A crise e as oportunidades

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 1 Flares ×

Acho que todos aqui já perceberam a grande crise por que passa nosso país. A grande maioria dos negócios caiu para cerca de 30% do movimento atual e parece que nada funciona para aumentar as vendas. Hoje vamos entender esses ciclos econômicos que se repetem de tempos em tempos e as oportunidades que aparecem a partir deles.

O que provoca a crise

Para quem estudou economia, já ouviu falar no cenário macroeconômico e microeconômico. O cenário macroeconômico está fora do nosso alcance. Ele fala de crises mundiais politicas ou econômicas ou de nossa economia interna. A mudança de presidente atual através do impeachment e a expectativa dos meses anteriores trouxeram para o país a crise atual.

Esse tipo de crise acontece sem muito aviso e não depende da economia em si… é uma crise politica que afeta todos os setores… mas por quê?

Quando um politico se sente pressionado e vê o barco afundar, ele é o primeiro a ver pois ter as informações globais. Por isso ele pode maquiar as informações escondendo do restante da população… até que a agua comece a chegar aos lugares mais sensíveis e torne a maquiagem aparente. Como as pessoas não sabem que tipos de medidas serão tomadas, tais como novos impostos, importações localizadas, ações fiscais, etc… a população começa a segurar seus recursos evitando todo tipo de gasta… e essa desconfiança agrava ainda mais a crise.

A crise e as oportunidades

Outro tipo de crise é a microeconômica. No caso das gráficas, há um constante crescimento de novas gráficas ou representantes. Com isso gente preparada e gente despreparada entra no mercado. A pessoa bem preparada vem com novos métodos que barateiam o processo e conseguem trabalhar com preços de mercado ou até mesmo um pouco abaixo, mas mantendo boa margem de lucro. As despreparadas tendem a seguir os preços mais baixos, por não entenderem seus próprios custos, e acabam detonando o mercado. Quem já estava no mercado vê a entrada dos novos concorrentes e pode se aproveitar do momento ou se incomodar com ele. Os bons em geral se adaptam e renovam suas técnicas, continuando bons. Os maus gráficos, que não gostam de mudança, acabam pressionados pela nova faixa de preço e começam a ver seus negócios minguarem.

Em momentos de boom econômico todos saem ganhando, pois realmente é necessário atender a grande demanda… e é por isso que entra tanta gente. Mas quando a quantidade de empresas atinge a quantidade demandada, e continuam entrando novas empresas, começa a haver uma crise de oferta… muita oferta para pouca demanda… e se instaura uma crise microeconômica, que em geral é localizada em poucos setores.

Nosso momento atual é de crise macro econômica… não há muito o que se fazer a não ser aguardar e rever os processos para a situação de boom que virá em seguida.

Durante a crise

Durante a crise muitas pessoas se vem obrigadas a fechar as portas. É na crise que se percebe os negócios mal estruturados, os processos quebrados, a qualidade dos funcionários, o controle no fluxo de caixa e a velocidade para se adaptar as mudanças.

Muitos fecham, pois o mercado tem que estabilizar. As contas tem que fechar e os empréstimos tendem a sumir e não sobra muita opção para quem não está preparado.

O que se deve fazer nesse momento é estar atento ao problema e ajustar os custos da empresa a serem muito enxutos. É a hora em que terceirizar se torna um bom negócio e estudar outras formas de produzir se tornam inevitáveis.

É a hora em que se percebe que trabalhar com um papel offset pode ser melhor negócio do que trabalhar com couchê. Que pode valer mais a pena uma impressão digital em baixa tiragem do que uma offset, ou até mesmo substituir alguns impressos offset por tecnologias mais baratas.

É a hora de demitir os funcionários menos experientes para conseguir manter o melhores funcionários. De pegar um empréstimo bem planejado que seja o suficiente para passar o período de crise e que entre na composição de custos que você consegue manter… ou mesmo de tentar abaixar os juros que vem pagando de empréstimos anteriores.

Ou seja, é hora de fazer contas e ser frio nas suas decisões pois são delas que dependem o seu negócio.

Não precisa ficar com pena de demitir os funcionários. Lembre-se que demitindo de modo correto agora eles poderão receber os benefícios do governo e não serão tão afetados. Se continuarem com você todos terão os salários atrasados provocando um problema muito maior que pode culminar com a demissão tardia deles sem nenhuma chance de serem readmitidos depois… ou seja, demitindo agora você tem a chance de readmitir os funcionários depois jogando parte dos seus custos de manter essas famílias para as contas do governo.

Passada a crise

Se preparar para o boom após a crise é muito importante. Durante a crise você deve sondar novas tecnologias. Deve preparar melhor os funcionários, tanto os que ficaram na empresa como os que foram demitidos (basta orientar eles). Deve ter tudo planejado para investir na hora certa para atender a demanda que por vezes cresce de maneira muito rápida.

Acompanhar os movimentos econômicos e os próprios números da empresa é primordial. Eles vão indicar o inicio do boom e quanto antes você identificar ele, mais cedo vai estar preparado.

Oportunidades latentes

Eu falei ainda pouco que na crise os que tiverem menos capacidade fecharão os seus negócios.

Mas perceba que essas empresas costumavam atender determinado público, que quando o mercado reagir, virão firmes para as compras e vão bater nas portas que foram fechadas.

Quantos clientes desse tipo estarão disponíveis. Você está preparado para atender todos seus clientes antigos, com uma equipe menos enxugada no momento da crise e abraçar todos os novos clientes?

Essa é a maior oportunidade que vem após a crise. E a maioria das vezes não é aproveitada pelas empresas por falta de planejamento.

Se você investiu em tecnologia e processos e preparou seus funcionários e orientou os que mandou embora, pode ter vantagens gritantes nesse novo universo econômico.

Note ainda que como as empresas fecharam durante a crise, alguns desses novos clientes podem entrar ainda durante a crise. Estando preparado e com vantagens de processo pode lucrar ainda durante o período de crise com os poucos clientes que continuaram investindo mesmo na crise.

É relativamente fácil identificar seus concorrentes que fecharam as portas. Identificar os clientes é um pouco mais difícil, mas não de todo impossível.

Pode valer muito a pena fazer ainda na crise ações de marketing direcionadas a esse público que deixou de ser atendido.

Até na contratação de funcionários, você terá a sua disposição bons funcionários da outra empresa que poderão compor o seu quadro na retomada de mercado ou na aquisição desses novos clientes. É uma oportunidade real que pode ser muito bem aproveitada.

crise_oportunidade_02

Altos e baixos

Como você leu no correr do artigo, momentos de boom de vendas e de crise são uma constante em nossos negócios. Nenhum negócio vive apenas de boom ou apenas de crise.

Mesmo que a politica e a macroeconomia fossem perfeitas sem nenhuma crise, a quantidade de profissionais no mercado e a quantidade de clientes tende a variar através do tempo, percorrendo toda a curva de oferta e demanda, gerando essas oscilações através do tempo.

Inovar sempre, se preparar sempre, pois aqueles que não crescem tendem a ser comidos pelo crescimento da concorrência.

Tenha como base o próprio PIB… se o PIB cresce, você necessariamente deve crescer, senão estará criando oportunidades para novos entrantes. E o seu crescimento deve ser maior do que o PIB e quando este abaixar você deve ter quedas menores do que ele. Você deve se manter dentre os melhores de seu ramo e não na média.

Se não se sente preparado, prepare-se… existem diversas formas de fazer isso, tanto gratuitas como pagas. Se tem medo de investir… cuidado… pode estar abrindo uma brecha para seu concorrente que vem investindo em novas técnicas.

Fique de olho no processo. Mudar a forma de fazer as coisas pode trazer grandes economias e em geral não custa nada para implantar… você só usa a cabeça para pensar nas técnicas.

Conclusão

Estamos em plena crise e em alguns dias pode haver uma grande mudança de ânimo dos clientes.

Se você sobreviveu até esse momento deve estar preparado para a repentina volta dos clientes que se seguraram durante a crise. Isso pode acontecer agora ou mais para o futuro, mas você deve pensar nisso neste momento.

Você deve ter percebido que até aqui no blog passamos por essa crise, com a fuga dos anunciantes, e diminuição das postagens por conta disso (são eles que custeiam o tempo dedicado ao blog).

Espero que tenham gostado.

Um grande abraço a todos.

Curso de Photoshop

Você pode gostar também de:

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 0 Email -- LinkedIn 0 1 Flares ×

10 comentários

  1. Teu artigo está otimo! Concordo a 100% que a crise seja um mar de oportunidades…
    Como dizia alguem Uns choram e outros vendem lenços.. ou até outra citação.. Na crise o dinheiro só muda de bolsos eheh

    Sucesso

    • Paulo Valle
      Author

      Realmente… enquanto alguns choram outros dão pulos de alegria.
      Tentar achar as oportunidades em meio a crise é o que move os grandes empreendedores.
      E digo mais, aqueles que inovam durante a crise tem uma vantagem enorme quando a crise vai embora e não raras vezes se tornam líderes em setores altamente lucrativos… muitas vezes não dando brecha para que novos entrantes entrem na área (cria-se uma reserva de mercado).
      Um grande abraço,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *