilizam a tinta pigmentada…

    1) Certa vez fui em uma loja para ver a qualidade de impressão da Prox451 com tinta pigmentada, mas me decepcionei porque achei a impressão muito lavada, posso ter tido essa impressão por causa do tipo de papel utilizado? Ele utilizou um tal de papel monolucido. Tenho uma pequena gráfica e quero substituir uma riso, mas meu volume p/ ela atualmente é baixo, por isso não exijo a velocidade de grandes tiragens…acha que eliminando os fatores velocidade e a limitação do tamanho A4 é uma boa troca?

    2) Essas impressoras, (5310 e Pro x 451) fazem impressão em envelopes??? Sabe me informar qual o tamanho máximo?

    Uma terceira dúvida que me ocorreu agora é quanto a diferença entre essas duas impressoras (Canon 5310 e HP Prox451), está apenas na velocidade de impressão???

    Obrigado e parabéns pelo blog!
    Abraço,
    Marcel

    • Paulo Valle
      Author

      Marcel,
      A minha impressão na Canon MB 5310 fazendo umas 5 paginas por minuto a partir do micro, fica com qualidade quase igual ao meu produto em offset em papel sulfite 63 g… arrisco até a dizer que no papel da HP fica melhor. Ela perde um pouco para impressões frente e verso pois o papel encharca mais.
      Eu já vi a impressão da 451 e era exatamente igual a da minha canon (só que mais rápida).
      Eu desconfio que estavam testand=o algum papel impróprio e o resultado não foi bom… na verdade acho que manchou… devia ser um couchê ou papel parecido e realmente fica ruim em qualquer jato de tinta.
      A sua Riso é duplicador ou é impressora digital dessas coloridas? Se for das coloridas vale ressaltar que a riso é A3 e essas impressoras aqui são A4… isso é uma boa diferença.
      Se for duplicador a jato de tinta terá uma imensa vantagem, pois é colorida e tem custo parecido hoje em dia usando o bulk.
      As jato de tinta imprimem envelope sim… todas as duas. A largura maxima é de 210 ou 215 mm dependendo da maquina (a canom vai até oficio e a pro x até A4 pelo que sei). A qualidade de impressão é igual nas duas… a diferença é insignificante se houver. A velocidade é a grande diferença.
      Eu colocaria a canon como porta de entrada para no futuro investir na pro X quando houver um mercado já formado.
      Um grande abraço,

  3. ana paula

    Ola paulo, acompanho seu blog a um tempo acho massa!!

    Voce tem indicaçao aonde fazer talao de pedido mais barato para a revenda? sou do rio
    se tiver on line com retirada seria muito bom

    • Paulo Valle
      Author

      Ana Paula,
      Eu faço com a Grafica Oasis em Santa Cruz… mas o pessoal do Rio ainda não se tocou que precisa otimizar sua produção para baratear a mesma.
      Pelo Mercado Livre tem um povo oferecendo talões por um preço bem legal.
      Eu fiz no outro dia um serviço de talão impresso na minha jato de tinta e ficou bem legal… pretendo continuar a fazer, mas no momento o meu espaço físico deixa as coisas meio complicadas e minha guilhotina está cega no momento (senão eu oferecia esse serviço para você).
      Cata lá no mercado livre que vai encontrar bons valores.
      Pode tentar no Rio também… entra no google e digita gráfica Rio de Janeiro e vai aparecer um mapa… amplia na sua região e vai aparecer indicado todas as gráficas que colocaram seus anuncios no google negócios na sua região… visita eles e pede preço para revenda… vai encontrar pessoas que vão olhar de cara feia e pessoas que vão te atender muito bem… começa a trabalhar com aqueles que te atendam bem… afinal todo mundo deseja conseguir serviço, não é?
      Abraços,

  4. Bruno

    Paulo, para impressão de Cartão de visitas em 300g qual máquina você indicaria?

    Obrigado pela ajuda e informações no blog, ajuda bastante a gente.

    Abraços

      • Paulo Valle
        Author

        As laser de produção da Ricoh e Konica Minolta se aproximam da qualidade, mas estão muito longe em custo.
        Eu passo o milheiro de cartão offset para minhas revendas a R$ 23,30… com verniz UV total… fazendo nessas maquinas vai ter um custo de R$ 34 só em papel e toner e não vai entregar com verniz UV, fora o trabalho.
        Se o objetivo é concorrer com as distribuidoras não vale a pena… o objetivo na aquisição de um equipamento desses deve ser atender baixas tiragens e serviços rápidos cobrados mais caros.
        ok?

    • Paulo Valle
      Author

      Bruno,
      Eu indico terceirizar a impressão… eu mesmo tenho preço para revendas.
      Comprar uma maquina jato de tinta ou laser pode até ajudar a atender serviços rápídos e que não exijam grande qualidade, mas dificilmente se atinge a qualidade que os grandes distribuidores tem com suas offsets de mais de 1 milhão de reais. Senão estariamos cheios de distribuidores falidos por falta de serviço.
      Eu uso uma canon MB5310 e imprimo em papel fotografico 240 g nela… atende o apresadinho, mas nem chega aos pés do serviço que eu terceirizo aqui.
      Lembrando que eu cobro no cento dessa maquina mais do que o milheiro feito em offset para valer a pena o trabalho… é pro apressadinho mesmo que aparece nas sextas precisando do serviço para sabado de manhã.
      Abraços,

  5. Fernanda

    Boa tarde, Paulo. Gostaria de saber se a impressão da MB5310 é boa com o cartucho original? Me refiro a definição. Não saberia instalar o bulk.

    Obrigada,
    Fernanda.

    • Paulo Valle
      Author

      A qualidade é a mesma dela com bulk e sem o bulk… é a mesma maquina… o bulk é apenas um reservatório de tinta de modo que não precise substituir os cartuchos… ele economiza dinheiro com tinta… a pagina impressa com cartucho gira em torno de R$ 0,60 a R$ 1 e com o bulk fica em torno de R$ 0,01 a R$ 0,03… apenas isso.
      Abraços,

  6. Marceli Jordão Deveza da Silva

    Olá Paulo!
    Obrigada, por todo esse conteúdo que nos proporciona através das suas experiências, você é exemplo do lema dividir para multiplicar. Bem trabalho como revendedora gráfica e de impressão digital e tenho percebido esse mercado das pequenas tiragens a um tempo com suas postagens. Achei essa impressora uma boa opção para poder oferecer as pequenas tiragens aos meus clientes sem um alto investimento e com isso caso dê certo dar um segundo passo investindo em uma HP ProX. Tenho muita dúvida e nenhuma experiência em acabamento o que me recomendaria como investimento e como faço para aprender a fazer, tipo eu mesma, pois trabalho home office e não pretendo abrir loja, ao menos fisica…rs

    Gratidão,

    Marceli

    • Paulo Valle
      Author

      Marceli,
      Você vai precisar de pequenos equipamentos de acabamento. O primeiro a se pensar é a guilhotina. Não serve aquelas guilhotinas que cortam apenas 1 ou 2 folhas. tem que ser daquelas que cortam ao menos uns 2 cm de folhas na altura.
      Quanto mais cara a guilhotina ais recursos vai te dar… mas como trabalha em casa não deve ter espaço para uma muito grande (cuidado com o peso também).
      Uma guilhotina de uns R$ 900 já dá para começar e no futuro tenta uma semi automatica que vai descer a lamina de corte sozinha, sem esforço e com maior precisão.
      Eu tenho aqui uma pequena serrilhadeira que comprei por R$ 70 no mercado livre… faz folha a folha, mas não ocupa espaço… tem 3 modelos lá no mercado livre.
      tem também canteadeira, plastificadora, furador e outros equipamentos pequenos e os equipamentos de transfer e sublimação… isso tudo é viavel para você ir comprando aos poucos.
      Por email posso te dar indicações caso a caso, pois os links mudam com o tempo por serem anuncios.
      Estou a disposição.
      Abraços,

  7. Marcelo

    Bom dia Paulo, tudo bem? Talvez esse não seja o local mais adequado, mas, resolvi postar aqui acreditando que por ser o seu último post, que mais pessoas podem estar com a mesma dúvida…

    Hoje inicia a campanha eleitoral e alguns candidatos estão me procurando para orçamento, porém tenho dúvida com relação a forma de cobrança dos valores referente aos impressos políticos…devo receber apenas em cheque? Ou posso aceitar dinheiro? Pois cada candidato teve que criar seu próprio cnpj e conta bancária de campanha, mas, fico em dúvida se eu como fornecedor do material impresso, além de colocar em cada material impresso o cnpj ou cpf e também a tiragem, conforme manda a legislação eleitoral, se devo receber o pagamento apenas em cheque?? Não posso parcelar no cartão?? Facilitar a forma de pagamento seria um diferencial competitivo e também seguro para evitar o calote eleitoral….mas não sei se posso.

    A propósito: Acho que seria interessante você fazer uma postagem com conteúdo de o que pode e o que não pode na campanha.

    Grande Abraço,
    Marcelo.

    • Paulo Valle
      Author

      Marcelo,
      Eu ainda não preparei nada sobre eleições.
      Para ser sincero é a pior época para mim pois os distribuidores falham na entrega dos demais produtos para atender um público que só vem de 2 em 2 anos, chora muito preço e não raras vezes leva vários profissionais a quebrar.
      Com a regra do cheque pode ser que as coisas fiquem menos feias… mas cheque pode não ter fundo.
      Eu ODEIO trabalhar com qualquer coisa que cheire a governo.
      Mas as regras estão esmiuçadas num ebook da AtualCard. Veja no site novaprint.atualcard.com.br
      Atenção para a questão de ter na arte os dados de quem produz (quem gera a nota e quem faz a produção).
      Espero que ajude.
      Quanto a postagem vou pensar no caso… já vi tanta gente quebrar nessa época que a tendência é ser muito negativista.
      Abraços,

  8. Eduardo Mateus Klein

    Por um lado eu fico “puto” ao ler um absurdo desses.
    “conseguimos custos de impressão A4 menores do que uns R$ 0,03 por folha”
    Galera, custo não é só folha e tinta, aqui na minha planilha entram 48 itens no custo e TODOS são importantes.
    Por outro lado eu fico feliz, vão se iludindo com isso e logo irão a falência.

    • Paulo Valle
      Author

      Eduardo,
      O objetivo é orientar na escolha de maquinas e não fazer um curso de viabilidade financeira para gráficas.
      Não existem 48 itens a serem consideradas numa impressora jato de tinta… na verdade a maioria delas nem vale a pena consertar em caso que quebra.
      Saber quanto custa o funcionario por hora ou a produtividade da empresa não ajuda na escolha da impressora de alguém que esteja iniciando no ramo… ele nem sabe quanto vai vender por mês ainda… faltam dados para ele trabalhar e montar as planilhas.
      Você poderia até citar aqui os 48 itens levados em conta… creio que a maioria são itens da gráfica como um todo e não da maquina pesquisada.
      Nos R$ 0,03 centavos não está incluso o papel (e isso está bem claro), e está especificado que é um custo médio que pode ser menor ou maior um pouco.
      Posso afirmar que já fiz umas 6 mil impressões com os R$ 100 de tinta pigmentada que comprei… o que deixa o meu custo abaixo dos R$ 0,017… já que ainda tenho uns 30% da tinta comprada… e isso me deixa tranquilo no custo que estou passando… nisso tenho talões meio chapados, apostilas, panfletos totalmente chapados, e notas fiscais apenas com traços… tudo isso feito nessa maquina nova.
      O tempo que levo na maquina vigiando deve entrar no custo da gráfica no item que digo que ela faz a a 6 paginas por minuto e 8 usando como copiadora e vai variar tremendamente com o porte da empresa, custos fixos, numero de funcionarios, etc.
      Vejo na prática pessoas conseguindo fazer e manter o seu negócio com esses dados. Tenho exemplos em praticamente todos os estados… tenho leitores com cerca de 7 ou 8 Hp pro X só fazendo apostilas a baixo custo e ganhando dinheiro (o suficiente para mudar de vida e ainda poder se dar o luxo de trocar todo o parque de impressão em caso de um incendio ou coisa parecida).
      Se quiser montar um texto falando sobre como controlar o custo real de sua gráfica e nele incluir toda a sua experiencia e os 48 itens que leva em conta, as portas estão abertas… é um bom tema a ser abordado. Eu também já tive esse nível de detalhe na minha gráfica e inclusive fiz dois cursos universitários que falam bem desse tema… mas o blog é para quem está começando a pensar em seus negócios e há um custo alto em manter um controle muito apurado, que é bem capaz de matar uma pequena empresa.
      Abraços,

    • Kilmer Holanda

      Eduardo Mateus Klein, está claro que 0,03 não cobre todo o custo e não sei a quanto tempo você acompanha o blog, mas aqui o objetivo sempre foi de ajudar uns aos outros, principalmente quem está iniciando na área (que me corrija o Paulo Valle se estiver errado). Se quiseres dividir conosco quais estes 48 itens que você considera na hora da calcular o custo é muito bem vindo, por outro lado acredito que frases do tipo “eu fico feliz, vão se iludindo com isso e logo irão a falência” não irão ajudar muito…

      • Paulo Valle
        Author

        Kilmer,
        Obrigado por vir em minha defesa.
        Todos que acompanham o blog diariamente sabem que as postagem tem uma vida util muito grande e que são vivas, sempre com comentarios novos a cada dia, que enriquecem muito os conteudos.
        Todas as dicas são genericas, procurando atingir o maior numero de casos possível.
        Quando avaliamos uma maquina damos uma idéia de custo… sabendo que há variações e é claro, antes de comprar, deve-se avaliar a real necessidade de adquirir a maquina.
        Por isso que na maioria das perguntas a resposta é terceirize e teste seu mercado… só depois adquira o equipamento.
        Eu até entendo o Matheus, que caiu nesse ramo com grandes investimentos, talvez até sem experiencia nenhuma e está triste pela guinada que o mercado deu em rumo a terceirização. Eu já vivi em ramos cheios de variaveis como no setor de alimento e sei bem o que é manter os sistemas atualizados diariamente para garantir a lucratividade… mas a verdade é que existe um custo em manter uma grande base de dados, muitas vezes que breca o crescimento da empresa. Criar estratégias de controle simplificado podem fazer muita diferença nas pequenas empresas de 1 a 5 pessoas… as pessoas passam a se focar no serviço e não no controle acirrado.
        Pode ser o caso do Matheus… excesso de controle pode trazer mais prejuízo do que pouco controle, no caso de empresas pequenas.
        Abraços,

  9. Kilmer Holanda

    Paulo comprei uma dessa, mas acho que fiz besteira em pedir tinta corante e não sei se ainda dá pra mudar para pigmentada só limpando as mangueiras e os cartuchos… mas, não resta dúvidas que é uma ótima impressora!

    • Paulo Valle
      Author

      Kilmer,

      Dá para mudar… mas tem que fazer com muito cuidado.
      É necessário tirar todo o sistema de tinta com ela desligada… retirar totalmente a tinta corante do sistema (reservatório, mangueiras e cartucho) e depois reinstalar com a tinta pigmentada ou a nova tinta para couchê que está aparecendo no mercado. Depois é necessário uma longa batalha de limpeza da cabeça (completa, varias vezes) para garantir que só haja um tipo de tinta no sistema… eu falo em batalha pois a tinta corante reage com a tinta pigmentada tentando fechar os dutos da cabeça… ha quem sugira colocar solução de limpeza entre as operações, mas creio que se esvaziar bem o sistema não será necessário.
      Reforço a necessidade de trocar a tinta com a impressora totalmente desligada para ela não identificar como traca de cartucho e não dar problema com o chip.
      Abraços,

  10. Thiago Miranda

    Olá, comprei um modelo desse com bulk, tinta corante.

    Nas impressões de imagens, principalmente em tons mais escuros, aparecem faixas e linhas (vivíveis de perto). Parece que é marcado no papel com dobra. Você saberia dizer por quê isso ocorre?

    • Paulo Valle
      Author

      Thiago,
      Tudo leva a crer que está com problema na instalação do bulk… parece ter entupido a cabeça.
      Faça uma limpeza completa diversas vezes e tire totalmente o ar dos tubos do bulk… deve ser essa a causa… eu cheguei a ter esse problema com a tinta preta… tinha ar no tubo… depois que tirei e limpei ficou perfeito.
      Atenção para a altura que deixa o bulk… se ele ficar muito baixo pode provocar o ar no sistema… tente deixar na altura das cabeças.
      Abraços,

  11. Natan

    Olá Paulo! Fico cada vez mais surpreso em ver todo o seu esforço em cima destas dicas do seu blog. Parabéns!

    Uma pergunta… tenho atualmente no home office uma hp officejet pro 8600… ainda não instalei o kit builk nela e em uma lida no seu blog resolvi pedir a sua opinião, tenho utilizado muito pouco ela justamente pelo custo de cartuchos originais e também por estar um pouco descontente com a qualidade, mas acredito ser influencia do papel. A minha duvida seria apenas se você acha que devo trocar e pegar esta recomendada ou posso manter a minha 8600 e instalar o builk nela?

    Tenho muitas vezes esses clientes apressados e acabo encaminhando eles para graficas rapidas parceiras, pois o meu forte é na terceirização do offset e da imp digital.

    Teria real interesse em produzir flyers com a melhor qualidade possivel… os cartões de visita eu precisaria me aprofundar em como fazer a laminação, prq o meu forte fica mais na qualidade mesmo…

    Tambem faço blocos algumas vezes…

    Munha duvida agora é manter a 8600 e instalar builk, pegar uma dessa mb ou investir logo em uma pro x… caso haja outra opção mais recente seria interessante botar na lista….

    Aguardo uma luz sobre um melhor caminho pra eu analisar aqui… obrigado abração!

    • Paulo Valle
      Author

      Tanto a 451 como a 476 podem ser encontradas no mercado livre a preço de ouro… são as ultimas unidades do mercado.
      E corre por que vão sumir em breve.
      No momento estamos quase sem opções de boas maquinas no mercado.
      Abraços,

  12. Osvaldo

    Oi Paulo, bom dia! gostei muito do post, vi que tem outro modelo desta impressora saindo, mas acho que vou comprar esta que você está usando… tenho uma dúvida e gostaria de saber se você pode me ajudar qual impressora posso fazer este item “Cardápios PVC 0,5mm Verniz Cristal” é feito em plotter? impressora? o resultado fica lindo, a que eu faço com plastificação não chega perto. pode me ajudar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *