Máquinas para envernizamento de produtos gráficos

4 Flares Twitter 0 Facebook 4 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 4 Flares ×

Quase todo profissional gráfico tem vontade de fazer seus próprios produtos gráficos. Todo iniciante deseja fazer impressos exatamente iguais aos oferecidos pelos grandes distribuidores gráficos. Mas uma coisa impede a grande maioria. Existem muitas empresas que fazem laminação. Mas quantas você conhece que fazem envernizamento? O tema de hoje foi feito para apresentar opções de envernizamento para todos os portes de gráficas!

Um pouco sobre o processo!

Antigamente, os cartões de visita raramente tinham algum tipo de proteção.  Impressão ficava a mostra, sem nenhuma proteção. Eram tempos de cartões tipográficos, com relevo e outros processos que quase não vemos mais.

Quando a impressão colorida se popularizou, um problema começou a acontecer. A impressão desbotava ou perdia parte de seu brilho original devido ao atrito e a exposição ao clima (sol, chuva).

Com isso, as gráficas começaram a fazer laminação em seus impressos, melhorando a qualidade. Não demorou muito e surgiu um novo processo, que usava verniz para dar brilho aos impressos e de quebra proteger a impressão.

Com o avanço da tecnologia, surgiu o verniz UV, que facilitava a aplicação, sem grudar o papel na rolagem e garantindo um brilho espetacular ao impresso. Hoje, é o acabamento mais comum nos distribuidores gráficos, desbancando a laminação como acabamento mais comum. O verniz UV permitiu inclusive o uso com substratos mais finos, pois como ele é mais fluido que o verniz normal, permite que este tipo de acabamento seja aplicado em papeis mais finos, como os de 150 g e até em alguns casos papeis com 115 g.

A laminação ainda sobrevive, principalmente a sua versão Bopp fosca, e nas gráficas de menor porte, que desconhecem o processo de aplicação de verniz.

Eu também conheço muito pouco sobre o processo de verniz, mas fui a internet saber um pouco mais e descobri que existem equipamentos praticamente capazes de serem colocados em gráficas de todos os portes. Vamos conhecer estes equipamentos?

verniz01

Começando pelo totalmente automatizado!

Vou começar pelo que há de melhor no mercado!

Que tal uma máquina que puxe as folhas automaticamente, independentemente do tamanho destas, aplique o verniz UV, passe no forno de UV (que é um misto de luz UV com calor), faça o esfriamento e empilhe as folhas de volta, tudo inline.

Isto já existe. E são muitos os fabricantes.

Eu selecionei este aqui, por ser reconhecidamente um dos maiores nomes do mercado e por estar lá encima nas pesquisas do google.

http://www.radial.com.br/envernizadora-aplicadora-vernipaper-esp.html

Se você também é fabricante e se sentiu enciumado por não ter sido citado, deixe um comentário aqui embaixo que com certeza será lido por nossos leitores.

Se você andar pelo site vai perceber que existe uma que se adapta ao tamanho de sua máquina.

Não vi o preço, mas pelo porte você já deve ter mensurado que não deve ser muito acessível para maioria dos mortais. Mas por que não conhecer o Olimpo das máquinas para começar!

E se fosse aplicado direto na offset?

Acho que você pensou no mesmo que eu?

E se na offset já tivesse um sistema desse?

Nas máquinas de maior porte já existe essa opção. É feita a impressão offset de 4 cores, secada rapidamente, e um módulo de verniz é colocado inline na máquina.

Economia de espaço e praticidade.

Essas máquinas existem, embora eu tenha tido dificuldade de encontrar links. Parece que os grandes fabricantes não querem ser encontrados.

Aqui vai o link de uma máquina usada… tem o valor para aqueles que pretendem sonhar.

http://www.bressermaquinas.com.br/busca_av_01-1.php?cod_b=15596

Se você quiser pode pesquisar um pouco mais e encontrar outras opções até mais em conta… confesso que hoje estou meio preguiçoso e não fucei muito.

verniz02

Opção caseira que atende bem!

Que tal fazer uma adaptação?

Pegamos uma offset monocolor do porte que queremos, com uma boa distribuição de tinta (afinal é uma impressão chapada) e colocamos em linha com uma secadora UV.

Acho que esta é a opção da maioria das gráficas que tem por aí.

Pelo que eu vi uma máquina dessas usada sai por cerca de R$ 18 mil e costuma ser relativamente lenta. Gastando um pouco mais você obtem mais velocidade, se adequando a uma offset em baixa rotação.

Pela forma da máquina dá tranquilo para colocar as duas em linha.Basta ajustar as velocidades para que tudo funcione de acordo.

Alimentação manual

Vamos começar a tormar as opções mais viáveis? Que tal colocar um caboclo para ir alimentando a máquina aos poucos. Isto vai reduzir bastante os custos, principalmente se a produção for pequena.

Neste item temos máquinas como esta vendida pela Apolo que podem atender gráficas de um bom porte. Dá uma olhada no link e veja o vídeo para ter uma ideia da velocidade.

http://www.apolo.com.br/excell/630uv.html

Viu como é prática? Serve praticamente para qualquer formato e tipo de papel. Ainda tem problemas com papeis muito finos que tendem a grudar na rolagem, mas dá para ficar dentro dos padrões de mercado.

Tem pouco espaço? Que tal essa?

Vamos dizer que você trabalha num espaço minúsculo, com impressão jato de tinta ou laser e quer dar algo mais aos seus clientes.

As máquinas acima nem entram na sua sala.

Fiz um achado numa área que nunca pensei. Existem opções de envernizamento usadas na área de fotografia. Eu não tinha o menor conhecimento disso.

Ola só o que achei para você:

http://www.icalsc.com.br/produtos/maquinas-para-encadernacao/envernizadora-uv-c33

Ela faz verniz brilho e verniz fosco a um custo acessível , embora eu ache caro para competir com os grandes distribuidores. Mas para atender aquele cara que aparece na sexta feira, querendo o produto para o sábado, pode ser uma opção e dá para ajustar no preço cobrado.

O vídeo mostra todos os detalhes, desde os ajustes até a operação final. Sugiro que assita ele.

Totalmente manual

Outra área que já usa verniz UV a algum tempo é a área de plotagem.

Foi nela que achei uma opção totalmente manual, movida a puxão!

Não sei se é uma opção para você, mas com certeza é bom conhecer.

Veja este link aqui e assista o vídeo:

http://www.raslu.com.br/produtos.php

Ao pé da letra você coloca o papel e puxa ele.

verniz03

E no Silk-screem?

Tem mais uma opção que eu não poderia deixar de falar.

Você pode aplicar verniz usando silk-screem.

Basta fazer a matriz, usar o verniz correto. E no final colocar numa esteira de secagem UV (curadora UV).

Existem até máquinas que fazem a alimentação automática, aplicação de verniz automático e inline secam o produto.

Não vou entrar em detalhes, mas olha esse vídeo aqui de uma linha de produção bem simples.

http://www.youtube.com/watch?v=_m7pZunRknA

Gostou?

Um detalhe sobre Verniz UV localizado.

Um dos produtos mais difundidos no mercado é o cartão com laminação fosca e verniz localizado.

Mas como ele é feito?

A impressão não é problema. Basta colocar na offset e imprimir.

A laminação usa o Bopp Fosco, que dá um tato sem igual ao impresso. Não é a toa que vem sendo usado direto em capas de livros e cartões.

Agora o verniz UV localizado pode ser aplicado por dois processos. Podemos usar uma offset monocolor com o verniz UV a base de água ou usar a serigrafia (silk-screem) e fazer a cura usando qualquer uma das máquinas acima.

Eu nunca vi, mas nada impede de fazer isto com a sua impressão doméstica. Como é um produto caro, dá para atingir o custo necessário para valer a pena a produção.

Conclusão

Se você não sabia como fazer o verniz dos seus impressos, creio que agora já tem uma ideia.

Sei que ainda, para a maioria, não é uma realidade, mas pelo menos agora você saberá que caminho seguir e o que pode conseguir com seu capital.

Infelizmente não me foi possível verificar preços e custos, mas deu para indicar o caminho para as suas pesquisas.

Espero que tenham gostado da postagem.

Uma grande abraço a todos.

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

4 Flares Twitter 0 Facebook 4 Google+ 0 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 4 Flares ×

19 comentários

  1. Edileuce

    Olá Paulo!!

    Eu já trabalhei em duas gráficas que só fazem acabamentos gráficos (laminação fosca, brilho, soft-touch, plastificação, verniz brilho, fosco, texturizado e até com aroma em off-set e silk) e conheço muitas outras… Na matéria vc diz: “Essas máquinas existem (Off-Set), embora eu tenha tido dificuldade de encontrar links. Parece que os grandes fabricantes não querem ser encontrados…”, E não vai encontrar mesmo!! Pq essas máquinas para aplicação de verniz são máquinas de impressão de tinta, ADAPTADAS para impressão de verniz! Exceto em Silk-Screen que já é possível encontra-las fabricadas diretamente para esse fim. Uma máquina off-set de 4 cores (4 baterias), por exemplo, no verniz só se usa uma bateria e na maioria das vezes se compra máquinas usadas para essa adaptação.

    • Paulo Valle
      Author

      Edileuce,
      As máquinas que citei são máquinas com 5 torres ou mais, que já tem a torre especialmente projetada para verniz UV base água.
      Essas máquinas são muito raras no mercado comum.
      O que encontramos muito por aí são realmente as máquinas adaptadas… mas me diga você que trabalhou com elas… não incomodava volta e meia ter folhas grudadas na blanqueta?
      A medida que se desenvolve máquinas especialmente para a tarefa, resolve-se este tipo de problema.
      Onde se encontram muito essas máquinas são nas grandes feiras gráficas do tipo da Fiepag.
      Abraços,

  2. Francirlei Araujo

    gostaria de saber se posso colocar verniz uv em cartucho de tinta para da acabamentos em minhas impressoes. desde ja agradeço a resposta

    • Paulo Valle
      Author

      Francirlei,
      Não sei se funciona.
      Já pensei em tentar isso, mas não vi na internet ninguém que tenha feito.
      Acho que alguns plotters já usam essa técnica, mas pessoalmente não conheço.
      Mas você vai ter que fazer um sistema de secagem uv (com lâmpada) na saída da impressora.
      Se conseguir e quiser dividir aqui com a gente será muito bem vindo.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Cleberson,
      Depende do processo de aplicação de verniz.
      Temos maquinas como a calandra, que passa verniz em tudo que passa pela máquina.
      Mas existem vernizes próprios para serem aplicados como uma tinta… usando uma chapa. Alguns nem precisam de cura UV.
      Dá uma olhada no site da cromus (http://www.cromos.com.br/site/) em produtos, outros produto, vernizes e lê a descrição de cada um.
      Acho que essa leitura vai te ajudar bastante a fazer o que quer. Basicamente basta preparar uma chapa com a cobertura pretendida e a faixa que quer, aplicar um desses vernizes para offset, sem cura ou com cura uv (exige equipamento extra).
      Boa sorte aí!
      Abraços,

  3. Olá, Paulo! Quanto tempo! Como eu não pensei antes em vir procurar o que eu queria aqui? Já tirei muitas dúvidas no seu blog! Meu caro, venho tendo problemas constantes com as gráficas online como GIV, Mister Print e cia… A política delas parece ser de que “tudo vai bem enquanto dá certo”. Nas hora que algo sai errado, não há muito o que fazer. Os atrasos nos prazos e os erros (provocados pelo processo, e não pelo arquivo) estão cada vez mais frequentes. Tanto que venho pensando em uma linha de financiamento para conseguir produzir, no mínimo, os cartões com laminação BOPP e e verniz local. Há alguns gargalos logísticos que preciso resolver, mas, a grosso modo, considero:

    – Impressora laser
    – Laminadora
    – Aplicação do verniz pelo processo serigráfico

    1) Você tem uma indicação de onde eu possa achar mais informações sobre o processo de aplicação de verniz localizado de forma automatizada, sem passar pela serigrafia?

    2) A laminadora para o BOPP é uma laminadora comum, dessas que vemos em gráfica rápida fazendo laminação brilho, mudando apenas o tipo do filme?

    Muito obrigado por estar sempre compartilhando seu conhecimento conosco.

    • Paulo Valle
      Author

      Julio,
      Não vou dizer que é fácil… mas é possível. O problema é o custo.
      As laser mais eficientes vão te dar a impressão na ordem de R$ 0,50 o A3… soma a isso o papel a uns R$ 0,20 e ficamos com R$ 29 o milheiro do cartão frente e R$ 50 o frente e verso, sem a laminação e sem o verniz local e seu trabalho… esse é o grande problema… para 100 ou 200 cartões é viável por que a concorrência das grandes cai no mesmo equipamento que o seu. Mas no milheiro perde-se em valor.
      A máquina de verniz localizado automática custa mais de R$ 30 mil… ainda nem vi ela mas a Apolo tem dela.
      O BOPP em máquina pequena ou grande varia muito pouco… é mais a produtividade já que o filme é o mesmo.
      Estou com um catalogo aqui da Polymer Up que faz um cartão desses diferenciado, com verniz local em relevo.
      Como você terá mesmo que comprar uma curadora UV por conta do verniz UV localizado, pode optar por esse outro verniz e fazer algo diferente.
      A questão da GIV é o que acontece com toda gráfica que cresce… começa a faltar mão de obra qualificada e começa-se a pegar qualquer um começando esses problemas… não tem excessão.
      Sugiro pegar uma gráfica menor e aproveitar o gás dela enquanto não cresce.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Bruna,
      Não uso esses equipamentos mas posso dar uma luz.
      O primeiro problema é o verniz secar no equipamento. Nas maquinas de spay os dutos se fecham e nas maquinas de rolo eles selam e colam as superfícies.
      Depois de usar deve-se limpar bem as máquinas.
      Quando o uso é continuo não se tem esse problema… mas nos feriadões costuma dar problema, por isso é conveniente limpar bem a máquina.
      O fabricante passa como é feita a limpeza e que produtos usar.
      Abraços,

  4. Bruna Rafaela

    Bom dia.

    Muito bacana seu post Paulo.

    Será que poderias me ajudar, como faço o calculo para saber quantos kg de verniz UV vou precisar para rodar um determinado material?

    Desde já agradeço

    • Paulo Valle
      Author

      Bruna,
      Isso varia com a máquina e a regulagem da mesma, pois a camada de verniz pode ser mais espessa ou menos espessa.
      Como tem maquinas que aplicam com rolos e maquinas que aplicam com spray, fica muita variação.
      Caso já possua uma maquina sugiro ligar para o representante e pegar essas informações. Pode também fazer de maneira prática, colocando o verniz num pote menor que saiba o volume e ir usando apenas esse pote e registrando quantas folhas são envernizadas… daí uma conta simples será o suficiente para saber o consumo de tinta (se não conseguir fazer a conta me passa os dados de custo da tinta, volume da embalagem que comprou, volume da garrafinha de teste, quantidade de folhas envernizadas com o frasquinho).
      Agora se quer ter uma idéia de custo para comprar a máquina… o custo de envernizamento é mínimo… coisa de R$ 1 a R$ 2 por milheiro de folhas grandes… quase que não entra nos calculos pois o valor do operador é bem maior do que o verniz utilizado.
      Qualquer duvida estarei por aqui.

    • Paulo Valle
      Author

      Claudio,
      Esse video aqui https://www.youtube.com/watch?v=KRFrfuOvdYs fala em folhas, lonas e vinil… ou seja, inclui o couchê no negócio… mas observe que ela é feita para tamanho grande… folhas pequenas podem ficar com partes não envernizadas, pois existe uma área sem envernizamento usada para puxar as folhas… tenha isso em mente ao adquirir o equipamento. O melhor mesmo é falar com o fabricante ou com o vendedor que deve ter essa informação.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Nadia,
      Eu creio que não… é possível acoplar lampadas UV na saida da maquina e até pequenos ventiladores.
      O que preocupa mais é o carater corrosivo do verniz, que ataca as mangueiras e cabeça de impressão.
      É um problema parecido com o que acontece com as tintas latex e eco-solvente.
      Na verdade acho que ninguém ainda tentou fazer… basta um fazer para aparecer as copias.
      Tem que lembrar que uma coisa dessas pode custar várias impressoras na fase de testes… é coisa para ser desenvolvida com quem tem muita sucata.
      Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *