Saiba como são feitos: Ouro e Prata, metalizado, texturizado

10 Flares Twitter 0 Facebook 9 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 1 10 Flares ×

Ontem, um de nossos leitores, dono de gráfica, me veio com uma pergunta sobre como é o processo de fabricação dos novos produtos que vem sendo oferecidos por aí. Achei que poderia ser a dúvida de outros e resolvi abordar um pouco sobre o processo ouro e prata, metalizado e texturizado.

Ouro e Prata

Dos processos citados neste artigo, o Ouro e prata é o mais antigo.

A tinta dourada e prateada não é uma novidade no mercado. Ela já existia a mais de 50 anos atrás no tempo da tipografia. Eu mesmo usei bastante fazendo convites monocromáticos em offset. É cara abeça, mas não é novidade.

E como os distribuidores gráficos tornaram ela uma boa opção?

Bastou acrescentar ela ao processo comum. Para eles é uma coisa relativamente fácil. Como muitos tem máquinas com 6 ou 7 torres, podem se dar ao luxo de acrescentar duas torres para aplicação do ouro e da prata, junto ao material comum (cartões e panfletos).

Os designers mais espertos já perceberam o diferencial e tem usado esta ferramenta extra de marketing.

E como é o processo? Basta criar no Corel uma arte em CMYK comum. Acrescentar duas cores pantone padronizadas para ouro e prata. Com experiência pode-se inclusive marcar partes dos objetos em ouro e prata para sobreporem a impressão CMYK de baixo ou vice versa. Com isso você consegue fazer por exemplo, uma imagem de relógio dourado (CMYK) e acrescentar uma forma do relógio em tinta pantone ouro sobreposta. O resultado é um brilho espetacular no impresso. O mesmo pode ser feito com o prata. Já vi panfletos excepcionais de automóveis prata com um brilho sem igual.

Quem pode fazer esse efeito?

Qualquer um. Até quem tem máquina monocolor pode usar esse recurso, basta ter as tintas e separar as chapas com os respectivos pantone. Você passa a ter uma impressão em 6 cores. É um processo gráfico comum. A Coca Cola por exemplo costuma ter a quinta cor no seu vermelho característico, fugindo das variações típicas da policromia.

Eu sei até de plotters que possuem cabeças extras para outras cores como o branco, ouro e prata, que podem ser adaptados para este processo.

cartão de visita dourado

Metalizado

Esse aqui eu não conhecia. Foi o amigo Edson, da promoidéia que me explicou o processo.

No metalizado, o metal já existe no papel! Isso mesmo! O papel usado tem a camada de prata “de fábrica”. São aquelas folhas que se compra na papelaria em prata e são muito usadas nas festas. Por enquanto tem sido usados apenas nas folhas mais grossas, mas pode-se usar também folhas finas.

E como é o processo? De novo o segredo está no uso do software. Aqui o grande segredo é a cor branca.

Em todos os locais onde se quer que apareça a cromia, pinta-se uma mascara branca. Nos locais onde se deseja o metalizado, deixa-se sem máscara.

Assim o papel originalmente prata é quase todo pintado de branco. Após passar a tinta branca opaca na impressão, entram as cores da cromia. Se você quiser um prata bem claro basta não ter cor nenhuma. Um prata mais escuro é obtido com tons de cinza. O ouro é obtido pintando de amarelo. O cobre, bronze, azul metálico e todas as outras cores metálicas são obtidas jogando a cromia sobre a parte prata (sem a mascara no local).

O resultado é simplesmente excepcional.

A limitação é a disponibilidade do papel metalizado. No comércio é comum o papel somente com uma face metalizada. Por isso, em geral, é oferecido apenas uma das faces metalizadas e a outra fica num papel não tão bom assim.

O material que eu vi impresso e as amostras que peguei são maravilhosas.

Posso afirmar que é um processo que deixa de longe o hotstamp, tanto em facilidade de aplicação, quanto em custo.

No caso desses materiais, temos que ter uma linha de produção própria com uma máquina de 5 torres. A primeira branca e as demais nas cores da cromia.

A falta de alguns papéis pode ser sanada rapidamente de acordo com a demanda. Os próprios fabricantes de papéis vão querer fazer parcerias para poder oferecer estas novas opções de papeis.

E na gráfica pequena é possível fazer este material? Nem sempre. Essas folhas metalizadas podem não passar na sua máquina. Tem que testar.

E o valor dessas folhas no mercado usual também é bem puxado.

Mas, resolvidos estes dois detalhes, basta usar uma boa offset e aplicar onde quiser.

Tem uma coisa interessante aqui que eu nunca vi, mas é possível de ser feito.

No mercado tem umas impressoras laser com opção para a quinta cor branca. Com isso, usando o papel apropriado e uma dessas impressoras laser, pode-se fazer em seu pequeno bureau impressos com essa qualidade excepcional.

Já pensou no diferencial que isto pode dar?

O mesmo posso afirmar de alguns plotters. Tendo a quinta cor branca pode rodar produtos como o metalizado aqui. Pode-se até usar aquelas lonas que tem uma face metalizada (cinza) e fazer uns materiais totalmente diferenciados.

Pode ser que tenha neguinho com tudo na sua empresa e nunca se atentou para este tipo de produto. Vamos ver se aparecem alguns exemplos por aí! Vou ficar muito contente se receber algumas fotos!

Metal FX

A Padrão Color, aqui do Rio de Janeiro, já tem a algum tempo um material chamado de Metal FX. Eu confesso que apesar de já ter conhecido este material, nunca tinha me atentado para como é feito. Depois que apareceu a explicação do metalizado ficou mais evidente.

Eles aplicam como quinta cor o prata e sobrepõem parte da cromia, fazendo os efeitos de metal. O resultado é bonito, mas inferior a aplicação direta da tinta ouro e prata e do uso da folha metalizada. Não sei se a qualidade da tinta prata é ruim ou se é algum detalhe técnico (mistura de cores, tinta molhada, sei lá). Só sei que o metalizado é muito melhor e o custo até o momento tem sido mais baixo.

Uma coisa me intriga. Eles só oferecem panfletos em Metal FX, apesar de terem cartões neste material, mas sem oferecer aos consumidores. Poderia ser uma maneira de difundir a tecnologia, mas não o fizeram até o momento.

Texturizado

A ondado momento são os materiais texturizados.

Esse aqui eu matei assim que vi, pois já conhecia os vernizes usados, em visitas que fiz a algumas feiras de negócios.

Aqui, eles aplicam um verniz total texturizado em toda a folha. Este processo é muito mais barato do que fazer uma laminação fosca e pode ser feito inline na impressora.

Após essa aplicação eles podem até imprimir, como um nova cor, o verniz UV normal, simulando algo muito próximo dos nossos conhecidos cartões de laminação fosca e verniz localizado. O resultado é um pouco pior, mas é diferente, mais rápido e mais barato.

Pode ser uma boa opção para aqueles que queriam fazer o cartão de laminação fosca e não podiam pelo custo.

Para vocês terem uma idéia. O milheiro em 300 g do laminação fosca e verniz localizado sai a R$ 90, o milheiro do texturizado e verniz localizado fica em R$ 57… e somente R$ 38 em 250 g. Está quase saindo pelo preço do milheiro 250 gr 4×4 normal de R$ 35. Mais uma dica para a turma… olho nos preços.

E por que tão barato? Por que fazem tudo com as torres extras que eles tem. Podem fazer o texturizado e laminação fosca na mesma chapa do cartão com UV total frente. Um monte de produto, tudo na mesma chapa. Por isso produzem em apenas 1 dia… tudo sai junto.

inovação gráfica

Inovação

Acho que este post pede mais uma vez para citar a importância da inovação em nossos negócios.

Apesar de ser super  criticada pelo público em geral, principalmente por uma turma que está sempre aqui no Dicas Gráficas do Cardquali, a AtualCard continua a ser a que mais inova no ramo gráfico.

Por isso tiro meu chapéu no quesito inovação e criação de novos produtos. O desta semana são as máscaras de carnaval… o das próximas são as máscaras com metalizado… quer apostar? Tudo haver com Carnaval que está bem aí!

E onde está a concorrência?

Desafio!

Agora vem um desafio!

Você tem um produto novo… que ninguém criou ainda!

Principalmente se é uma gráfica pequena, que pegou recursos simples e transformou num grande produto.

Apresente para a gente e ganhe uma audiência especialíssima e voltada para o meio gráfico, com direito a link para sua página de venda. Faça uma promoção e use o Dicas Gráficas do Cardquali como instrumento de divulgação.

Mas tem que ser realmente diferenciado.

Nas últimas semanas tenho visto livros em pequenas tiragens feitos em impressoras laser de produção. Aqui nesta postagem citei usos para plotters e recursos especiais de algumas impressoras laser. Tem muita coisa no mercado que ninguém sabe que existe. Vamos divulgar!!!

Quem aceita esse desafio?

Basta mandar um email ou acessar a página de contatos.

Espero que tenham gostado dessa postagem e um grande abraço a todos.

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

10 Flares Twitter 0 Facebook 9 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 1 10 Flares ×

11 comentários

    • Paulo Valle
      Author

      Camille,

      Não entendi a sua pergunta. Você quer um efeito parecido com a prata e o ferro? O que eu expliquei aqui na postagem sobre o ouro e prata se aplica aos demais metais… são diversos processos que podem ser usados.
      Refaça a pergunta de uma forma que eu entenda a sua dúvida.
      Abraços,

  1. Celso Palermo Junior

    Paulo, bom dia.

    Você teria alguma gráfica que faz esse tipo de serviço para indicar?

    Infelizmente, todas as gráficas que pedi orçamento dizem não trabalhar com reprodução de cartões de vista em dourado, tenho certa urgência.

    Parabéns pelo site e pelo tópico!

    Obrigado!

    • Paulo Valle
      Author

      Elza,
      Não entendi a sua pergunta. preciso saber o que pretende fazer, qual o processo de fabricação, que papel é esse, etc. o que me deu a entender é que tem um papel pintado com tinta prata de um lado e o outro laminado metálico… mas e daí… o que vai fazer… como vai imprimir… o que deseja fazer?
      Você falou em duas folhas… seriam duas faces?
      Eu não conheço nenhum papel como descrito… em geral o papel é laminado em 1 face ou nas duas. A Atualcard tem um produto que usa esse papel laminado de um lado e do outro é branco… para imprimir você faz uma mascara branca onde quer a tinta normal e deixa sem mascara onde quer o efeito metalizado… o verso fica sem efeito nenhum.
      Me explica com mais detalhes que eu tento te ajudar.
      Abraços,

  2. luiz

    paulo, bom dia parabéns pelas informações prestadas, eu faço tapetes para carros preciso de pelicula metalizada coloridas, tem informação quem possa fazer a impressão de cores para mim obrigado

    • Paulo Valle
      Author

      Luiz,
      Nesse ramo de impressão em tapetes eu não manjo quase nada.
      Tem uns plotters que imprimem materiais grossos que acho que servem para isso. Alguns deles tem tinta metalizada… mas não sei mais detalhes… só vi rapidamente passando na feira de gráficas e não me interessei na época devido ao alto custo do equipamento.

      Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *