Quanto ganha um designer?

14 Flares Twitter 0 Facebook 12 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 14 Flares ×

A alguns meses fiz uma chamada para o censo 2012 na área de designer. No Yahoo Respostas uma pergunta recorrente é: Quanto ganha um designer? Vou mostrar aqui neste post os dados tirados do censo 2012 que é a melhor resposta que poderia ser dada para quem quer entrar no mercado e para aqueles que estão preocupados em saber se seus rendimentos estão em sintonia com o mercado!

Censo 2012

O Censo terminou a 3 dias. O resultado está na figura abaixo.

A grande maioria dos profissionais ganha de R$ 850 a R$ 2500, ou seja, estão nas categorias D e E e representam 50% dos profissionais. Somente 15% recebem menos de R$ 850 e devem ser os estagiários das empresas. Se incluirmos a classe C na maioria, temos o salário base variando de R$ 850 a R$ 5000, abrangendo 70% dos profissionais, o que não é nada mal em relação a outras profissões.

Veja a figura e faça suas comparações:

Quanto ganha um designer?

Uma coisa interessante a observar é a remuneração por região. No nordeste é onde se paga pior, tendo 26% dos profissionais ganhando abaixo de R$ 850. Resultado pior até que na região norte, que geralmente é a menos favorecida.

O número de profissionais muito bem pagos também é relativamente alto, passando o número de profissionais mal pagos (A+B = F). Não achei a média mas ela está em torno de R$ 1800 observando os gráficos.

Como calcular o preço correto de seus serviços

Como a maioria dos profissionais atua como freelance, em tempo parcial ou total, aqui vai uma dica de como cobrar por serviços de design.

Antes de mais nada, vocês devem definir quanto é o seu salário, ou seja, aquilo que vocês desejam ganhar que espelhe o seu padrão de vida, nível profissional e experiência. Não quer dizer que você irá ganhar isto, mas você deve cobrar algo que te permita receber este valor.

Depois disso deve ser calculado o seu custo. Aqui entra o valor do seu escritório (fora ou em casa), telefone, luz, e tudo mais que seja importante para desenvolver seus serviços.

Somando o seu salário com os seus custos você terá a base para seu cálculo.

Esta soma deve ser dividida por 200, que são as horas de trabalho de um trabalhador normal (220 horas pela lei, mas quem trabalha com computador deve trabalhar menos tempo).

Como você acaba ficando parte do tempo ocioso, ou parado ou em atendimento a clientes, multiplique o resultado anterior por 3.

Este é o valor da sua hora de trabalho. Com base nela você pode cobrar os serviços por hora ou se tiver que dar orçamento, deverá saber quantas horas levará para desenvolver o trabalho e multiplicará por este valor.

Vale salientar que neste caso é melhor reservar mais tempo para o trabalho do que estimar para baixo e ter que trabalhar de graça por ter sido otimista demais.

Se todos os profissionais fizessem esta conta com precisão, com certeza todos ganhariam mais.

E você? Adota uma tabela parecida com esta? Partilhe conosco a sua técnica!

Qual o seu valor?

Preço de mercado

Agora que passei a técnica correta (que pode variar um pouco segundo seus gostos), você argumenta: Mas o preço de mercado está abaixo destes valores.

Irei mostra como funciona o preço de mercado.

No mercado temos profissionais capacitados e um monte de curiosos tentando um espaço no mercado.

Você tem desde gente com anos de profissão, pessoas realmente talentosas e os filhos e sobrinhos da vida que aprenderam a mexer naquele programinha  gráfico.

A maioria não tem nenhuma ideia de quanto vale o seu trabalho (isso se extende a todos os freelancers de todas as áreas).

No tempo que eu tinha gráfica eu era o único que tinha uma tabela de preços de produtos gráficos e artes. Calculava em Excel, tinha alguma lógica, mas não seguia todos os conselhos que estou aplicando aqui. Imagino que eu trabalhava a uns 75% do preço que seria ideal.

Acontece que todos os concorrentes vinham a minha gráfica para pegar preços e descaradamente ofereciam por uns 30% mais baratos. Poucos aplicavam preços superiores.

O resultado: vi um a um os concorrentes que cobravam menos irem quebrando. Eu mesmo cheguei a quebrar ao primeiro problema que tive (me separei na época e isto me tirou o foco). Os que ficaram no mercado eram exatamente aqueles que cobravam mais.

Ou seja, ter poucos clientes e cobrar mais garante melhores resultados do que ter muitos clientes e cobrar menos.

O valor do censo

Na minha ultima postagem sobre o censo tive muitas críticas sobre a instituição que está fazendo o mesmo.

A maioria reclamava dos preços cobrados pelos mesmos e a omissão junto aos profissionais.

Vou passar um comparativo em relação a outras instituições.

Os melhores mercados para se trabalhar são aqueles protegidos pela lei.

Posso citar os melhores como sendo os dos advogados (OAB), Contadores (CRC) e Engenheiros (CREA). Quando um órgão passa a ser atuante, consegue proteger o mercado da entrada de pessoas não qualificadas. Quando não há excesso como ocorre com a OAB o mecanismo funciona muito bem, pois a reserva de mercado é benéfica aos profissionais quanto a remuneração.

Alguns órgãos ainda não estão atuando bem como o dos administradores (CRA) ou profissões que estão encaixadas em outros órgãos como Geólogos e Arquitetos, que ficam subordinados ao CREA e acabam sendo prejudicados em benefício dos Engenheiros.

O Designer acaba de conseguir o seu reconhecimento (Leia neste link). Este foi o primeiro passo para melhoria do mercado e ajustes devem ser feitos, principalmente neste início, onde existem profissionais sem formação formal, mas muita prática. Isto ocorreu em todos os ramos e aos poucos se ajusta.

Este censo é uma boa base para estes ajustes. Saber o verdadeiro valor de mercado dos profissionais pode servir de base para o crescimento.

Se você se acha melhor que a média de mercado, deve correr atrás para ter uma melhor remuneração, quer seja no seu emprego, em outro emprego ou  no valor que cobra de seus clientes. A base você já tem e na internet pode conhecer o trabalho de diversos profissionais e comparar com seu próprio trabalho.

Com base na pesquisa calcule quanto deveria ser sua remuneração e corra atrás.

Conclusão

O Censo 2012 é apenas um primeiro passo na melhoria do mercado de design.

Este ano tivemos varias melhorias no mercado que não podem passar despercebiadas.

Podemos citar o reconhecimento da profissão e o Censo 2012 como um bom inicio.

E você? O que acha? Este é um  bom post para discutirmos o futura da profissão!

Espero que tenham gostado deste post!

Continue acompanhando, fazendo o seu comentário e marcando a caixa acompanhar por email.

Assim você saberá a opinião dos demais profissionais da área e não perderá nada.

Até o próximo post.

Abraços a todos!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

14 Flares Twitter 0 Facebook 12 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 14 Flares ×

7 comentários

  1. Assim que eu soube do senso lá pelo Design.blog eu fui correndo responder, gastei aí meus 20 minutinhos e dei minha parcela de contribuição.
    Parece que estão começando a mexer os pauzinhos por conta da regulamentação da profissão.
    Vamos torcer pra virem bom resultados pra todos nós da área.

    • Paulo Valle
      Author

      Rene,
      Pode tentar que vai dar certo.
      Com o tempo você vai refazendo ele ajustando o seu alvo de salário e a sua produtividade.
      Quando você for muito produtivo, inclusive poderá aumentar o seu salário diminuindo seus preços.
      Tudo depende do seu desempenho.
      Abraços,

  2. Boa Tarde,

    Vamos dizer que irei colocar salario + dispesa : 6000 R$. Entao o resultado vai dar 10 R$ por hora. É correto fazer isso ? ou você acha que eu to cobrando de mais ? Caso seja de mais ou de menos, me fale uma base naqual você acha que eu possa pagar todas minhas despesas e consiga viver bem.
    Obrigado

    • Paulo Valle
      Author

      Adrianodjs,

      O valor total deve ser dividido por 200 (200 horas mensais) 6000/200 = 30 e multiplique por 3 30×3 = 90 estava errado na postagem e já ajeitei.
      Desculpe o erro.

      Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *