Eleições! Oportunidade ou ameaça?

5 Flares Twitter 0 Facebook 3 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 5 Flares ×

Estamos em mais um ano de eleições! Muitas gráficas aguardam ansiosamente este momento. Para muitos é uma grande oportunidade de ganhos. Para outros, nem tanto. Não é a toa que é a época em que fecham a maioria das gráficas! Vamos avaliar as oportunidades e ameaças?

Oportunidades

Sem dúvida, eleições significa aumento na produção gráfica!

E quanto mais papel impresso, melhor para a gráfica. Nada ecológico, não é? Mais é esta a realidade! A maioria das gráficas sobrevive de fazer impressão e a quantidade é o grande indicador de melhora.

Se a gráfica estiver preparada e tiver um bom parque gráfico, poderá facilmente triplicar sua produção, apenas ampliando o número de turnos. Tendo disponibilidade de funcionários, sem problemas.

Caso já esteja trabalhando no limite de produção, deve-se tomar muito cuidado, pois não haverão ganhos e sim perdas de oportunidade.

E se você é uma gráfica pequenininha? Bem… pode-se pensar em adquirir aquele equipamento que você queria a tempos. Você poderá pagar o investimento tanto com os políticos menores que são rejeitados pelas grandes gráficas, quanto pelos clientes que foram abandonados pelas demais gráficas.

Você se preparou para as eleições?

eleicoes oportunidades e ameacas

Ameaças

Mas nem tudo são oportunidades!

Muitas ameaças rondam esta época.

A mais trivial é a péssima qualidade moral de nossos políticos, que pedem material os quais não pretendem pagar. E esteja certo! A ganância dos empresários gráficos sempre abrirá brecha para aquele político corrupto que quer praticar o golpe.

Funciona mais ou menos assim! O político corrupto induz o candidato a político de menor renome, que envolve seus parentes, que convencem o bom vendedor gráfico, que garante o pagamento ao gráfico. O dinheiro não aparece neste círculo da ‘garantias” e estoura na mão do gráfico, que acaba quebrando.

Esta é talvez a maior causa de quebras entre os gráficos.

Mas existem outras ameaças!

Uma delas é o gráfico não se preparar para a época.

Os gráficos pequenos dependem da produção dos grandes distribuidores. Como estes se voltam quase exclusivamente para atender os políticos, quem não entrar na dança acaba por perder vendas e clientes por não conseguir atender as industrias de papel já operam no seu limite. Não há possibilidade de ampliar de uma hora para outra, e diga-se de passagem, não há interesse.

Para a indústria é também uma grande oportunidade de  aproveitar a demanda aquecida para aumentar os preços e a margem de lucro, apertando assim os gráficos.

Você tem “bala na agulha” para estocar papel? Correr o risco de perder ele em caso de umidade ou alagamentos? São grandes riscos!

E a legislação então? Você se prepara comprando offset, plotter e outras coisas e na última hora mudam as regras do jogo e proíbem determinado produto. Como ficam as prestações dos equipamentos?

Desvio na produção

Como mostrei anteriormente, há muitas oportunidades e ameaças nesta época.

Uma coisa a ser observada é que se você vem trabalhando próximo ao seu limite de produção, fazer serviços para políticos pode ser uma má ideia.

Normalmente, troca-se serviços em pequenas tiragens, mas com ampla margem de lucro por serviços que ocupam em demasia o maquinário e tem margens de lucro mínimas.

Este desvio na produção também é uma grande causa de quebras nas gráficas. É comum associarmos muita produção, muito faturamento a grandes margens de lucro.

Se não fizermos as contas com muito cuidado ou não tivermos um bom planejamento financeiro, podemos nos deixam enganar e começar a gastar dinheiro que não é nosso e que logo acabará fazendo falta.

Portanto, muito cuidado.

Cliente ocasional e cliente habitual

A questão de pagamento também é crucial. Estaremos trocando o dinheiro sem riscos de nossos clientes habituais por dinheiro duvidoso de clientes ocasionais. O dinheiro pode não entrar! Cuide para que isto não aconteça e não abandone seus clientes habituais… eles podem migrar para a concorrência.

Ainda falando sobre clientes. Quem é o melhor cliente? Aquele que roda 10 mil panfletos todo o mês ou aquele que vem com um pedido único de 100 mil panfletos “para ontem”?

Nem preciso falar que uns 3 meses do cliente habitual valem muito mais do que o “pedidão” daquele político que nunca viu a sua cara.

E trabalhar sob pressão também é tudo de bom? Não é?

Fique de olho para não perder seus clientes habituais.

Qualidade

Produção aumentada. Vários turnos com máquinas operando acima da capacidade, sem tempo para manutenção e por profissionais recém treinados (eles foram treinados?). Festa para “Murph”, tudo para dar errado. É nessa hora que a “lei de Murph” impera. Se algo pode dar errado, vai dar errado… procura um mecânico para consertar a máquina nesta época em que todos estão trabalhando acima da capacidade. Será que vale a pena?

Lembre-se! A qualidade de sua gráfica foi conquistada ao longo de vários anos. Foi uma luta sem fim para manter a fama de bons serviços. Tudo isto pode vir abaixo nesta época.

Avalie bem se vale a pena correr este risco.

eleicao pagamento

Pagamentos

Chegou a hora da verdade!

Recebeu antecipado pelos serviços? Conseguiu entregar sem erros? Então é festa, ou pelo menos tem a grana na mão.

Não pegou a grana antecipada. Confiou no seu vendedor ou naquele cliente fiel? Pode dançar.

É extremamente importante nesta hora receber sempre adiantado. O problema é que muitos de seus clientes fiéis estão acostumados aquele prazo e a relação com eles pode ficar meio estranha ao não abrir mão do dinheiro na frente.

Nem todos estão lendo este artigo e estão cientes que há grandes riscos. Lembre-se que eles confiam plenamente em seus parentes que estão garantindo o pagamento. E aí? Como fica a situação?

A hora da quebra

Aqui é que mora o perigo!

Nessa época, aqueles que não estão preparados acabam sucumbindo às promessas de lucro fácil e se iludem pelo faturamento grande, mas não observam a queda na lucratividade e nos aumentos dos custos (pessoal, papel, transporte, etc).

O resultado é fatal! De dois a três meses as coisas apertam e depois pode não ser possível recuperar as perdas, pois os custos foram bem acima da sua produção normal.

Recuperar uma perda de 10% devido a sazonalidade é relativamente fácil. Mas repor um prejuízo devido a um faturamento de 100 mil, com entradas normais de uns 20 mil é uma tarefa quase impossível.

E os pequenos gráficos põem ser tremendamente afetados pela falta de produtos. Aqui o perigo está na própria retirada do profissional e na reimpressão de produtos. É normal as grandes gráficas não assumirem os erros e esta cair sobre quem vendeu o produto.

Além disso, a queda nas possibilidades de venda por não ser atendido pelos distribuidores pode provocar grandes quedas nos rendimentos dos vendedores. Você está preparado para viver algum tempo sem vender nada? Você provisionou recursos para ás épocas difíceis?

Cuidado para não cair neste problema. Mexa-se ainda hoje e faça seu planejamento!

A hora de brilhar

Você está com seu plano de negócios bem estruturado, tem uma reserva financeira capaz de te segurar algum tempo e uma pequena economia para dar uma boa entrada naquele novo equipamento.

Esta época é uma grande oportunidade.

Mesmo que você não pegue serviços de grande risco, vai chover oportunidades de bons pagadores querendo apenas ser atendido, com atenção e qualidade.

É hora de mostrar um produto novo ou assumir a sua produção, parcial ou totalmente, conforme a conveniência.

Não é porque tem o equipamento que você fica na obrigação de rodar todos os serviços em sua gráfica. O valor cobrado pelos distribuidores atingiu um patamar altamente competitivo até para quem já possui o equipamento próprio.

Nada impede de mandar o “feijão com arroz” para eles e ficar apenas com os “filés” na sua produção. Você terá até margem para ir contra a maré desta época e abaixar os preços, aumentando sua participação no mercado. Com mais clientes pedindo os serviços pequenos, pode ser que você consiga juntar os serviços e transformar eles num verdadeiro “filé”, produzindo internamente.

Quem sabe você não vira um distribuidor, roubando parte da clientela e vendedores das gráficas maiores.

Uma gráfica pequena pode perceber mais fácil as oportunidades e ser mais rápido nas decisões.

Use isto a seu favor!

Conclusão

Como foi dito na postagem, a época das eleições é uma verdadeira “caixinha de surpresas”.

Ela esconde grandes oportunidades e ameaças.

O segredo é estar preparado e ter um bom plano de negócios!

Você não está preparado? Tome cuidado com as ameaças que eu falei e avance com cuidado.

Aproveite e faça seu plano de negócios agora, já visando juntar recursos para botar em prática no próximo ano de eleições.

Espero poder ter contribuído para a melhoria dos seus planos.

Um abraço a todos,

Até a próxima postagem!

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

5 Flares Twitter 0 Facebook 3 Google+ 2 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 5 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *