Ética! Honestidade vale a pena?

16 Flares Twitter 0 Facebook 14 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 16 Flares ×

Quem já está a muito tempo no ramo gráfico, certamente já deve ter perdido algum cliente para outro concorrente que prometia entregar o mesmo serviço por valores muitas vezes abaixo do custo. É claro que o cliente não recebeu o que comprou! Mas você deixou de vender e muitas vezes isto te prejudica a ponto de não continuar de portas abertas. Daí pergunto: Honestidade vale a pena?

Ética

Muito se fala em agir com ética em todos os tipos de negócio. Isto significa agir de maneira correta, sem prometer o que não pode cumprir.

Acontece que o mercado gráfico está dominado por pessoas sem a menor ética.

Os grandes distribuidores se baseiam nas normas técnicas que admitem uma pequena falha nas quantidades e cores para reduzir em muito os seus custos. Vejamos o caso de cartões. Para uma tiragem de 1000 cartões, deveríamos pegar 1050 folhas ou mais para rodar o serviço. Estas 50 folhas a mais seriam usadas para ajustes de máquinas e para retirada das folhas onde houve algum problema na impressão. Dessa forma você sempre entregaria ao cliente algo entre 980 e 1030 cartões, atendendo bem o pedido.

Na prática, os grandes distribuidores usam apenas o pacote de papel na conta certa. Já aí pode-se estar entregando menos cartões, pois o fabricante não raras vezes fica “devendo” umas 2 folhas devido a erros de pesagem. No processo as esperadas 30 a 60 folhas de perda ficam ainda mais comprometidas devido as pressões sobre os impressores para uma maior produtividade. Rodando mais rápido, mais erros acontecem, e menos cartões são entregues.

O resultado disso é que o cliente recebe um pacote com 900 a 950 cartões, onde pelo menos uns 100 tem que ser jogados fora por problemas de registro, cores ou problemas maiores.

Reclamar não costuma dar resultado nenhum, pois as tais normas técnicas são muito genéricas e acaba tudo em pizza. E eles continuam fazendo esta atitude anti ética para sempre.

Ser honesto e ético no meio gráfico

Pequenos picaretas

Tem também os casos de pequenos vendedores gráficos, que estão no mercado apenas para enganar o público.

Você vende 5000 panfletos por uns R$ 150,00 e o cara aparece com um preço de uns R$ 100 para o mesmo produto.

Quando chega o produto, o pacote é bem menor que os que você entrega. Hora porque existem menos folhas, hora porque o papel é mais vagabundo que o que você ofereceu para o cliente.

O cliente raras vezes confere a quantidade e mais raramente ainda deixa de pagar o serviço. Muitas vezes pagou adiantado para rodar o serviço, devido aos baixos preços oferecidos.

Quantos clientes seus já não passaram por esta situação. Fora aqueles que ficam sem receber o serviço, pois o picareta nem sequer entrega o produto.

Mais uma vez você fica sem a venda e em apuros financeiros devido as tentativas do cliente de baixar os custos.

O cliente é culpado?

Essa é uma pergunta bem difícil. O cliente é culpado?

Ele está certo em tentar reduzir os custos. Todos temos esta obrigação. E ele não conhece os detalhes como preços dos insumos, dos produtos, o verdadeiro valor do serviço que está sendo oferecido.

O problema é que nesta busca o cliente pouco a pouco está entregando o mercado para profissionais sem nenhuma ética. Estão premiando os picaretas que andam pelo mercado.

Os bons profissionais (eu me incluo nessa lista) vão pouco a pouco saindo do mercado por falta de massa crítica de clientes.

Qualquer que seja o porte da gráfica, sempre haverá alguém sem ética oferecendo o mesmo produto por menos. A redução de custos destes é brutal e não é possível sobreviver no mercado mantendo uma ética, a não ser que o cliente mude de atitude.

Cliente! Mude de atitude!

Se você é o cliente, é de sua responsabilidade limpar o mercado.

Mas como fazer isto?

Para começo de conversa, comece fazendo serviços apenas naqueles que possuem registro e entregam nota fiscal de seus produtos. Esta é uma garantia de que podem ser processados no futuro.

O pagamento após entrega do serviço também é uma boa recomendação, se bem que sei que a maioria pede sinal ou pagamento antecipado.

Na hora de receber os produtos é necessário checar a qualidade de impressão, passando os olhos no produtos (folheando os mesmos) e mesmo conferindo as quantidades, nem que seja por amostragem. Por amostragem, como? Bem… digamos que sejam 5000 panfletos… conte 100 panfletos e depois, baseado neste “montinho”, separe 50 montinhos de mesma altura… se conseguir fazer os 50 montinhos sem maiores dificuldades (digamos que consiga uns 49), daí o serviço está com a quantidade aproximadamente certa. Se só achar 25 ou 30 montinhos, junte tudo e devolva o pedido todo.

Não fique com o que foi entregue em troca de valores menores, ou faça acertos de quantidades. É dinheiro de volta, mesmo. Assim não premia os picaretas e pode procurar um bom profissional para trabalhar.

Só com a mudança de atitude do cliente é que será possível limpar o mercado!

O bom profissional, O que fazer?

Se você é um bom profissional, deve sempre alertar seus clientes.

Mantenha uma página de reclamações dos seus clientes, com nome dos envolvidos. Indique o reclame aqui ou mesmo blogs como o nosso.

Ser legalizado é uma obrigação!

Ao estar legalizado, você poderá emitir nota fiscal e poderá ter recebimentos eletrônicos como cartões.

Este será um diferencial frente a concorrência! O trambiqueiro não tem condições de receber em cartão ou parcelar para os clientes, pois ele vive de trambiques, ou seja, poucas vendas e sumir para não ser pego.

Você pode mostrar a cara para o cliente sempre que quiser. Pode estar sempre junto aos seus clientes.

Lembre-se que você é cliente também e que os grandes distribuidores devem ser citados nas páginas de reclamações.

É seu dever também dar as informações ao mercado!

Conclusão

O mercado gráfico, apesar de bem promissor, está passando por um problema sério de ética.

Se você for para os ramos editorial ou de embalagens, para grandes clientes, notará que o problema é menor, pois estes são implacáveis com maus fornecedores.

Mas quando a relação são com pequenos clientes e valores menores, que não justificam ações legais, o problema se agrava.

Espero com esta postagem estar incentivando clientes e profissionais da área a mudarem de atitude, limpando assim o mercado.

Até a próxima postagem.

Abraços a todos!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

16 Flares Twitter 0 Facebook 14 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 16 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *