Policromia – Imprimindo o mundo com quatro cores

21 Flares Twitter 0 Facebook 6 Google+ 15 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 21 Flares ×

Aqui no blog, já citei várias vezes o processo de policromia. Ao olhar pelo google vi que todos os posts estão incompletos nesta explicação. Tentaremos aqui tirar as suas dúvidas da melhor maneira possível.

Policromia

Antes de mais nada, é bom citar que o termo policromia sem sua raiz no grego antigo, significando “muitas cores”.

Este termo pode ser usado nas artes em geral e processos gráficos (offset, silk, etc).

Na área de processos gráficos, entendemos como policromia a impressão que qualquer material ou foto usando as cores básicas.

Estas cores eram inicialmente as cores básicas do processo subtrativo, ou seja, baseado em corantes (tintas). Nesse processo eram usadas as cores, Ciano (é o azul clarinho para quem não conhece), Magenta (é aquele rosa bem escuro) e Amarelo (Yellow em inglês). Se os corantes fossem perfeitos, misturando estas cores se obteria o preto, podendo-se fazer qualquer tipo de cor observável.

Acontece que no mundo não há corantes perfeitos. Por isso tivemos que “improvisar” uma solução. Esta solução foi adicionar o preto nesta mistura, para garantir que ele fosse impresso perfeitamente.

Assim ficamos com a policromia, como sendo a composição das cores, Ciano, Magenta, Amarelo e Preto. Como o termo é internacional usamos as palavras em inglês: Ciano, Magent, Yellow e Black. Perceba as letra grifadas: CMYK = Policromia.

Policromia CMYK

Policromia nas artes

Aqui neste texto, não vou entrar em detalhes sobre a policromia nas artes e na antropologia.

Se quiser saber um pouco mais sobre isto tente entrar nos links indicados neste post:

Policromia nas artes, antropologia e artesanato

Espero assim estar ajudando quem caiu nesta página e é de outra área. Espero que as indicações lhe sejam úteis.

Como o termo aparece nas gráficas

Quando vemos os produtos sendo anunciados, podemos terá descrição de diversos modos.

Aqui é bom fazer antes a distinção entre policromia e monocromia. Policromia nós já vimos e sabemos que é a impressão nas três cores básicas somadas ao Preto para reforçar as partes escuras. Na monocromia temos a impressão em apenas uma cor, geralmente o preto, mas podendo ser qualquer cor.

Nos orçamentos gráficos os trabalhos de policromia podem vir a ser chamados de: POLICROMIA, CMYK ou mesmo apenas o número 4.

Como assim o número 4? É que para resumir os orçamentos criou-se uma nomenclatura de cores própria do meio gráfico. Assim 4×0 significa policromia na frente da folha e a cor da folha atrás. Temos também 4×1 que significa policromia na frente e preto atrás (note aqui que poderia ser qualquer cor). Temos também o 4×4, ou seja, policromia na frente e atrás. Finalmente vale citar que algumas gráficas com máquinas com muitas torres criaram o fundo em duas cores, tendo os produtos em 4×2 , ou seja, policromia na frente e duas cores atrás (quase sempre preto e ciano, mas varia de acordo com cada gráfica). Entendeu onde entram os números? Pense um pouco num orçamento de 40 produtos como isto simplifica as coisas!

O Processo de policromia

Não vou me alongar muito em mostrar o processo de policromia.

Sugiro ler meus posts:

O que é policromia

Policromia II – O que acontece durante a impressão?

Policromia – aprendendo em sua impressora doméstica

Neles eu mostro como funciona o processo e dou até a possibilidade de você testar em casa.

Resumindo rapidamente, Usamos os programas gráficos para separar as cores das fotos nas quatro cores básicas da policromia (CMYK). Antigamente isto era feito por fotografia, usando filtros de cores e perfis de lineatura. Garanto que era bastante demorado, num trabalho quase artesanal. Por isso os livros antigos tinham poucas fotos e a maioria era em preto.

Hoje, os programas fazem isto automaticamente e você nem percebe este processo.

Ao dar saída no programa gráfico, existe uma página na tela de impressão responsável por fazer as separações de cores. Isto existe em todos os programas gráficos. No CorelDraw basta ir no menu de impressão e clicar na aba <cor> e definir <imprimir separações>. Se você entrar agora na aba <separações> perceberá que as cores estão separadas e cada cor tem um ângulo de reticula diferente. Isto impede que apareçam defeitos na impressão chamados moiré. Este tipo de defeito pode ser observado na televisão, quando aparece alguma pessoa com uma camisa listrada na tela, parece um onda na camisa.

policromia CorelDraw

Existem outros ajustes, mas não entrarei em detalhes, pois isso é objeto dos cursos do Liute, aqui mesmo no blog.

Após feitas as separações, é feita a impressão dos fotolitos, gravação das chapas e impressão offset, silk, flexográfica ou qualquer outra que exista.

Dá uma olhada nestes posts que falam sobre isso:

O que é chapa de impressão offset?

Rótulos de produtos? Conheça a flexografia!

Policromia nas impressoras de mesa

Quem já teve curiosidade de abrir os links da primeira parte do texto, já sabe como funciona a nossa impressora de mesa.

O bacana delas é que todo o processo da policromia é feito sem nossa interferência. O driver da impressora pega o trabalho original, separa as cores, prepara o buffer da impressora e coordena a impressão dos vários cartuchos da impressora.

Aqui vale lembrar que a maioria das impressoras trabalha com as cores CMYK, mas algumas adicionam cores extras para obter melhores resultados. Existem impressoras com até umas 7 cores e outra mais sofisticadas e caras que incluem o prata e o dourado para fazerem trabalhos especiais.

Qual o trabalho que você tem com isso? NENHUM. Elas fazem tudo sem nenhuma interferência.

Na área gráfica isto ainda não é comum. Necessitamos dainterferência de um bom operador para trabalhar com estas cores. Porém isto está mudando com a introdução das offsets digitais. Nelas este processo começa a ser automatizado, dependendo menos do operador. Mas é bom lembrar que uma boa calibragem deve ser mantida para não termos resultados sofríveis.

Um pouco mais sobre cores e corantes

Eu pincelei lá em cima que o preto é adicionado para suprir a deficiência de nossos corantes.

Mas isso só acontece com o preto?

Infelizmente não! O azul , o verde e o laranja também são prejudicados.

O número de cores que enxergamos é imenso. As cores do monitor quase chegam a esta imensidão, mas já perdem um pouco das cores.

Ao usar os corantes presentes nas tintas vemos visivelmente esta perda, pois aqueles azul e verde vibrantes que aparecem nos monitores são impressos com cores pálidas e sem vida.

Esta é uma das limitações do processo CMYK. Por isso foram criados variações incluindo as cores azul, verde e laranja para sanar esta deficiência.

Na prática, você raramente vai ver este tipo de impresso, pois os custos ficam altíssimos.

Eu particularmente só os vi em demonstrações e em uns poucos livros muito caros sobre fotografia e artes (pinturas).

Um truque que pode salvar seu trabalho

Algumas cores podem variar enormemente em caso de uma pequena variação na impressão das cores básicas.

Como nossos impressores não tem grande formação na área de cores, fica a encargo do designer ou arte finalista evitar este problema.

Um truque que poucos conhecem é a substituição de cores.

O truque é o seguinte: Você pode obter o cinza a partir de uma mistura das 3 cores básicas ou pode usar apenas o preto. Assim uma cor 50C 50M 50Y 0K é igual a 0C 0M 0Y 50K.

Acontece que controlar 3 cores é mais difícil do que controlar apenas 1 cor. E pior ainda, para o impressor é mais fácil controlar variações no preto do que, por exemplo, no amarelo (que quase não se consegue enxergar).

Assim, se você substituir partes das cores por tinta preta, com certeza terá menos variações de cores no seu trabalho.

Um exemplo: digamos que temos a cor 30C 40M 50Y 30K. Podemos pegar a menor delas, ou seja, 30C e tirar a parte cinza delas e substituir na preta. Ficamos assim 30C – 30 = 0C; 40M – 30 = 10M; 50Y – 30 = 20Y; 30K + 30 = 60K. Ou seja, 0C 10M 20Y 60K.

substituindo cores em policromia

Na tela você pode até perceber alguma variação, mas na impressão esta dica funciona direitinho, pois ao se tratar de corantes as coisas funcionam um pouco diferentes da tela do computador.

Você pode criar variações, reforçando o tom que pretende sem perder o controle durante a impressão.

Conclusão

Policromia é um assunto bem amplo.

São poucos os impressores que realmente sabem o que estão fazendo. Por isso existem tantos problemas de impressão neste nosso mundo gráfico.

Poucos percebem que pequenas variações nas cores básicas ao serem impressas podem fazer grandes diferenças em alguns tons.

Você como designer deve saber destas limitações no processo gráfico e deve evitar este tipo de problema.

Espero ter esclarecido as dúvidas de meus leitores com mais este post sobre o assunto.

Se gostou não esqueça de marcar o botão G+ do google para melhorar nossas posições nas pesquisas e ajudar aqueles que precisam desta informação.

Até o próximo post.

Abraços a todos.

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

21 Flares Twitter 0 Facebook 6 Google+ 15 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 21 Flares ×

13 comentários

  1. EDSON TRINDADE

    BOA TARDE MEU AMIGO!

    PRECISO DE AJUDA.

    ACABEI DE MIGRAR PARA O COREL X5, POREM O PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE CORES MUDOU TOTALMENTE.
    FAÇO IMPRESSÃO DE CRACHÁ E PARA ISSO USAVA O COREL X3, GOSTEI MUITO DO COREL X5 E NÃO QUERIA VOLTAR PARA O ANTERIOR, POREM ESTA MUITO DIFÍCIL LIDAR COM O GERENCIAMENTO DE CORES DO X5
    BOM O PROCESSO QUE FAZIA ANTERIORMENTE É ESSE:
    OBS: OS CRACHÁS SÃO PARA UMA INSTITUIÇÃO, E O MODELO PARA TODOS OS CRACHÁS É O MESMO.
    1 – COM A ARTE PRONTA CONVERTO O CRACHÁ DE FRENTE COLORIDA PARA O RGB.
    2 – ENVIO PARA A IMPRESSORA.
    AS CORES SAEM COM UMA TONALIDADE MAIS ESCURA.
    AGORA COM O X5 AS CORES SAEM QUASE APAGADAS.
    JÁ PASSEI POR VIDEOS, SITES E BLOGS PARA TENTAR ENCONTRAR O GERENCIAMENTO DE CORES IDEAL, MAS ATÉ AGORA NADA.

    BOM A IMPRESSORA QUE USO PARA IMPRESSÃO É DATACARD SP35 PLUS SERÁ QUE FAZ DIFERENÇA?
    ME AJUDA POR FAVOR.

    • Paulo Valle
      Author

      Pedi pro Liute te responder… mas por enquanto entra no seu corel X3 e vai em e anota as configurações que você tinha… depois entra no Corel X5 em e em predefinições escolhe a que é mais parecida com o que tinha no corel X3… as definições do corel X5 são bem mais completas.
      Não tenho o corel X3 aqui para comparar as telas… o meu X5 está configurado para impressão em offset… tem que achar a melhor configuração para a sua impressora.
      Imagino que no X3 estava otimizado para RGB, por isso tinha bons resultados ao converter para rgb… no X5 ele é otimizado para offset CMYK, daí as cores ficam esmaecidas na conversão.

    • Oi Edson, já respondi algumas dúvidas exatamente como as suas lá no Clube do Design, mas vamos lá. Primeiro quero lhe mostrar que já gravei um vídeo no youtube mostrando as configurações no Corel X5 que uso e que acho ideais, segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=ssGfMzLAkog

      Bem, aqui temos uma datacard também, e se você seguir as recomendações do vídeo provavelmente terá exito. O processo consiste em definir o gerenciamento de cores do CorelDRAW com os perfis corretos, eu uso perfil Adobe RGB para o modo RGB e para o modo CMYK uso o Padrão U.S. Web Coated (SWOP) v2 ou Fogra 39 (Um para impressões em mídia fosca e outro para mídias brilhantes como papel couchê, respectivamente) Observe que você deve habilitar a opção “Preservar preto puro” para que não haja a mistura de tintas para criar o preto na sua impressão.

      Vale lembrar que o processo de gerenciamento de cores não é tão simples quanto apenas configurar um programa, na verdade a maioria dos usuários consegue obter resultados diferentes na sorte, cada qual de acordo com o tipo de dispositivo. Leia nosso artigo sobre gerenciamento de cores: http://www.cardquali.com/entenda-processo-de-gerenciamento-de-cores/

      Portanto, as configurações apresentadas na verdade são apenas uma solução provisória, podem não funcionar no seu equipamento, dado que o gerenciamento de cores requer que todos os dispositivos estejam calibrados e com os perfis de cores interligados entre si. O que aconteceu com você é que X3 você tinha um resultado que achava satisfatório, embora este não fosse exatamente o resultado correto, agora com a atualização do sistemas de cores e um resultado diferente, isto acaba desfazendo a coincidência que ocorria ao usar a versão X3.

      Todos os programas, tanto da Corel quanto Adobe ou qualquer outro fabricante apresentam resultados singulares nas cores, então não existe um programa que represente as cores melhor que outro, o que ocorre são resultados diferentes que podem agradar ao seu “gosto” mas que não estão necessariamente corretos. Repito, é necessário para que as cores sejam representadas corretamente a implantação de um sistema de gerenciamento de cores, só assim se obtém resultados profissionais.

      Uma informação importante que vale ressaltar, é errado trabalhar com um objeto em CMYK e converter para RGB e vice e versa, para fins de impressão, assim você está criando resultados aleatórios, nada profissionais, um material deve ser criado em CMYK e finalizado/impresso em CMYK, da mesma forma os que serão trabalhados em RGB, deve-se evitar ao máximo esse tipo de conversão, a menos que seja absolutamente necessário (Como fotografias digitais por exemplo), se sua impressora é RGB, crie o trabalho em RGB, por isso é necessária a implantação de um sistema de gerenciamento de cores, para que o que você está vendo na tela saia exatamente igual na impressora, brilhante por brilhante, opaco por opaco, sem nenhum diferença.

      O Assunto é muito longo, seria bom que você desse uma olhada mais aprofundada em assuntos relacionados a gerenciamento de cores e espaços de cores. Quando você converte um documento CMKY para RGB ou vice-versa há perda de informação, um espaço é diferente do outro, RGB tem uma gama de cores absurdamente maior que CMYK, deve-se levar em conta que não existe só um tipo de perfil de cor para cada espaço de canal, cada perfil representa um numero de cores diferentes, uma gama diferente e uma reação diferente para cada tipo de mídia (papel ou tela). Aí volto a falar, é e sempre será necessário um sistema de gerenciamento de cores, se não, é impossível obter resultados profissionais, e qualquer tentativa de configuração no CorelDRAW será meramente de “tentativa e erro” afim de encontrar ao acaso um perfil que corresponda as suas expectativas para aquele equipamento isoladamente.

      Grande abraço amigo, espero que tenha entendido, qualquer dúvida é só avisar!.

  2. Michele Spindola

    Olá!

    Tenho uma arte, que aparentemente parecia ter duas cores, vermelho e preto. Quando eu dividi as cores derem mas opções. A minha pergunta e: posso optar por ter somente as as duas impressões das cores para poder silkar?

    • Paulo Valle
      Author

      Michele,
      Pode sim, mas não da maneira que está fazendo.
      O módulo de impressão do corel faz as separações das cores nas cores básicas ciano, magenta, amarelo e preto e também nas cores pantone.
      Se você pega uma arte qualquer que te enviaram com vermelho e preto, vai sair na verdade 3 chapas… magenta, amarelo e preto. Você vai perceber que as duas primeiras devem ser iguais, já que o vermelho é formado por 100% magenta e 100% amarelo.
      Para que tudo saia direitinho o ideal é colocar as cores como pantone… aí você vai ter uma chapa para cada pantone usado.
      Faça o teste… crie uma arte final qualquer com cromia (fotos) e algumas cores pantone. No menu imprimir abra a aba cor>imprimir separações e na aba separações, checa as cores do processo e os pantones. Na visualização dá para ver as chapas em separado (marcar para serem em preto e não em cores).
      Tenta lá e me fala.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Sim… ou tetracromia se preferir.
      Mas ambos podem ser feitos com outras cores que não a CMYK… existem muitos padrões no mercado.
      O Policromia é um termo amplo, que engloba a quadricromia e outros termos.
      No mercado é mais usado do que a quadricromia, tanto que deu origem a postagem pois muitos são os que procuram o significado do termo. Inclusive tenho uma postagem que fala sobre todos os tipos de policromia do mercado, inclusive na pintura rupestre, artesanato e muitas outras.
      A maioria das gráficas adota o termo policromia como sinônimo de impressão CMYK. Não irei entrar no mérito do significado das palavras… aqui buscamos dar conhecimento as pessoas nas dúvidas de suas vidas práticas. Não adianta ensinar que se chama quadricromia e ao procurar fornecedor não achar nenhum por nenhum dos outros gráficos usar ou saber o que significa.
      Quer fazer um teste. Verifica quantos fornecedores seus trabalham em tricromia ou hexacromia? Verifica se eles sabem o que significa. A Hexacromia admite até mais de uma composição de cor mas mal foi adotada pela industria apesar do grande avanço no gamut de cores… tudo é uma questão de custo.
      Mais fica aqui nos comentários a resalva do termo.
      Abraços,

  3. Magali

    ESTOU MONTANDO UMA ESTAMPARIA EM POÇICROMIA E ESTOU COM SUCIDAS QUANTO A IMPREASORA CORRETA PARA TAÇL FINALIDADE.VEJO MUITOS ANUNCIOS DE IMPRESSORAS POST SCRIPT. NO MERCADO LIVRE. .GOSTARIA DE SABER SE A IMPRESSORA MONOCROMATICA. PARA FOTOLITOS SERVE.

    • Paulo Valle
      Author

      Magali,
      A sua estamparia vai usar impressão silk-screen ou sublimação? Qual o tamanho das suas peças?
      Antigamente se fazia esse serviço fazendo um fotolito para silk na largura do rolo e ia se aplicando o silk em diversas cores andando o tecido no tamanho da estampa. Atualmente a maioria faz impressão num ploter sublimático no papel e faz a transferencia para o tecido usando uma calandra térmica.
      Peças menores podem usar prensas termicas e impressoras menores.
      A questão do postscript vai depender do processo usado… e não é obrigatório.
      Não adianta pegar uma impressora laser A4 e querer fazer um tecido com 1,60 de largura… tem que haver uma combinação entre as tecnicas.
      Para falar a verdade o processo de impressão e prensagem é mais complicado do que gerar os fotolitos ou fazer a impressão com tinta sublimática no papel… esses ultimos são facilmente terceirizáveis.
      Me passa mais detalhes para eu tentar te ajudar… preciso saber o tamanho das pessas e o tipo de impressão que vai usar.
      Abraços,

  4. Anisio Assumpçao

    Amigos… existe algum programa que eu possa passar para meu impressor visualizar as cores da policromia, sendo uma de cada vez e misturando de duas ou tres ou as 4, mas que me de um visual igual ao grafico dessa pagina da “borboleta”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *