Design gráfico para WebDesigners

8 Flares Twitter 0 Facebook 5 Google+ 0 Pin It Share 1 Email -- LinkedIn 2 8 Flares ×
Imagem com resolução errada para impressão

Imagem com resolução errada para impressão

Bem, sabemos que você é o fera do WebDesign.

Fazer um layout de um cartão de visita ou panfleto é fichinha perto de tudo que você criou. Pega seu Photoshop, cria mil efeitos, finaliza a arte e manda pra gráfica. Quando chega o material está tudo errado!!! O que aconteceu com meus degrades, meus sombreados, e todos os efeitos que usei. Por que essas cores horríveis? Onde foi que eles erraram?

Bem. Sinto informar. Foi erro do arte-finalista, ou seja você!

Fazer arte final para gráfica e websites são coisas diferentes. Mas com umas boas dicas você chega lá, pois usar os programas você já sabe.

1. MEDIDAS:

Como WebDesigner você está acostumado a trabalhar em pixels. Uma página A4 equivale a aproximadamente uns 600 px x  850 px e as imagens sempre estão com 72 dpi. Se você pegar este padrão e fazer um layout e olhar na tela vai estar tudo ok. Mas se mandar imprimir vai ser um desastre.

Cuidado com as medidas das imagens

Cuidado com as medidas das imagens

Em artes gráficas a medida é milímetro e a resolução é dpi (dots per inch ou pontos por polegada). O usual é usar 300 dpi ou mais.

A tela você usa por inteiro e pode mostrar ela 1 milhão de vezes que vai estar sempre igual. O papel varia na puxada da máquina, na fibra do papel, e consequentemente quando se juntam 5000 folhas para cortar tudo de uma vez, uma variação de1 mm é mais que compreensível. Você poderia pensar em cortar de 1 em 1… mas estaria disposto a pagar 20x mais pelo tempo dispendido por este corte?

Faça o seguinte:

• Verifique com a gráfica a medida final do material em milímetros.

• Se for o caso configure a página para 300 dpi ou 400 dpi.

• Acrescente1 mm de cada lado nos serviços menores (cartões) e 3 mm de cada lado nos maiores (panfletos).

• O fundo de sua arte deve encostar nessa borda, que chamaremos agora de SANGRADO.

• Crie uma guia a uns5 mmde cada borda. Esta é a área de SEGURANÇA para seus textos e logos. Nunca exceda esta área, sob pena de no corte ter alguns cartões decepados em parte do seu texto.

2. CORES

Você como WebDesigner já está acostumado a chamar as cores como vermelho #FF0000 , amarelo #00FFFF e por assim adiante. Até entende R100B0G0 como vermelho. Em gráfica o padrão é CMYK, ou seja, vermelho C0M100Y100K0 e assim por diante. Isso se deve ao padrão do monitor ser cores RGB (Red Green Blue) formados pela emissão de luz. No papel temos a absorção de luz com o padrão CMY (ciano magenta amarelo) e a cor adicional K (preta) para compensar a falta de qualidade dos pigmentos das tintas.

Atenção: existem muitos padrões de cores

Atenção: existem muitos padrões de cores

O importante é que nem todas as cores RGB podem ser impressas com as cores CMYK, daí aparecerem aquelas cores desbotadas quando deixamos o sistema fazer as correções.

É necessário ajustar todas as cores antes da impressão.

Faça o seguinte:

• Quando estiver fazendo uma arte gráfica, ajuste seu programa para cores CMYK.

• Sempre que criar um elemento utilize as cores CMYK.

• Imagens importadas devem ser convertidas para CMYK e se houver distorção na cor, deve-se corrigi-las para aproximar do que se deseja.

• tenha certeza que todas as cores estão em CMYK antes de colocar pra produzir.

3. EFEITOS

Quando se aplica efeitos, passa-se por diversas etapas criando um arquivo monstruoso. Sempre que se abre a imagem o programa repete todos os passos para formar aquele efeito. Na hora que se vai passar a imagem pelo RIP da imagesseter ou platesetter junto de outros designers para montar a nossa chapa de 66×48 cm imagina o poder de processamento necessário. A maioria das vezes ocorre erros neste processamento. Como podemos evitar isto?

converta os efeitos antes de mandar para a gráfica

converta os efeitos antes de mandar para a gráfica

Faça o seguinte:

• Localize cada efeito que você criou.

• Quebre estes efeitos se estiver usando um programa vetorial ou converta em uma camada única com fundo transparente se for um programa bitmap.

• Quanto menos imagens e mais simples elementos tivermos, menor a chance de erro.

• No corel, atenção especial para powerclip, fontes com bordas, contornos, ou seja, todos os itens do menu efeitos em geral. Cada um tem um jeito de tirar.

• Converta todas as suas fontes em curvas antes de enviar o material e cheque elas.

 

4. COMO ENVIAR OS ARQUIVOS

A maioria das gráficas finaliza suas obras em corel draw.

O Photoshop acha que estas cores são iguais

O Photoshop acha que estas cores são iguais

Por isso tente enviar sua arte em corel, numa versão mais antiga (eu uso a 9.0 na finalização).

Caso esteja usando outro programa. Ajuste toda a imagem para o padrão de impressão e converta para JPG 400 dpi CMYK.

Dicas:

Preto chapado: C63M52Y51K100 – mais que isso a tinta solta do papel.

Azul escuro: Use C100M80Y0K0

Azul (arroxeado): C100M100Y0K0

Todas as cores em que a soma das partes passe de 280, vai dar problema na impressão. A maioria das vezes dá pra substituir por uma cor mais simples. Tente verificar e comparar: sempre que tirar 10 de cada CMY colocar 10 de K e a cor vai ficar igualzinha (ou quase).

Tendo dúvida, pergunte ao seu fornceedor. Bons fornecedores sempre ajudam seus clientes.

 

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

8 Flares Twitter 0 Facebook 5 Google+ 0 Pin It Share 1 Email -- LinkedIn 2 8 Flares ×

8 comentários

    • cardqual
      Author

      Marcelo,
      Você está certo… até já ajeitei.
      Também concordo que é preciso ter faculdade… porém, as faculdades de design são recentes.
      Você já viu alguém trabalhando com design e arte final com um TK-82 ? Eu já vi. Na época eu era um dos únicos a fazer perfis de sondagem em impressora (matricial). A maioria nem isso tinha.
      Tal qual qualquer profissão nova, há uma fase de transição entre a época que no mercado só havia “práticos” passando para uma época só de “formandos”.
      As primeiras turmas sempre são formadas por estes “práticos” que aos poucos vão se aposentando e dando espaço para os formados.
      Foi noticia destes dias o reconhecimento do “Estado” para a carreira de Designer. Este é o primeiro passo para a “oficialização” da profissão.
      Digo de carteira que isto leva perto de uns 20 anos. Sou administrador formado e só agora depois de décadas que se está cogitando de deixar os administradores administrarem as empresas.
      O mesmo ocorre na área de contábeis (outra área que estou me formando).
      Me considero apenas um arte-finalista mediano, mas como arte-finalista de gráfica vi muito profissional se intitulando designer e deixando furos básicos no fechamento das artes, coisa que me inspirou para este artigo, que é bem superficial… apenas para alertar os profissionais.
      Dá uma olhada lá no título e vê que eu já corrigi.
      E obrigado por participar dando sua contribuição. Querendo escrever algo para nós estamos a disposição para publicar.
      Abraços,

  1. Pingback: Vale a pena abrir uma gráfica?

  2. Eliane

    Muito bom o artigo, sou engenheira química mas tenho paixão por designer gráfico (penso até em fazer outra faculdade) e estou tendo muita dificuldade em entrar neste meio.

    Me apaixonei pelo corel desde a versão 5, e agora resolvi assumir e abrir uma empresa de designer gráfico. Seus artigos estão me ajudando a ter uma ideia melhor, e este me ajudou a entender a finalização dos arquivos.

    Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *