Cara, Crachá! Já pensou nessa opção?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 0 Flares ×

No mundo gráfico, temos que ficar sempre procurando novos produtos para oferecer aos nossos clientes. Um produto muito procurado, mas que poucos gráficos sabem como produzir, são os crachás. Saiba agora onde produzir e as diversas técnicas encontradas, com meus comentários.

Crachá – Quem usa?

Antes de mais nada, devemos saber quem é o consumidor deste serviço e como ele é vendido.

Potencialmente toda empresa é um cliente em potencial. Crachás podem ser usados por empresas, clubes, escolas, igreja, eventos e muitas outras entidades.

Quando falamos em crachás, podemos incluir também diversas carteirinhas, feitas no mesmo material. Isto amplia ainda mais o leque de clientes.

Uma característica que dificulta a maioria dos gráficos para atender este tipo de material é a produção individualizada (cada crachá tem uma arte) e a baixa tiragem na manutenção.

Com isso o cliente típico pede um lote considerável de crachás no primeiro pedido (variando com o tipo de negócio) e depois faz pedidos esporádicos a medida que novos usuários sejam adicionados ao sistema (pode-se pedir inclusive 1 crachá).

É este fato que afasta a maioria dos gráficos a trabalhar com os crachás.

Este é um pensamento errado, pois junto aos crachás, costuma-se pegar um grande número de serviços da mesma empresa, pois cria-se um vínculo contínuo com a mesma. Basta gerenciar a relação, deixando claro toda a gama de produtos que você trabalha.

impressão crachá

Crachá – Como é um crachá?

A característica básica de um crachá é ser feito em PVC ou material similar.

Isto dificulta a maioria dos gráficos, por estarem preparados apenas para produzir materiais em papel.

São muitos os métodos que podem ser usados na impressão de crachás. A oferta no mercado é bastante ampla em termos de qualidade. Existem produtos melhores e piores.

De modo geral encontramos crachás em PVC fino, PVC grosso, Simulações de PVC usando plastificação, com e sem verso e tarja magnética.

Embora usem uma arte padrão, detalhes como foto, nome, cargos e outros, são individualizados, de modo as artes serem completamente diferentes.

Vamos analisar agora os diversos processos de produção de crachás.



No mercado existem diversas máquinas que fazem a impressão diretamente sobre os crachás.

Estas máquinas trabalham usando cartões em PVC grosso, podendo fazer impressão frente ou frente e verso. Uma das grandes vantagens, além do PVC grosso, é poder trabalhar com PVC com traja magnética, apropriados para alguns tipos de controladoras do mercado.

Particularmente acho a impressão dessas máquinas não muito duráveis. Bonitas assim que impressas, mas muito suscetíveis ao desbotamento por atrito. Ficando bem estranhas ou ilegíveis com o tempo.

Vantagens:

  1. PVC Grosso
  2. Rapidez na produção (pode ficar na empresa)
  3. Permite tarja magnética

Desvantagens:

  1. Impressão nem sempre duradoura (Depende do equipamento)
  2. Custo alto individual
  3. Investimento alto ( a partir de R$ 4.000,00)

Sistemas com plastificadoras

Outra opção do mercado é fazer simulações de cartões PVC com plastificadoras.

Neste processo, usa-se uma folha plástica especialmente tratada para permitir a impressão em impressora jato de tinta ou laser.

Nele, imprimimos a folha plástica com a imagem invertida, colocamos sobre a base de PVC, tanto na frente quanto no verso, e passamos pela plastificadora apropriada. O material se funde, formando um produto muito similar ao PVC, em alguns pontos até superior. Por ultimo cortamos na medida certa e fazemos os acabamentos ( cantos e furo).

Já deu para notar que é um processo que só pode ser feito por um profissional treinado, afastando a possibilidade de ser implantado diretamente nas empresas.

Particularmente gosto bastante do resultado, pois como a imagem fica “dentro” do material, protegida do atrito, ganha um brilho sem igual.

Vantagens:

  1. Simulação PVC Grosso
  2. Impressão com qualidade
  3. Alto brilho
  4. Custo intermediário a baixo
  5. Equipamentos adquiridos podem ter outros usos (plastificação)

Desvantagens:

  1. Se impresso com Jato de tinta pode borrar se molhar
  2. Pode descamar com o tempo ou se forçado (são varias camadas na produção)
  3. Pode demorar na produção (feita no Bureau)
  4. Investimento moderado (sistemas a partir de R$ 1.000)

Sistema gráfico (terceirizado)

Uma nova opção que apareceu no mercado é a impressão em PVC fino feita em offsets digitais.

Ainda são poucas as gráficas que oferecem este serviço, mesmo dentre as que já possuem a tecnologia.

Catei nas gráficas do Rio ( A TmxProdutos foi uma  das primeiras a oferecer PVC) e não há o produto disponível.

Na AtualCard (que embora seja muito criticada está sempre com produtos novos), oferece este produto indo de R$ 1,84 a R$ 3,68 para impressão só frente (tiragem de 30 a 1 unidade diferentes) e de R$ 2,24 e R$ 4,60 com impressão colorida frente e verso.

Conheço o produto deles e sei que é feito em PVC fino, com uma boa impressão.

Vantagens:

  1. Impressão de qualidade (offset digital)
  2. Não exige investimentos

Desvantagens:

  1. PVC Fino
  2. Impressão pode sofrer danos (menos do que as máquinas próprias)
  3. Não permite tarja magnética
  4. Demora na impressão (serviço terceirizado)
  5. Custo final para o cliente de intermediário a alto (tem o valor do vendedor incluído)
crachás

Minhas impressões

Cada tipo de produto pode atingir melhor um nicho.

Gosto muito dos resultados na simulação de PVC impresso no Bureau. A impressão fica muito boa (depende apenas da sua impressora de mesa) e até melhora devido ao alto brilho dado no processo (procure vídeos no youtube).

Para uma pequena empresa que já tenha planos de adquirir uma plastificadora, pode ser a melhor opção. No mercado livre você encontra diversos distribuidores para este conjunto de equipamentos e materiais.

Caso sejam produtos para usar em máquinas de tarja magnética, não há como evitar as máquinas de crachás. Elas usam impressão térmica, com alto custo aqui no Brasil. A durabilidade das impressões também não é lá muito boa. Caso você esteja próximo a muitas empresas com este tipo de catraca, pode ser um bom investimento. Mas é bom salientar que para ter qualidade é bom usar um equipamento mais caro e ter pessoas preparadas para atender rápido aos potenciais clientes. Eu particularmente não indico, mas vai depender muito do seu ponto de venda.

Caso precise fazer carteirinhas de clubes, igrejas ou mesmo crachás, em grande tiragem. Principalmente, se forem para ser usados dentro da carteira dos usuários, indico a terceirização dos serviços em gráfica, usando o PVC fino. Neste caso a desvantagem do PVC fino acaba se tornando uma vantagem, por ocupar menos espaço. A impressão é capaz de aguentar este tranco, o que não acontece com os crachás de impressoras térmicas.

O custo neste caso também se torna uma vantagem, pois como o trabalho de impressão não vai ser seu e a tiragem pode ser enorme (digamos 1000 alunos de uma escola), a impressão terceirizada pode ser uma grande vantagem.

Softwares

Aqui vale lembrar que existem poucos softwares específicos para esta função.

Fazer os crachás um a um, nem sempre é uma boa solução.

As máquinas de crachás possuem softwares que pegam uma matriz e inserem os dados a partir de uma planilha.

O Corel Draw  e o Word também tem funções que permitem a inserção de dados variáveis a partir de planilhas. Aprenda a usá-las caso ingresse neste ramo de trabalho.

Se pensar em apenas um crachá, talvez não entenda as vantagens destes processos, mas com certeza, ao fazer 1000 carteirinhas personalizadas, mudará rapidamente de ideia.

Outro fato importante é o custo de fazer estas artes. Lembre-se de incluir isto no preço. Fazer um crachá não é uma coisa fácil… exige muito tempo. Caso consiga implementar as técnicas descritas acima, talvez consiga reduzir em muito estes custos.

Muita atenção para a dimensão dos nomes ao inserir automaticamente. Pode ser o caso de quebrar os nomes em várias linhas ou fazer artes separadas para os nomes maiores. Passando os dados na planilha você será capaz de identificar os possíveis problemas.

Conclusão

A procura por crachás não é uma coisa tão incomum. Já tive várias consultas nos comentários e por email de pessoas querendo desenvolver este produto.

Como já falei em diversos artigos, são estes pequenos diferenciais que fazem sua empresa crescer.

Inclua mais este produto no seu catálogo e verifique qua a opção de produção mais vantajosa para você.

Não incluí nenhum link para nenhuma empresa, mas facilmente você achará informações no google.

Caso tenha dificuldade, use os comentários que eu vou passando dicas.

Até o próximo post.

Não deixe de nos acompanhar pelos comentários.

Abraços a todos,

Você pode gostar também de:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 0 Flares ×

20 comentários

    • Paulo Valle
      Author

      Dá sim.
      fica totalmente plastificado de ambos os lados.
      Devido a só ter no mercado papeis A4, o cardápio fica limitado a este tamanho.
      Mas nada impede de perfurar ele e colocar um espiral e fazer em forma de livro.
      Já vi alguns feitos assim… são bem duráveis.

  1. virna

    Boa tarde, gostaria de saber se existe algum curso que ensine a técnica para confeccionar crachá, não a parte de design gráfico ( com corel, word, etc), mas a prática, execução…
    Ou alguém,ou local que possa procurar…moro em BH.
    Obrigada!

  2. Filipe

    Paulo, será que impressão em PVC já está disponível em gráficas do RJ, ou pelo menos do Sudeste? Quero fazer baralhos personalizados em pequenas tiragens e para isso só posso contar com a AtualCard? Obrigado.

  3. Maria Rosaria Ferreira de Carvalho

    Orçamento para 200 cardápios em pvc.

    100 cardápios em PVC A4 – 4×4 – para o Tato´s Club
    100 cardápios em PVC A4 – 4×4 – para o Varanda´s Club

    Att,
    Maria Rosaria
    11 9 8257-1372

  4. Charles Willames

    Olá. Estou realizando uma pesquisa de mercado para estudar a possibilidade de adquirir uma maquina de fazer crachás, a pedido de meu Gestor. Pois o volume de crachás irá aumentar em nossa empresa. A pergunta é: Como podemos escolher a melhor maquina visando o custo beneficio da mesma? Não queremos errar na escolha do método/maquina.

    Grato pela atenção.

    • Paulo Valle
      Author

      Charles,
      Existe no mercado máquinas que imprimem direto no crachá entregando ele pronto (custam em torno de R$ 4 mil e o crachá sai por uns R$ 1,50 cada) e o processo feito com jato de tinta que mostrei na postagem que você leu… a primeira dá menos trabalho… a segunda eu acho muito mais bonita, é mais barata, mas dá mais trabalho.
      Agora é com vocês… se quiser que eu pesquise eu faço, mas tenho que cobrar como consultoria.
      Estou as ordens para dúvidas localizadas.
      Nesse link aqui tem as duas logo de cara e outras mais:
      https://www.youtube.com/results?search_query=m%C3%A1quina+crach%C3%A1
      Abraços,

  5. Francisco Carlos Araujo Cunha

    Boa tarde!
    Meu Nome é Francisco Carlos, gostaria de saber se este material em PVC feito com plastificadoras, sendo impresso com jato de tinta tipo impressora epson L365, desbota depois de pronto?

    • Paulo Valle
      Author

      Francisco,
      Depende da qualidade do material.
      Eu prefiro comprar materiais importados do que os nacionais.
      Fiz um imã de minha neta em jato de tinta em papel fotografico, metade em papel fotografico nacional e metade em papel importado… os feitos no papel nacional já perderam a cor e os do papel importado estão firmes e fortes.
      Como saber? Só testando e esperando… pode-se tentar antecipar os efeitos deixando numa estufa com lampada acessa direto… isso faz o resultado aparecer em menos tempo.
      Mas só mesmo assim… o teste é necessário.
      Abraços,

    • Olá Francisco!
      Aqui na empresa onde trabalho (Lome Card) essa tragédia não ocorre. Trabalhamos com um material muito resistente e que não desbota ou perde a tinta, pois o PVC vem com uma película protetora é bem difícil de achar que outra empresa que tenha esse tipo de material. Da uma passada no site pra conferir. Temos atendimento online.

      (47) 3227-3962

      http://www.lomecard.com.br/

  6. Muito bom o artigo. Realmente tem que se tomar cuidado na hora de comprar material para fazer crachás ou afins. A mesma coisa para as máquinas. Aqui na Lome Card trabalhamos com a venda de materiais e máquinas. A grande diferença da nosso empresa é que trabalhamos com uma tecnologia que permite a durabilidade dos cartões, crachás e afins. Nosso material não desgasta e não apaga com o tempo. Da uma conferida.
    http://www.lomecard.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *