Guia do vendedor gráfico!

13 Flares Twitter 0 Facebook 9 Google+ 4 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 13 Flares ×

Trabalhar com gráfica não é uma coisa difícil. Não é necessário muito estudo, existe grande quantidade de fornecedores e os profissionais que atuam no mercado não conseguem atingir todos os possíveis clientes. Mas, como trabalhar com gráfica? Segue um pequeno guia!

O que é necessário?

Já falei no parágrafo anterior que não é necessário muito estudo para trabalhar no ramo gráfico.

Saber escrever bem é uma coisa que ajuda. Disciplina e força de vontade talvez seja o mais importante. Basicamente é necessário montar uma estrutura de apoio. Precisa de fornecedores, arte finalista, clientes e atender a burocracia. Agora onde conseguir estas coisas? Vou especificar tópico a tópico tudo que é necessário.

Buscando fornecedores

No meu artigo Distribuidores gráficos que eu conheço, você encontrará várias opções de fornecedores para iniciar seus trabalhos.

Na sua região também devem ter vária gráficas que podem te ajudar. Procure conhecer gráficas pequenas, médias e grandes. Bureaus de serviço e copiadoras também podem ser de grande ajuda.

Vá a todos estes locais e procure conversar, expondo que pretende atuar no ramo gráfico e veja as propostas de preços para serviços.

O mundo não é perfeito e você encontrará desde pessoas que não querem te atender até aquelas pessoas que vão te passar todo suporte necessário para ingressar no ramo.

Faça sua rede de fornecedores.

Atendimento que faz diferença!

Que produtos vender?

Feita a rede de fornecedores, você já deve ter diversas tabelas de preços. Com base nelas você deve montar a sua tabela de preços para iniciar os trabalhos. Procure não trabalhar com valores muito baixos. Não superestime as suas vendas, provavelmente levará um bom tempo até que consiga a primeira venda.

A própria busca de fornecedores já vai te dar uma base de preços. Trabalhe com preços próximos aos mais caros e depois vá ajustando os valores.

O importante é saber as suas básicas e dividir por 20 dias de trabalho no mês para saber sua margem mínima. Estabeleça metas.

Dando um exemplo numérico. O valor de suas necessidades básicas deu R$ 1.000,00 por mês. Em 20 dias dá R$ 50,00 por dia. Um cartão que custe R$ 20,00 a produção, R$ 20,00 a arte e R$ 10,00 de custos para pegar o material, deve custar com o seu “lucro” R$ 100,00 para o cliente.

A medida que comece a vender mais, a margem pode diminuir um pouco e o custo do “frete” também é dividido entre todos os produtos. Assim, suponha que venda 2 cartões de visita por dia: Margem R$ 50,00 pelos dois, R$ 20,00 de produção de cada um dá R$ 40,00 no total, 2 artes a R$ 40,00 e R$ 10,00 para pegar o cartão. Valor total: R$ 140,00 ou seja R$ 70,00 por cartão. Vendendo por R$ 80,00 ainda aumenta o seu “salário”.

A ideia da tabela é esta. Servir de base para atingir a sua meta.

Com o tempo, sua produtividade aumenta e diminuem os custos e os preços, gerando uma onda de crescimento.

Arte finalista. Um parceiro!

Para vender você precisa mostrar o que pretende entregar. Nos seus fornecedores você conseguirá amostras de produtos.

Mas você precisa ainda mostrar a cara do cartão de visita ou folder que está vendendo.

Para isto é necessário ter um arte finalista.

Contratar um profissional deste sai muito caro. Mas pense bem! Do mesmo jeito que você tem o dom de falar com as pessoas e vender produtos para eles, existem pessoas mais caladas, que se dão bem criando produtos no computador. Um trabalha vendendo e o outro criando.

Não tente explorar o arte finalista. Entre no conceito que ambos saem ganhando no negócio. Se ele estiver próximo a sua residência ou de seus clientes ajuda muito, pois facilita os deslocamentos.

Dê tempo para ele trabalhar e procure ajustar previamente os valores de cada tipo de arte para poder colocar no preço do produto. Ambos devem estar alinhados nas dificuldades de produção da arte para que não seja vendido nada que não possa ser produzido.

Lembre-se que você paga pelas artes que pede ao arte finalista, independentemente da venda ocorrer ou não. Incorpore este custo aos preços cobrados na sua tabela de preços.

Procure sempre ter uma opção, pois o arte finalista pode estar de agenda cheia, dificultando as suas vendas.

Mas haja sempre como se ele fosse seu parceiro, deixando claro com todos que você trabalha as suas preferências.

Onde encontrar clientes?

Para quem vender? A maioria fica sem saber responder esta pergunta.

Praticamente todo mundo pode ser seu cliente. Pessoas comuns Fazem convites para festas, promovem eventos. Comerciantes precisam de panfletos, notas, talões, cartões. Médicos, dentistas e advogados precisam de receituários, memorandos, fichas e cartão de visita. Profissionais liberais e vendedores precisam de pastas. Folders, panfletos e cartões de visita.

Minha sugestão é que você defina uma ou mais áreas de atuação e percorra todas as ruas e prédios da região. Ofereça o serviço e não se abale com as negativas. Volte a cada 10 ou 15 dias e deixe que conheçam a sua cara.

Seja sempre simpático. Com o tempo as pessoas gostarão da sua presença e te darão trabalhos.

Sendo organizado você perceberá o tempo que cada pessoa leva para precisar dos serviços e as vendas acontecerão naturalmente.

Não desanime!

Agora que estamos falando de clientes é bom frisar que nesta área existe um entrave as vendas. Como você está buscando o cliente e, muitas vezes, ele não te conhece e, somado a isto, o seu produto só chegará após vários dias, existe uma desconfiança natural dos clientes.

Com isso, no inicio dos trabalhos, é preciso ter paciência e não desanimar. A medida que os clientes se acostumam a sua presença constante acontecerão as primeiras vendas e os próprios clientes se encarregarão de divulgar o seu trabalho.

Por isso, mantenha a frequência das visitas, o otimismo, a simpatia e o cuidado no atendimento ao cliente.

Neste ponto, organização conduz a vendas.

Cobranças, documentos e demais burocracias

Você pode atuar como um profissional sem registro, mas isto  implicará em ter que receber em dinheiro e perder clientes por não ter nota fiscal.

Assim que for possível legalize-se e abra uma conta empresarial. Com ela você poderá trabalhar faturando ou aceitando cartões de crédito. Isto permitirá você alavancar suas vendas e aumentará a sua credibilidade. Seus clientes sempre preferirão trabalhar com uma empresa ao invés de alguém sem registro. Ter uma empresa e visitar o seu cliente será o seu diferencial.

Cuidado com o faturamento!

É muito comum o profissional receber o dinheiro e incorporar  ao seu patrimônio pessoal,esquecendo-se que é necessário produzir e pagar o produto a ser entregue.

Separe exatamente o que é da empresa e o que é o seu lucro (sua retirada). Você não pode tirar tudo que entra e sim só uma pequena parte.

É até conveniente deixar uma sobra para seus problemas futuros.

Outro cuidado que se deve ter é com o próprio valor ganho. Lembre-se que você é um profissional que depende totalmente de seu trabalho. Se ficar doente não receberá nada. Com isto, é prudente, retirar apenas o mínimo necessário e deixar o restante reservado para o futuro.

Quando as sobras se tornarem muito grandes você poderá aumentar um pouco sua retirada. Minha sugestão é tentar manter aplicado algo correspondente a 3 ou 6 meses de retirada e ter um bom seguro assim que possível.

Fazendo esta reserva você perceberá que vai trabalhar muito mais tranquilo e estará menos sujeito a pressões dos clientes. Seu trabalho se tornará mais profissional.

Entrega dos produtos e pós-venda

Lembre-se que você será responsável pela qualidade dos produtos que entrega. Como não é você que os produz, deve ter atenção redobrada na escolha de seus fornecedores  e jogo de cintura para discernir a extensão dos problemas encontrados.

Encontrar uma falha em uma pequena porção dos produtos entregues pode ser até aceitável, desde que não ocorra com frequência, pois acidentes acontecem.

Muitas vezes uma boa conversa e um desconto são suficientes. Peça sempre desculpas para o cliente e procure o ouvir com atenção. A maioria das vezes ele quer apenas ser ouvido e uma conversa sincera a respeito do problema, junto a humildade serão o bastante para manter uma relação duradoura.

O pós-venda serve exatamente para isto. Muitos problemas não são nem citados pelo cliente, que deixa pra lá o problema e deixa também os seus serviços.

Se o cliente sentir, através do pós-venda, que você está realmente interessado na qualidade dos serviços, isto contará positivamente para você. Trate o cliente como rei, tanto antes da venda como após a venda.

Pronto para arregaçar as mangas!

E aí? Lendo este post se animou a trabalhar?

O ramo gráfico é um ramo bem barato para iniciar seu empreendimento. Você pode iniciar seu negócio com pouquíssimo dinheiro e ir crescendo seu negócio.

São pouquíssimas as áreas que você pode fazer isto. Caso esteja desempregado ou tenha tempo livre, pode ser uma excelente oportunidade para ter uma ocupação ou complementação de renda.

Se gostou, não perca tempo!

Aqui mesmo no blog tem muita informação útil para quem quer ingressar no meio.

Dá até para crescer! Leia os posts:

 – Tipos de acabamentos gráficos mais comuns

 – Cursos: Se preparar é preciso

Medo de mudança?

Quer crescer! Seja curioso!

Vale a pena abrir uma gráfica?

Entendendo gramatura e tipos de papel

Como escolher uma gráfica?

Impressão em grupo: O segredo do cartão de vista barato

Termos gráficos I – 4×0, 4×1 e 4×4 que bicho é esse?

Espero que tenha gostado.

Se tiver sugestões basta fazer um comentário no final do post.

Quer continuar a receber as dicas: Assine nossa newsletter.

Até a próxima.

Abraços a todos!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

13 Flares Twitter 0 Facebook 9 Google+ 4 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 13 Flares ×

19 comentários

  1. Saudações Paulo!
    Em primeira mão que dizer que minha ausência esses dias foi por motivo de problemas no blog, onde tiver que da muita atenção, e sinceramente um baita desanimo com um problema que está comprometendo meu trabalho em 99%, esses dias mal comentei nos blogs parceiros devido a stress e e desanimo. Mas bola pra frente!

    Quanto a sua postagem achei magnifica, são informações que devem serem bem consideradas na criação de um negócio, essas informações não só servem para a criação de uma gráfica, com para qualquer pequeno, médio e grande negócio, e como minha mente blogueira nunca deixa passar uma oportunidade, também podem ser aplicadas dentro de um blog, o processo de criação de um blog também precisa de todas essas análises, casso contrário não tem como ter sucesso. Abraços!

    • cardqual
      Author

      Mirko,
      Eu também andei sumido… trabalho, provas, festas, eventos… muita coisa neste mês. Minha sorte é estar abrindo o blog para outros escritores… tem sempre alguém enviando alguma coisa e nestas horas ajuda muito. Pense em fazer o mesmo no seu blog… duas cabeças pensam melhor que uma.
      Após fechar minha gráfica me formei em administração. Como a falta de uma boa administração foi uma das principais causas do meu fechamento, tomo sempre o cuidado de passar essas informações para meu público alvo. Meus textos, embora direcionados para gráficas, podem ser aplicados a qualquer empreendimento, online e offline.
      É sempre um prazer ter seus comentários aqui.
      Até nosso próximo encontro. Aqui ou no seu blog.
      Abraços,

  2. andre

    Paulo, parabéns pelo blog. Seu texto ilustra muito bem o mundo do gráfico. Eu sou publicitário e estou trabalhando como revendedor gráfico também, como um faz tudo. Vendo, crio, compro, entrego… Queria aproveitar para fazer uma pergunta. Estou querendo me formalizar, porém não sei como. Fui no Sebrae mas o atendente não conseguiu tipificar como eu poderia abrir uma empresa. Ele me deu opção de gráfica (mas ai teria que ter um local apropriado) ou como agência de publicidade. Você poderia passar alguma orientação quanto a isso? Como formalizar um revendedor gráfico? De ante mão, muito obrigado pela atenção. André

  3. Paulo,

    Já possuo uma empresa de design digital, estou expandindo o negócio para design gráfico. Não só criamos, como também realizamos impressões. Estou a procura de vendedores externos, com experiência em vendas de impressos. Você conhece alguém para indicar, ou um lugar onde possa encontrar?

    Desde já agradeço pela atenção.

    • Paulo Valle
      Author

      Tenho visto muito anuncio no Guia do Gráfico, tanto oferecendo serviços quanto procurando serviços. Começa por lá.
      No caso de vendedor, pode-se criar um anuncio no infojobs. Tenho tido bons resultados por lá na área de restaurantes e este tipo de profissional (vendedor) pode ser encontrado com facilidade lá.
      Tenta e me fala… tendo dificuldades volta a me contactar com mais detalhes da sua oferta (local, salario, etc) para eu divulgar por aqui.
      Abraços,

  4. Allan Lucena

    Estava a ponto de desanimar, porem achei esse site por acaso, e me animou de vez, excelente post.
    Encorajando, e mostrando os problemas tambem ire recomendar aos amigos que leiam.

  5. Muito obrigado, pelos ensinamentos, o mundo pode se tornar melhor se ajudarmos as pessoas a saírem da inércia, eu faço exatamente o que você explicou no post, comecei há um mês e já consegui ter um pouco de lucro (cerca de R$ 900,00) o meu diferencial é que eu sou arte finalista e assim reduzo o custo e consigo entender exatamente o que meu cliente final quer, ainda estou começando mas vou seguir os seu conselhos e seguir em frente, realmente recebemos muitos nãos, mas pelo menos uma venda por dia eu tenho feito… Abraço…

  6. Celso

    Paulo! Muito obrigado, viu?
    Estou começando a trabalhar com uma linha de tapetes personalizados e quero agregar também uma linha de venda de calendários para brindes de final de ano. O que vc acha?
    Acho que vai dar um bom casamento.
    Como vc mesmo falou nesse texto suas ideias podem ser para qualquer negócio. Muito obrigado por me deixar motivado. Um abraço e fica com Deus.

    • Paulo Valle
      Author

      Celso,
      Não vejo muita relação em termos de afinidade entre os produtos. São públicos bem diferentes e métodos de trabalho também bem diversos.
      Cuidado para não atrapalhar o seu processo atual.
      A pouco tempo eu estava tocando confeitaria e gráfica ao mesmo tempo e a confeitaria estava atrapalhando direto a gráfica. Foquei apenas em gráfica e não me arrependo.
      Você está indo no caminho contrário… cuidado.
      Não tem mais nenhum produto que possa ser feito dentro do processo dos tapetes… algo novo, inovador e que só você faça?
      Pode ser ainda alguma nova forma de vender seu produto.
      Avalie melhor o seu mercado… ligue porá os melhores clientes e peça opinião deles… podem surgir novas idéias a partir deste contato.
      Boa sorte,
      Abraços,

  7. Paulo, parabéns pelo blog. Eu estou trabalhando como revendedor gráfico também, minha esposa se formalizou como mei designer publicitario que da direito de veder as artes feitas, mas eu acho que não serve para revenda grafica, estou querendo me formalizar, porém não sei como. pra ser gráfica o investimento seria muito alto Você poderia passar alguma orientação quanto a isso? Como formalizar um revendedor gráfico? De ante mão, muito obrigado pela atenção.

    • Paulo Valle
      Author

      Luis,
      Não se prenda muito ao termo usado na legalização. Revenda de produtos gráficos, que é o que fazemos, ainda não tem denominação formal no MEI e nem nos outros meios. Faça o que faça, ao cadastrar na prefeitura terá dificuldade de enquadramento devido ao nosso governo não enxergar a realidade do mercado gráfico. Gráfica para eles ainda é da forma que acontecia na década de 20 do século passado.
      O grande lance é entrar no site da sua prefeitura ou ir pessoalmente e achar um enquadramento que se encaixe na sua residência. Apareça lá e exponha exatamente o problema… eu pego produtos personalizados de um distribuidor gráfico e entrego no meu cliente (pessoalmente ou via correios), não tenho funcionários e nem recebo ninguém em casa… uqe enquadramento eu uso ou se continuo a atuar informalmente? O que eles podem fazer? Mandar você fechar a porta de casa? Eles vão achar um meio de fazer o seu enquadramento para o MEI ou vão negar, te dando o aval para continuar informal. O interesse de arrecadar é deles e não podem multar pessoa física… ainda mais com o pedido de formalização na mesa deles. Os primeiro 6 meses tem carater de orientação e não de punição… está em todas as leis, basta achar o artigo no código municipal. Querer que se cadastre como gráfica é errado, pois você não terá equipamentos industriais na sua residencia.
      Feito a busca de local com alvará e atividade fica mais fácil fazer o MEI ou Micro empresa… force a barra para estar como REVENDA e dentro do faturamento esperado de até R$ 5 mil mensais. Caso precise argumentar exponha que serigrafista está incluso e precisa de mais espaço, polui mais, e está incluso… pode até usar esse termo já que é possível fazer panfletos, talões, cartões e tudo mais com esse método… se eles querem ficar presos aos anos 20… que seja assim… viva a mentirinha deles.
      Abraços,

  8. Christian

    Muito bom! Conteúdo bastante proveitoso. Muito obrigado por compartilhar essas informações, Paulo. Comecei esta semana como freelancer Design Gráfico, consegui clientes no primeiro dia e um deles já me indicou para outro. Super contente e animado! Parabéns pelo blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *