Gráfica! Montando um pequeno bureau.

19 Flares Twitter 0 Facebook 17 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 19 Flares ×

Nós já falamos aqui em como começar a trabalhar com gráfica. Alguns podem já ter começado a algum tempo e já estão pensando em dar mais um passo e montar seu próprio negócio.  Hoje, vou apresentar alguns passos para que você se sinta um pouco mais seguro em fazer este upgrade na sua carreira.

Primeiro passo – plano de negócios

Poxa, Paulo! Já começou complicando!

Bem, vamos aos fatos! 95% dos empreendimentos que começam sem um plano de negócios quebram no primeiro ano.

Pode acontecer de fazer o plano de negócios e quebrar, mas as estatísticas se invertem quando temos um plano já traçado. Dos que fazem planos, a maioria chega a maioridade.

Então um plano de negócios é muito importante e temos que começar por ele!

Vamos então apontar alguns pontos relevantes!

Clientes

Se iniciarmos o nosso negócio já tendo clientes mais ou menos fechados já começamos com o pé direito.

É sinal que teremos os clientes antigos e mais os novos atraídos por nosso ponto comercial.

Vale ressaltar que não podemos abandonar algumas das estratégias antigas. Devemos continuar visitando os clientes e a ter preços compatíveis, nem que seja com estes clientes VIPs.

Tem até um ou outro cliente que não vai se importar de ser atendida por um vendedor que você coloque, mas faça esta passagem a mais suave que conseguir.

Tendo um ponto comercial você também vai poder prospectar clientes novos usando propaganda por diversos meios e terá o público passante, que verá o seu negócio.

grafica bureau ponto comercial

Ponto comercial

A escolha do ponto comercial também é muito importante.

Ele deve ser escolhido de maneira a não quebrar o seu caixa e estar bem posicionado para seus clientes e fornecedores.

Quanto menos tempo seus clientes, vendedores e fornecedores levarem para ir e vir de seus locais de trabalho para seu estabelecimento, melhor!

Se o seu foco não for o público passante e o seu modo de divulgação vá atingir um público que ande de carro, pode até ser interessante se afastar um pouco do centro e escolher um local com estacionamento fácil e quase sem trânsito.

Aqui vale pesar o custo benefício.

Vai trabalhar com convites de casamento? Fique próximo a salões e lojas de aluguel de roupa.

Vai ter uma editora? Pode se afastar do centro e ache um loca com uma boa área para promover lançamentos de livros com escritores e convidados.

Pense bem no ponto escolhido.

No caso de um bureau

Nosso objetivo aqui é abrir um pequeno bureau.

Então o perfil de nosso cliente é o público passante, que não sabe onde achar o produto que quer e tem grande chance de querer para a hora ou para um prazo curto.

Estar próximo a centros comerciais da sua região é uma coisa muito desejável. Quanto mais gente passar, mais vão ver o seu estabelecimento e maiores serão as suas vendas.

Uma boa aparência, que deixe claro o que você vende, é necessária.

Cuide da sua identidade visual, coloque promoções bem a vista e o nome dos produtos principais que você trabalha.

Mas o que precisamos neste caso?

Itens que precisamos cuidar

O primeiro item que devemos nos preocupar é o ponto comercial em si.

Pode ser uma loja ou sala, conforme o seu caixa permita.

Sendo loja você vai ficar mais a vista, para o seu cliente e para os fiscais. Neste caso tem que estar com tudo certinho e usar bem sua identidade visual (podendo economizar um pouco na propaganda).

Sendo uma sala, ficará com pouca visibilidade e terá que compensar com uso intensivo de propaganda .

Devemos legalizar o negócio, para evitar surpresas. Como certamente seremos microempresas o custo de legalização e impostos cai bastante. Pode-se usar apenas notas fiscais eletrônicas, diminuindo o custo de uma impressora fiscal. Pode ser necessário adquirir um software para gerar estas notas eletrônicas, mas temos alternativas a custo quase zero caso sejam poucas notas.

Não podemos esquecer de ajeitar as instalações, dando uma limpeza com tinta nas paredes e ajeitando moveis, balcões e expositores. Crie desde já uma identidade visual que seja atrativa para seu público. Afinal você trabalha com imagem e vender identidade visual pode e deve ser um produto a ser oferecido aos clientes.

Montada a loja, já podemos pensar em adquirir os equipamentos. É bom ter essa ideia ainda no plano de negócios, pois eles podem influenciar a posição de seu mobiliário e tamanho das portas.

Um pequeno bureau de serviços tem sempre alguns computadores, uma ou várias impressoras de produção (laser, copiadoras, plotadoras, ploter de recorte, etc), e máquinas para acabamento (guilhotinas, plastificadoras, etc).

A escolha dos equipamentos vai depender de seu público e das oportunidades de mercado.

Procure ter equipamentos que a concorrência não tenha e diferencie o seu mercado.

O trabalho pesado de gráfica, hoje, pode ser totalmente terceirizado. Escolha um ou mais fornecedores e cadastre o seu negócio. Faça testes para ver como é o atendimento e verificar se os prazos anunciados são de fato cumpridos.

grafica bureau funcionarios apropiação trabalho

Funcionários

Não podemos esquecer que precisamos de funcionários. O pensamento quando se contrata um funcionário deve ser o seguinte. Quanto me custa para fazer estes processos. Eles são difíceis de ser feitos ou posso pagar um valor baixo para uma pessoa para fazer? Veja quanto você ganharia para fazer este serviço e pague a metade para uma pessoa.

Vamos dar um exemplo simples.

Digamos que você trabalhe totalmente sozinho.

Digamos que você ganhe R$ 4 mil para fazer todas as suas tarefas no mês.

Das suas 44 horas semanais, você gasta 22 horas atendendo telefone para dar informações básicas e atender clientes no balcão.

Se você treinar uma atendente, ela pode te tirar um peso de 22 horas das suas costas, mesmo que leve outras 44 horas fazendo este serviço. Estas 22 horas te custam R$ 2 mil… pagando R$ 1 mil para ela já estará fazendo bom negócio, pois terá 22 horas livres para outras atividades.

Estas outras atividades podem ser criar novos produtos, pesquisar melhores preços e novos fornecedores, ou mesmo coisas pessoais como tempo para fazer exercício ou para sair um pouco com o filho.

É bem provável que com 11 horas a mais na sua semana você consiga ganhar os mesmos R$ 4 mil que ganhava (pois não perde tempo com o balcão e telefone) e ainda ganha R$ 2 mil com o trabalho da atendente.

Este mesmo raciocínio passa para um arte finalista, impressor, acabamento, vendedores e todo o pessoal necessário.

Aqui é bom frisar que devemos deixar reservado dinheiro para os direitos dos funcionários, décimo terceiro salário, rescisões trabalhistas e tudo mais.

Não muda muito a ideia central… você deve pagar o salário e demais custos do emprega e se apropriar de parte da produção deste para o seu negócio… acabam todos saindo satisfeitos.

Equipamentos – dicas

Um pequeno bureau pode ter apenas computadores. Mas ter algum tipo de impressão é necessário para mostrar os resultados para os clientes.

Um cuidado que não costumamos ter quando compramos impressoras para nossa casa é o custo dos insumos.

Com certeza você irá gastar muito mais com tinta e toner do que o próprio custo da impressora.

Para você ter uma ideia, eu trabalhava com convites feitos em impressora jato de tinta. Gastava cerca de 1 cartucho novo por dia e trocava de impressora a cada 2 meses, pois elas não aguentavam. A reciclagem de cartuchos era fator obrigatório e o custo da impressora era incluído nos trabalhos pois ela era descartável.

Aqui podemos ter diversos equipamentos.

Minha dica é pensar sempre no que nosso cliente espera em termos de qualidade. Trabalhar com uma impressora jato de tinta num bairro pobre da zona oeste do Rio pode ser aceitável a 10 anos atrás. Hoje não sei se teria saída… provavelmente não teria.

Diziam que adquirir um duplicador com baixa resolução per um valor maior do que uma offset era uma loucura. Mas os clientes iam na concorrência e na offset só podiam ter seu produto monocromático em 1 ou 2 dias. Quando vinham na minha gráfica tinham uma arte final pronta em 20 minutos e 1 mil panfletos prontos e cortados em 10 minutos. Ele foi um excelente negócio e todo dia produzia no mínimo 20 milheiros de impressos A4. E eu só rodava com ele menos de 2 horas por dia com qualquer um operando a máquina.

Então, defina bem o perfil do seu cliente. É o cliente que precisa de qualidade extrema ou aceita uma qualidade intermediária? Precisa do trabalho para aquela hora mesmo ou pode aguardar alguns dias? Vai pagar pela pressa ou quando comparar vai achar melhor aguardar?

Na minha opinião, você deve ter os produtos de fornecedores, que entreguem em seu estabelecimento, materiais feitos em offset de qualidade em tempo não muito longo e deve ter equipamentos para atender os apresadinhos, que não se importem em pagar mais pela pressa.

Uma copiadora colorida pode ser um bom começo. Se tiver pesado no orçamento, verifique impressoras laser ou cera A3 ou mesmo impressoras A4. Se a grana começar a aparecer pode optar por fornecer plotagem ou ploter de recorte. Se realmente quer investir, temos impressoras laser e cera chamadas “de produção”. Os custos de impressão nelas estão atingindo valores próximos ao offset. Eu diria que estas impressões ainda estão caras, mas quando se roda pequenas quantidades são eles que vão melhor atender.

A tecnologia vem se aprimorando e os custos de insumos nessa área vem caindo drasticamente.

Aqui mesmo no blog eu sempre estou trazendo novidades do mercado que eu tomo conhecimento.

Não esqueça dos equipamentos de acabamento. Uma guilhotina é obrigatória… pode ser até pequena, mas se conseguir uma maiorzinha é melhor.

Plastificação, douração, transfer e outros métodos podem ser por si só novos produtos que você pode oferecer.

Adquira o básico e vá se equipando aos poucos. Lembre-se de adquirir um cartão BNDES para parcelar estas compras a juros baixíssimo.

gráfica bureau equipamentos

Capital de giro

Se você começou pelo plano de negócios, o termo capital de giro não é novidade.

Você precisa de algum dinheiro para pagar os compromissos antes de receber de seu cliente. Esse dinheiro para cobrir o “buraco” é chamado de capital de giro.

Você precisa trabalhar ando prazos para seus clientes que sejam compatíveis com os prazos para os seus fornecedores.

No nosso meio, muitos dos fornecedores aceitam cartões de crédito em 3 a 6 vezes sem juros.

Ter um cartão de crédito corporativo ou separar um dos seus apenas para esta função pode ser um bom negócio.

O cartão BNDES também é uma boa para adquirir equipamentos. Você pode com ele preservar seu capital para usar como giro e diluir seus custos de instalações e equipamentos ao longo de algum tempo.

Uma boa relação comercial também é muito bom.

Pela minha experiência própria, eu tenho sido melhor atendido pelos bancos públicos do que pelos particulares.

Os juros neles são menores e acaba que o atendimento acaba sendo melhor… você acaba sendo atendido junto da massa, mas como você está sempre no banco começa a ser bem visto pelos gerentes.

Os bancos particulares miram muito no grandes empresários, e você que é pequeno empresário não consegue nem ser atendido. E ainda paga altas taxas de juros e tem pouco crédito… nesse caso é melhor ser cabeça de sardinha e ser o melhor a ser atendido, do que ser rabo de tubarão e nunca te darem bola.

Outra coisa importante é a grande força que o cartão de crédito tem hoje.

Sei que você vai perder de cara de 2 a 6% nisso, mas cerca de 85% das vendas acontecem em cartão de crédito e o aumento nas vendas vão fazer a diferença. Coloque-se na posição de cliente. Pagar 100 convites a vista por R$ 270 ou pagar 10 prestações de R$ 30… o parcelamento tem uma grande força.

Aproveita ao fazer o seu cadastro nas operadoras, para negociar bem uma taxa de juros menor e incluir opções de parcelamento sem juros para seus clientes.

Tem operadora que inclusive te dá o benefício de pontos para as suas vendas, podendo fazer compras e viagens com eles.

Não esquece de depois dessa negociação revisar o seu plano de negócios incluindo as taxas cobradas e prevendo descontos para as compras a vista (quando o cliente exigir apenas) e montar de novo sua tabela de preços, sem sustos na lucratividade.

Conclusão

Outra postagem bem grande!

Tocamos no ponto comercial, clientes, funcionários, fornecedores, equipamentos, pagamentos, não deve estar sobrando praticamente nada.

Se você acompanhou nossa postagem anterior deve ter percebido que tocamos em quase todos os pontos.

Mas podemos ter esquecido de alguns e não ter entrado tão a fundo em algum do seu interesse.

Que tal interagir conosco pelos comentários?

Eu respondo a todos eles, todos mesmo!

Se achar que é sigiloso, pode usar a nossa ficha de contato. Mas pessoalmente prefiro que seja pelos comentários para eu fique a vista de todos e que seja um complemento a postagem.

Espero que tenham gostado! Aguardo seus comentários!

Abraços a todos!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

19 Flares Twitter 0 Facebook 17 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 19 Flares ×

42 comentários

    • Paulo Valle
      Author

      Eu até fui procurar essa espressão “tanque de tinta”. Na verdade a maioria conhece como bulk-ink. Antigamente era uma peça a parte. Hoje a epson vende com ela instalada de fábrica.
      Eu tenho uma epson 355 com esse sistema. Eu adorei… apanhei um pouco na hora que instalei, pois tem que distribuir a tinta nos tubos e leva um tempo.
      Até hoje não troquei a tinta…nem chegou na metade com uso doméstico (quase 1 ano).
      Não vejo por que não usar ela para produção, desde que atenda estes requisitos.
      Seu mercado aceite bem os produtos feitos nela. Não precise de rapidez na impressão. Por exemplo para atender uma pessoa que precise de 100 cartões e esteja com pressa… tudo bem.
      Mas se comparar a qualidade dela com a impressão offset (que você terceiriza) e a das laser, ela perde feio. Não adianta economizar na tinta e gastar uma fábula com papeis especiais para “parecer” que tem uma qualidade igual a offset… tem que vender a impressão original dela com papel comum… pode ser inclusive grosso.
      Tem gente colocando tinta sublimática nela e fazendo trabalhos diferenciados…mas a impressora só serve para isso.
      O seu mercado comporta ela? Visita a concorrencia e vê a qualidade que vem sendo oferecida.
      Abraços,

  1. Alexandre Cruz

    Boa tarde!

    Na sua opinião, o que compensa mais? Fazer alguns trabalhos Freelancer (sem custos de Impostos, e ter um trabalho fixo) ou arriscar abrir um comércio (grafica rápida e ser dono do seu próprio negócio)?

    • Paulo Valle
      Author

      Alexandre,
      Vai depender do seu perfil pessoal!
      Se você é uma pessoa que tem facilidade de se relacionar com os clientes e não se entende bem com administração e pessoal, vai se dar melhor na carreira de freelancer. Se for o contrário, mais facilidade com administração, produção e pessoal, vai se dar melhor no comércio.
      Tem um ponto importante em ambos. Ambos podem tirar um bom dinheiro. Mas acontece que para o crescimento, o freelance leva uma desvantagem. Como ele troca o serviço dele (tempo) por dinheiro, fica limitado ao máximo de tempo que ele tem. Se ficar doente cessam as entradas. E chega um ponto que fica difícil ganhar mais, por melhor que seja o profissional (existe um teto do que se pode cobrar). Sendo comerciante, os riscos são maiores, pois há mais custos. Mas acontece que se pode delegar praticamente tudo. Ao delegar você deixa de trocar tempo por dinheiro… você passa a se apropriar de parte do tempo dos seus funcionários, pegando parte dos ganhos gerados. Desse modo praticamente não se há limite para crescimento. Você pode chegar ao ponto de nem precisar aparecer na empresa, como acontecem nas empresas S.A. Nelas o diretor ou presidente, mal aparece na empresa. Pode gerir o negócio de qualquer local… basta acompanhar os números e ir acompanhando se está tudo correndo bem.
      Deu para pescar a diferença?
      Agora, para os pequenos, vale a primeira resposta e os ganhos são bem parecidos para aqueles que trabalham direito.
      Abraços,

  2. Arthurildo Gomes Junior

    Salve!
    Montei em minha casa uma gráfica rápida: ARTE editoração, eu e minha esposa tocamos o negócio. TEnho equipamento (impressoras Konica Bizhub C200, brother 8065DN, Epson Office T40W para sublimação, prensa térmica A4, guilhotina, furadora para encadernação, plastificadora A3….
    porém preciso de ajuda para alavancar o serviço: administrativo e comercial
    sou de Vassouras/RJ cidade pequena, do interior. o núcleo do SEBRAE daqui não tem muita alternativa.
    Qualquer indicação de conteúdo seria bem vindo.
    obrigado!

  3. tom

    Bom dia, gostei mto do seu artigo. Obrigado pelas dicas. Sou arte finalista, envio serviços a uma grafica da capital. Tenho o tempo da produção, transportadora e qualidade do material, a maioria em papel couchê. Além das vendas, faço as arte e tomo conta de toda administração. Enfim, trabalho sozinho.rs
    Ja tenho um cômodo próprio de porta pra rua, um leque de clientes de 2 anos, que me proporcionam uma média significante para eu não precisar voltar ao meu antigo emprego.
    …e estou querendo me multiplicar. Estou com pensamento em contratar para o começo do ano, uma pessoa para vendas para novos clientes e um atendente-finalista, que pela sua dica, farão metade do meu dia com boa gratificação. Meu interesse é ficar por conta dos antigos clientes e pela produção e planejamento.
    Não tenho máquina nenhuma, o que me indicaria em máquinas, para uma boa produção num ano que tem copa do mundo e eleição?

    • Paulo Valle
      Author

      Só uma pergunta. Hoje você ganha o dobro do que precisa. Pode dispor dessa metade cobrindo os custos dos empregados? Se sim, está dado o passo para poder crescer a olhos vistos.
      Abraços e boa sorte na estratégia.

  4. Daniela

    Olá Paulo, boa tarde! Em primeiro lugar quero te agradecer por compartilhar tanta informação conosco! Você não faz ideia de como o seu site vem me ajudando no meu novo negócio.

    Minha primeira dúvida é sobre impressão em papel duplex ou triplex. Atualmente produzo embalagens em papel couché (impresso a laser), em geral para festas infantis, e estou buscando uma alternativa com custo menor. Que tipo de equipamento imprime nesse tipo de papel? Você tem ideia de custo? Vale a pena terceirizar para pequenas tiragens (menos de 1000 peças por mês)?

    Minha segunda dúvida é sobre corte especial. Tenho um brinquedinho em casa – uma Silhouette Cameo – mas preciso de algo de maior porte para aumentar a produção. Vi que existem equipamentos manuais de corte e vinco bem acessíveis, e queria uma opinião sua antes de adquirir algo assim.

    Obrigada e um abraço,

    Daniela

    • Paulo Valle
      Author

      Daniela,

      Vi os vídeos do Silhouette Cameo e achei um equipamente bem útil.

      Acho que a melhor abordagem aqui é mostrar as diferenças entre equipamentos para você avaliar as suas opções.

      Dois tipos de equipamentos te atendem: Plotter de recorte, máquinas de corte e vinco.

      O plotter de recorte é o que você tem. A grande vantagem dele é não precisar fazer faca gráfica (não há custo) e flexibilidade no corte a ser feito. É útil quando não há um padrão de corte a ser seguido, ou seja, cada trabalho tem um corte diferente.
      Caso este seja a sua situação, você pode acelerar a sua produção com equipamentos mais robustos e rápidos. Existem equipamentos no mercado livre por alo entre R$ 2 mil e R$ 20 mil que atendem este conceito. O top de linha são recortes a laser que são extremamente rápidos e caros. Acho que é muito para você no momento.
      Tem alguns exemplos aqui:
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-529390852-plotter-de-recorte-ou-risco-a3-com-laser-para-contorno-no-br-_JM
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-521541015-plotter-de-recorte-digital-com-laser-de-contorno-130cm-vinil-_JM
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-524749602-plotter-de-recorte-gcc-expert-24-_JM
      Fica de olho na velocidade linear na hora de comprar.

      Nas máquinas de corte e vinco tem que fazer uma faca gráfica para cada tipo de serviço. Ou seja, é ideal quando você segue padrões, sendo todos os serviços iguais. Uma faca dessa custa entre R$ 30 e R$ 150 e não é tão fácil achar fornecedor. Dá para mandar fazer em São Paulo e receber por correio… isto leva dias. Pode achar um fornecedor local também, como faço aqui no Rio (no meu caso terceirizo tudo – faca e corte no mesmo local).
      Pesquisando no Mercado Livre achei essa maquininha manual, com aspecto bem “firme” e com bom preço. Pode ser uma opção para você com boa produtividade (veja o vídeo nas figuras).
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-520074069-maquina-de-corte-e-vinco-31cm-de-corte-_JM
      Se achou lenta é necessário partir para equipamentos que necessitam de operador e são perigosos para leigos devido ao tamanho e peso.
      Aqui vai um exemplo de peso.
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-529547754-maquina-corte-vinco-feva-novissima-_JM

      A diferença no valor do papel couchê para o duplex não é grande. O duplex tende a ser ligeiramente mais barato, por ter a qualidade um pouco inferior. Mas acho que no seu caso não vai mudar muita coisa.
      O equipamento é basicamente o mesmo usado no couchê, mas tem que testar se a folha passa na máquina, pois os papeis são grossos e pesados.
      Não há segredo… só testando.

      Eu no seu caso olharia os preços da AtualCard e outras gráficas da sua região para ver produtos que se ajustem ao seu tipo de serviço. Vasculha bem pois tem produtos como pastas, cartazes, folhinhas, que podem te atender por um bom valor.
      Uma impressora de produção como a desse artigo também pode ser útil, pois cai o seu custo de produção. Uma laser comum tem custo de R$ 1 a R$ 2 por folha A4. Este aqui tem R$ 0,40 por folha A3. Tem que ver se você aguenta as parcelas.
      http://www.cardquali.com/dica-de-impressora-ricoh-aficio-mpc-6000-7500/
      http://www.cardquali.com/ricoh-aficio-mpc-6000-minha-analise-das-amostras-chegaram/

      Acho que com estas informações já dá para montar a sua estratégia.
      Me mantém informado sobre suas experiências, pois isto pode ajudar outras pessoas no futuro.

      Abraços,

  5. Matheus

    Olá Paulo. Gostaria de saber qual a melhor forma para imprimir convites de casamento. A melhor indicação seria uma impressora a laser? Qual seria o modelo e marca mais indicado?

    • Paulo Valle
      Author

      Matheus,
      Tem convite de tudo que é jeito.
      Você pode fazer convites a partir do zero, usando uma laser colorida ou até mesmo uma jato de tinta (depende do seu publico alvo).
      Pode também comprar convites prontos e personalizar com laser preta, colorida, offset, silkscreen, e outros.
      Pode fazer trabalhos especiais como relevo americano, relevo em silk, hotstamp, entre outros.

      Ou seja, o convite depende muito da imaginação… já vi até convites totalmente escritos a mão pagando profissionais de caligrafia… tem o seu charme … e seu custo!!!

      Minha sugestão é entrar no mercado livre e ver o que é oferecido pelos outros. Procurar fornecedores de convites e comprar os modelos. Fazer alguns testes.
      É um mercado bem grande, mas tem que estar em locais com boa visibilidade… próximo a locais onde passam muitos casais prestes a casar.

      Tendo mais dúvidas basta perguntar.
      Abraços,

  6. F

    Olá, estou muito interessado em montar um projeto de terceirização de serviços gráficos para prestar serviço às gráficas, porém o que eu posso oferecer atualmente é a mão de obra para empastar, encadernar espiral e wire-o, colar, e outros serviços manuais, preciso de valores e como se faz um orçamento desse tipo de serviço.

    • Paulo Valle
      Author

      F,
      Já passou gente aqui com pretensão parecida em outras áreas.
      O maior problema é que o valor desses serviços é relativamente baixo e não compensa para o cliente e para você o deslocamento de levar e buscar o material.
      Fazer algo grande com um bom sistema de logistica com leva e traz de material iria permitir atender um número razoável de clientes, com baixo custo de transporte… mas creio que isso saia das suas possibilidades no momento.
      Tenta montar isso a nível mais local, atendendo pequenas copiadoras e gráficas, reservando parte do dia para o leva e trás do material… pode ser que consiga algo.
      Os valores variam bastante no mercado, mas acho que para terceirizar esse tipo de serviço terá que abaixar bastante seus preços… o que pode não valer a pena.
      Pensa bem… pode valer mais a pena encontrar um local carente de xerox e abrir uma pequena loja com esses serviços.
      Abraços,

  7. Olá Paulo, adoro suas dicas, e queria tirar algumas duvidas com você.

    Queria saber se você tem whatsapp ? fico grato.
    entre em contato por email, que fica mais facil de eu ver .

    • Paulo Valle
      Author

      Lucas,
      Eu prefiro tirar as dúvidas por email ou nos comentários.
      Não me entendo bem com o tecladinho do smartphone e tem a questão de tempo… tenho que trabalhar… com os emails eu gerencio melhor meu tempo.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Existe a possibilidade sim… manda para o meu email detalhes como local, capital inicial, se já trabalha no meio, tipo de venda que costuma fazer, etc… daí ajudamos a estruturar um plano de negócios. Entre em contato.
      abraços,

  8. Milena

    Quero trabalhar com convites de casamento. Fazer bem profissional. Quais máquinas devo ter? Qual melhor impressora? Obrigada pela ajuda!

    • Paulo Valle
      Author

      Milena,
      Convites de casamento podem ser feitos de diversas formas… todas bem profissionais… depende apenas do capricho de quem faça.
      Já trabalhei muito tempo com convites de casamento feitos em jato de tinta. Se souber fazer fica bem legal. Dá uma olhada qui nesses modelos: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-646896665-convites-de-casamento-aniversario-bodas-infantil-r990-_JM
      Pode-se fazer também a partir de convites prontos faltando somente a personalização. Essa personalização pode ser feita via jato de tinta, laser, tipografia, serigrafia e alto relevo.
      Por aqui você viu quantos tipos de impressão são possíveis.
      Pode-se também fazer os cortes em casa com uma máquina de recorte.
      Ou seja, o capricho e criatividade são os limites de bons convites.
      Comece pequeno e vá incrementando a medida que aumente a clientela.
      A futuraimbativel (www.futuraimbativel.com.br) tem uma linha legal de convites para revenda… vale a pena dar uma olhada.
      E no mercado livre tem um pessoal bem criativo para tirar idéia. Dá uma olhada no site Elo7 (http://www.elo7.com.br/categoria/casamento/convites-de-casamento).
      Tem um monte de idéias para você ir praticando e criar sua própria linha.
      Abraços,

  9. Paulo, há alguns dias mandei uma pergunta, aliás, parecia uma consulta, queria muito que respondesse. Sempre ficava revendo o post e vi que respondeu uma pergunta de uma leitora hoje. Em suma, minha dúvida ou inquietação era da possibilidade de trabalhar com a criação e da necessidade de ter equipamentos. É possível atuar bem no mercado gráfico, se posicionar bem nele, com toda a produção terceirizada? Quais equipamentos seriam necessários para começar? Sou fotografo e psicologo, mas sou autodidata em design gráfico, inclusive invisto muito em livros, tanto nacionais quanto importados. Queria muito umas dicas suas. Grande abraco.m

    • Paulo Valle
      Author

      Flavio,
      Eu respondo todas as perguntas. Me fala qual é a postagem para eu verificar. Pode ter havido algum problema nos plugins do wordpress e não estar aparecendo para mim na retaguarda.
      Vamos a essa resposta.
      Sua pergunta… é possivel se posicionar bem no mercado tendo 100% da produção terceirizada… Sim é possível e eu sou um exemplo disso. Você não precisa nem fazer arte e nem vender. Você pode ter freelances fazendo arte e equipe de vendas recebendo comissões e terceirizar tudo menos a sua administração. E tem gente que faz exatamente isso. Outros vendem mas não fazem arte, outros só fazem arte e tem vendedores externos. No meu caso eu vendo na internet e faço as artes, todo resto é terceirizado. Equipamento só o micro. Como mostro via email nem impressora preciso.
      Esse artigo do pequeno bureau dá a linha geral, mas dá para terceirizar tudo realmente. O mercado gráfico é um dos poucos em que isso é possível.
      Que tipo de dica você gostaria… já passei diversas aqui no blog.
      Abraços!

  10. Rodrigo

    Ola!
    Sempre estou de olho no blog, queria saber se vc recomenda algum sistema de gerenciamento de clientes, criação de Ordem de Serviço, pois estou a 2 anos nesse ramo e sempre procurando algum sistema bom, mas nunca encontro….

    • Paulo Valle
      Author

      Rodrigo,
      Eu não utilizo esse tipo de soft mas vou te passar uma coisa que aprendi quando vendia softs do gênero para lojas.
      O software é concebido de determinada forma para funcionar bem. Geralmente é bolado por um administrador junto a equipe de desenvolvimento e prevê uma forma ideal de se trabalhar.
      A maioria dos meus clientes pedia para fazer mudanças no soft para atender suas necessidades. O que eu via ocorrer é que após umas 40 mudanças no soft chegava-se a uma versão quase igual a original. Ou seja, as maiorias das empresas acham que estão trabalhando certo e se recusam a mudar a metodologia de trabalho. Com o tempo vão descobrindo os seus erros e vão corrigindo e acabam chegando a forma ideal.
      Sabendo disso, por que não estudar bem a proposta do soft e adaptar logo de cara a empresa a metodologia do soft? Assim a empresa se torna mais eficiente logo de cara!
      A maioria dos softs voltado para a área de serviços serve para atender a área gráfica. Eles tem o que se chama ficha técnica de serviço. basta parametrizar o custo correto dos insumos. um dos problemas que você deve enfrentar é no corte do papel pois você utiliza folhas cortadas e compra elas inteiras e no consumo da tinta que não é linear e por isso fica difícil de ser computado. o corte do papel pode ser resolvido com a criação de serviços internos que tiram o papel grande do estoque e criam produtos cortados. a tinta basta fazer um ajuste mensal no estoque computando a perda (ou ganho) da tinta. É melhor fazer esses ajustes do que criar um soft que faça isso automático. cada ajuste que você faz pode criar um novo problema para você resolver… perca tempo com o desenvolvimento do seu produto e não com o controle dele.
      abraços,

  11. Brenda

    Oi
    Estou me formando em arquitetura e queria junto com o escritório trabalhar com a impressão de projetos arquitetônicos. Vc acha que seria um bom negocio? Ou vc acha que o negócio nao seria bom devido o alto custo de uma ploter?
    obrigada

    • Paulo Valle
      Author

      Brenda,
      Plotagem de projetos costumam ser oferecidas pelas casas de cópia… se é isso que pretende creio que não seja bom negócio.
      Caso queira agregar valor desenvolvendo os projetos, precisa verificar a procura desse tipo de serviço na sua região.
      Um ploter para essa área vai custar entre 4 e 8 mil… o custo de tinta não é o item mais importante nesse caso e sim o uso dos programas como o CAD.
      Achar engenheiros experientes na sua região para pedir opinião pode ser uma boa medida.
      Abraços,

  12. Cleber

    Boa tarde!
    Tenho uma pequena empresa de comunicação visual e já trabalho com nesse ramo a quase 10 anos. Possuo o basico de tudo, impressoras jato de tinta, laser uma plotter hp 5000ps a base corante que atendo as impressões de plantas e projetos e uma serralheria onde faço minhas estruturas e também toldos. Estou com uma dúvida PAULO.. pretendo fazer um investimento comprando uma outra plotter moderna uma hp latex 300, para parar de terceirizar e também revender para alguns concorrentes que não tem esse equipamento.
    Você com sua experiência acha que é o ramo de plotter uma área a ser investida, ou será que essas demandas de impressão digital esta para diminuir?
    Obrigado
    Att.
    Cleber

    • Paulo Valle
      Author

      Cleber,
      Antes de mais nada não sei se eu ficaria com um plotter hp. Eles costumam só ter plotter com cartuchos deles e você fica refen da tinta deles (cara).
      Para o caso das plantas com pequena demanda e baixo custo de impressão não faz diferença, já que o ploter é relativamente barato.
      Mas quando vai fazer impressões chapadas o custo vai subir muito… calculo que você vai gastar uns R$ 6 com tinta hp por metro quadrado chapada.
      Os plotters alternativos com cabeça epson DX-5 e DX-7 custam uns R$ 20 com cerca de 1,80 m de largura a 2,5 m. Permitem troca fácil de cabeça e reservatórios, de modo a pode ter uma máquina com um conjunto de cabeças para impressão de lona e outra para tinta sublimática (o custo do conjunto vai dar uns R$ 6 mil)… de modo a abrir o leque de possibilidades e vai usar tinta alternativa que vai jogar o seu custo por metro para uns R$ 1… é uma baita diferença… pega o custo das cartuchos da hp divide pelo numero de impressões anunciado na ficha tecnica (que costuma ser de 5% para cada cor) e multiplica por 5 para ficar nuns 25% de cada cor que é algo aceitável para impressões com cobertura intermediária e confirma o meu “chute”.
      Agora ao mercado. A impressão digital sofreu uma redução na demanda, mais pelo excesso de oferta do que pela demanda em geral. A uma forte tendencia de migrar para sublimação… que está com demanda fortalecida… mas tem que achar clientela certa… por exemplo acabei de receber um pedido de 300 camisas para uma igreja… isso dá uns R$ 1500 de lucro tendo o maquinário para trabalhar e uma máquina dessas faz isso em horas. A impressão de banners tem uma alta concorrencia de preços mas consegue ter nichos locais bons. Há muita oferta mas mal distribuida… deixando locais mal atendidos. Ou seja ainda dá para trabalhar bem com isso.
      Bairros que estão começando abrem grandes perspectivas para identificação visual das novas lojas, pequenos negóciuos tem demandas para banners, pessoas físicas procuram baners para aniversários e pequenas ongs e igrejas precisam sempre de camisas personalizadas (sublimação)… é um bom mercado desde que não vá brigar com gente já estabilizadas… tem que achar esses locais mal servidos para ser um dos primeiros no bairro/cidade. É uma demanda que acompanha o crescimento da região.
      Deu para ajudar? as máquinas que eu falei da para encontrar no Mercado Livre usando a palavra ploter dx-5 ou ploter dx-7.
      Abraços,

    • Paulo Valle
      Author

      Joedson,
      Eu não tinha visto essa máquina ainda. Eu já tive um duplicador digital de 1 cor e eu tinha uns 4 tambores.
      A qualidade dela é mediana. A impressão até chega perto de uma offset em resolução quando usamos o driver específico para ela, mas a cobertura de tinta não é a mesma. Ela também falha no registro e o papel pode girar um pouco.
      Mas eu gosto da máquina. Vamos dizer que o seu mercado possa ser atendido por folhetos simples e muita gente use xerox na região. Você terá uma super máquina para atender esse mercado.
      Eu mandava meus funcionario irem almoçar e ficava imprimindo numa dessas… quando eles voltavam tinham mais de 10 mil folhas impressas esperando eles… isso por que eu não confiava muito neles usando a máquina.
      Mas se seu cliente pede cor talvez seja melhor pegar uma hp pro x que faz umas 40 páginas coloridas por minuto… é uma boa máquina que custa uma fração do custo desse duplicador aí… se você encher de hp pro x com bulk a sua empresa gastando o que custa esse duplicador, você vai ter mais páginas impressas coloridas do que o duplicador vai fazer em preto e vermelho.
      Existem as MEMJET por aí, mas não chegam no Brasil e a própria Riso tem uma colorida A3 que é um maquinão, mas custa caro.
      Ou seja, a resposta depende do seu público alvo… eles atualmente fazem impressões em preto ou está todo mundo comprando colorido? Se for preto ainda… você vai se destacar da concorrencia (graficas tradicionais) pela agilidade e não pela qualidade… se fizer a arte rapidinho o impresso sai na hora… era disso que eu vivia.
      Abraços,

  13. andre

    Boa noite.
    Penso em montar uma pequena `gráfica` para produzir convites de casamentos, festas e cartões. Com boa qualidade.
    Pela sua experiencia, sabe me dizer se é viável.
    e recomendado terceirizar alguma etapa ?
    E quais equipamentos comprar?
    Obrigado

    • Paulo Valle
      Author

      André,
      É viavel sim, mas aconselho começar terceirizando a produção.
      Se digitar no mercado livre CONVITE DE CASAMENTO vai achar alguns caras que vendem convites bem legais a baixo preço. Eles fazem tanto em jato de tinta quanto em laser. Vale a pena fazer uns pedidinhos lá para checar a qualidade e detalhes de produção.
      As grandes distribuidoras tem serviço de impressão digital. O valor é bem mais baixo do que adquirir uma impressora e o custo é bem razoável. Dá para começar terceirizando a impressão neles. Eu faço isso atualmente.
      Quando se sentir mais seguro pode comprar uma impressora similar a deles e passar a produzir. O ganho vai ser mais em agilidade do que em custo, já que o custo deles já é bem enxuto.
      Depois que fizer o que falei acima pode me contatar para vermos os equipamentos. Por enquanto dá uma olhada na postagem http://www.cardquali.com/como-escolher-uma-impressora/
      Abraços

  14. Julia

    Boa Noite amigo. Muito bom o seu post. Quero montar uma gráfica rápida e sou designer, vou fazer ambos, fazemos sua arte e entregamos ela pronta. Mas meu problema é que não sei que maquinário comprar. Não quero coisa ruim, também não sou rica, mas queremos começar com um maquinário legal, que dê para imprimir artes gráficas para pequenos e médios negócios. Você poderia me indicar?
    Obrigada

    • Paulo Valle
      Author

      Julia,
      Inicialmente use os serviços dos grandes distribuidores como atual card, futura imbativel, zap grafica e giv. É assim que eu faço e consigo meu sustento.
      Um pequeno bureau dificilmente terá a qualidade de um desses distribuidores. Processos como verniz UV, Verniz UV local são inviáveis a pequenos bureaus tanto pelo valor quanto pelo espaço.
      O que você consegue fazer como um pequeno bureau é oferecer serviços de tiragens rápidas (mas não mais baratas) usando impressoras jato de tinta ou laser. Se vai usar jato de tinta ou laser vai depender do local onde esteja e do seu público consumidor. A jato de tinta terá menor custo de impressão desde que se use bulk-ink (tanque de tinta), mas a impressão é menor e pode borrar. O uso de tinta pigmentada ao invés das de corante resolve em parte o problema. O ideal seria usar tinta eco-solvente, mas ela é meio tóxica e destroi as impressoras pequenas e está disponível apenas para plotters e impressoras adaptadas. Ao usar papel fotografico a prova dagua (existe cartão, papel normal e adesivo) consegue-se uma melhor qualidade com um custo aceitavel. A laser pode usar papel couchê, que dará uma boa qualidade (jato de tinta não pode). Mas o tonner é mais caro. Quanto mais barata a laser mais caro fica o tonner. O ideal é tentar comprar máquinas de produção, que são mais caras, mas tem custo de impressão mais baixo. Eu costumo indicar maquinas usadas como a Ricoh 2051, que custam uns R$ 5 mil e tem custo de impressão A3 na faixa dos R$ 0,60 por folha. A laser de baixo custo vai te dar impressões A4 na faixa dos R$ 1. A Jato de tinta com bulk vai te dar páginas A4 por uns R$ 0,03. Não estou considerando o custo do papel nessa conta… apenas tinta/toner e consumiveis (cilindro, revelador, etc). Além da Ricoh eu costumo indicar a jato de tinta HP pro X para fazer panfletos e talões a baixo custo. Tem uma Canon nova mod 5310 que é mais lenta, mas tem um bom desempenho. As máquinas da epson com tanque de tinta são boas opções e trabalham com tinta corante (de fábrica), pigmentada e sublimática (não dá para ficar trocando… usar apenas uma delas). O problema é a velocidade… fazem apenas 1 página por minuto com qualidade ou menos. A Canom faz 8 paginas e a HP pro 33 paginas. A ricoh faz 25 paginas.
      Não esquecer que vai precisar também de uma boa guilhotina e é desejável ter outros equipamentos como encadernadora, plastificadora, laminadora, canteadeira, prensas termicas, etc.
      Vai fuçando o blog e os comentários que vai saber de muito mais coisa.
      Boa sorte no seu novo empreendimento.
      Abraços,

  15. Wargner Vasconcelos

    Bom dia Paulo,
    parabéns pelo belo trabalho realizado aqui ! Fiquei muito satisfeito em ver alguém tentando ajudar tantas pessoas necessitadas de um conselho de forma tão clara, simples e valiosa!
    Seria um mundo melhor se tantas outras pessoas pensassem de forma semelhante…
    Sou autônomo da área gráfica e estou começando a estudar a possibilidade de montar uma Gráfica Rápida em meu bairro, e ficarei grato em poder contar com suas Lições brevemente…
    Abraço amigo.
    Att. Wargner Vasconcelos

    • Paulo Valle
      Author

      Wargner,
      Obrigado por nos acompanhar aqui no Dicas graficas do Cardquali.
      Minha dica para você é primeiro fazer uma boa clientela usando a terceirização de serviços e só depois se instalar de maneira modesta com equipamentos para baixa tiragem.
      Assim a chance de sucesso aumenta muito.
      Boa sorte na sua caminhada e um grande abraço,

  16. Raquel

    Olá! Trabalho fazendo cadernos artesanais. Gostaria de saber qual melhor impressora pra imprimir as pautas dos cadernos bem como miolos de agenda.Além disso pretendo fazer algumas capas de cadernos personalizada com o nome da pessoa.

    • Paulo Valle
      Author

      Raquel,
      As fábricas utilizam uma maquina chamada pautadeira… veja aqui nesse vídeo – https://www.youtube.com/results?search_query=pautadeira
      São maquinas grandes e caras… mas com custo de impressão muito baixo.
      Vai sair caro para você fazer pautas em impressoras jato de tinta ou a laser, mas como é artesanal e como se gasta pouca tinta pode valer a pena… mas o que tem que pesar mais é o desgaste do equipamento, pois são muitas folhas que serão impressas e a cada folha que passa na maquina deixa a maquina um pouco desgastada… é isso que acaba ficando caro.
      Você não cita em momento nenhum o tamanho do caderno e a gramatura das folhas… algumas maquinas pequenas não gostam muito de folhas mais finas como a do caderno (em geral é 63g).
      Me passa mais detalhes para pensarmos em alguma indicação. É dificil achar algo com impressão barata e alta velocidade e que não custe caro.
      Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *